Colunas


Coluna Exitus na Política

Por Sérgio Saturnino Januário - pesquisa@exituscp.com.br

Divisão do trabalho político


O trabalho, como fenômeno sociológico, é um processo de organização e funcionalidade de uma sociedade. Em tudo há uma forma de “encaixar” etapas, “peças”, procedimentos. A escala varia em cada ambiente, mas é sempre o trabalho o centro dos dias e das coisas. O trabalho fomenta a especialização das funções e fez com que o artesão passasse a figurar como uma condição exótica. Foi Émile Durkheim [De la Division du travail social] quem nos forneceu análise valiosa sobre a evolução da sociedade considerando a especialização das funções do trabalho social.

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





O trabalho surge na sociedade moderna como uma estrutura de coesão social. Pelo trabalho, recebemos funções e títulos, reconhecimento e remuneração, posições sociais e status. Do trabalho decorre um conjunto de valores [sistemas que orientam e determinam as formas de ser, estar, agir e sentir] e atitudes [formas de se colocar no mundo, disposição para agir]. O domínio dos membros de uma organização social, antes de tudo, está nesses conjuntos complexos [e não complicados] de existência estrutural de uma sociedade.

Podemos traçar um amplo conjunto de estruturas sociais no qual nos levam a ser e estar da forma como somos e estamos. Como princípio a fim de que tudo funcione é necessário que cada membro seja “assumido” pela sociedade por sua docilidade social [aceitar as condições e desejar, querer ser algo] e produtividade econômica [obter sua posição social por critérios de produção e acúmulo de riquezas]. Enquanto as instituições sociais nos asseguram e nos classificam, acreditamos estar tranquilos e fortalecidos. A liberdade está contida nestes limites.

Numa organização econômica, se você não puder participar dos processos de acordo com os “regulamentos sociais”, então, será dispensado. E quando se perde o trabalho, vão juntos um enorme aglomerado de relacionamentos no qual somente poderiam existir ali. Em todo o caso, você pode procurar ou criar “sua” organização econômica e, a partir dela, se manter nos processos produtivos de acordo com as “regras do mercado”.

No caso do “mercado governamental”, as regras sociais se distinguem. Há um “mercado político” de cargos, poder e decisões sobre orçamento “público”. O poder de veto sobre processos, por um lado, e condicionantes de legitimação, por outro. E, para se evitar que a vontade de um indivíduo possa se sobrepor a de todos os outros, há um emaranhado de leis e de instituições para equilíbrio das forças, sistema de freios  e contrapesos. Legislativo, Executivo e Judiciário são poderes que formam o Estado como se este fosse um aparelho de execuções das funções e responsabilidades. Como forma institucional, cada uma das estruturas existe como Independente [soberano de suas próprias funções], exclusiva [somente ela poderá realizar tal função] e especializada [quanto mais efetiva seus atos, mais aprende e apreende sobre suas funções]. Numa equipe, não dá para todos serem atacantes.

Quando as coisas se confundem, quando as funções são usurpadas por “invasores”, a funcionalidade se perde, as engrenagens emperram, a máquina deixa de ser “produtiva”. Os valores sociais deixam de marcar as orientações que lhes são próprias e as atitudes passam para o estágio da dispersão. Por aqui, com o tal presidencialismo de coalisão, que não é nem presidencialismo, nem parlamentarismo. O Legislativo executa orçamento [fundos e emendas ao gosto do freguês], o Executivo deseja “assinar” sentenças e desobediências legais, e o Judiciário se torna fábrica de leis e agente ideológico. E na confusão, gritos, acusações, arremedos de golpes, “condenados” livres. Hora propícia aos “sacerdotes” [sacerdos]: aqueles que ofereciam vítimas às divindades [sacro-ofício] ou que distribuíam os dons sagrados ou divinos [milagres, mirare, maravilhoso ou aquilo que foge às leis da natureza].

E viver, apesar de trabalhar muito, continua a ser caro.


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Exitus na Política

Um e noventa e nove

Coluna Exitus na Política

Segundo turno agora

Coluna Exitus na Política

Verdes e cinzas

Coluna Exitus na Política

A liberdade sob tortura

Coluna Exitus na Política

A liberdade do astronauta

Coluna Exitus na Política

Coice e passo adiante

Coluna Exitus na Política

Voto e consequência

Coluna Exitus na Política

Crise na abstinência

Coluna Exitus na Política

Soldados sem cabeça,  armados

Coluna Exitus na Política

Portas fechadas, às escuras

Coluna Exitus na Política

O juiz e o investigado

Coluna Exitus na Política

Palco e claquete

Coluna Exitus na Política

Política da psicose

Coluna Exitus na Política

O pires, o balcão

Coluna Exitus na Política

Isopor e bigorna

Coluna Exitus na Política

Comunicação e gritos

Coluna Exitus na Política

A Fazenda e seu gado

Coluna Exitus na Política

Eleição de reeleição

Coluna Exitus na Política

“Deus do poder, acima de tudo”

Coluna Exitus na Política

“Débora: poder sem dono”



Blogs

A bordo do esporte

Catarinense segue entre os líderes do Mundial de Optimist

Blog da Ale Francoise

Chá de sabugueiro!

Blog do JC

Salve o Ribeiro!

Blog do Ton

Consultório médico, em Balneário Camboriú tem pegada chic, mas sem excessos

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Blog Doutor Multas

A Desentupidora mais próxima de você! Desentupidora de emergência 24h SP

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW



Entrevistão

Willian Cardoso, o Panda

"Saquarema provavelmente vai ser meu último mundial, aí eu vou estar focado no brasileiro”

Renata Teixeira Pinto Viana

"Não se indica cigarro eletrônico para alguém que queira parar de fumar"

Governador de Santa Catarina

"É importante destacar que as obras só avançam por conta dessa decisão de colocar recursos dos catarinenses nas rodovias federais”

José Evaldo Koch

“O hortifruti é nosso berço”

TV DIARINHO

Roberto Paião é diretor executivo do estaleiro Okean & Ferretti, referência no mercado náutico nacional ...



Podcast

Notícias da semana e o impacto na economia

Publicado 02/07/2022 17:42


Especiais

Cordeiros

Professora Rita de Cássia ensinou matemática a diferentes gerações de itajaienses

SUPERAÇÃO

Deficiência nunca impediu Jailton de fazer o que quis; até elevador em casa ele construiu

Centro de Itajaí

Bravacinas se transforma em referência em vacinação humanizada

Itajaí

Itajaí mantém protagonismo na pesca industrial

A riqueza vem pelo mar

Polo náutico reúne players mundiais do mercado de luxo



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação