Matérias | Polícia


Itajaí

Pintor é preso e acusado de estuprar dois filhos e um enteado

Crianças, que têm cinco, 10 e 12 anos, confirmaram o abuso à polícia

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Policiais da delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente e à Mulher de Itajaí prenderam o pintor Alvim José Pereira Júnior, 42 anos, acusado de estuprar dois filhos, uma menina de cinco anos e um garotinho de 10, e também o enteado de 12 anos. O guenta rolou no bairro Fazenda, onde a família do pintor mora. A denúncia foi feita pela mulher de Alvim, K.J.C., 37. O estupro foi confirmado pelas crianças, que contaram com detalhes à polícia e aos conselheiros tutelares como vinham acontecendo os abusos (veja abaixo o que os anjinhos contaram às otoridades).

K. descobriu que os filhos estavam sendo vítimas do marido tarado em 3 de novembro. A filhinha caçula pediu à mãe que o pai não fosse mais buscá-la na escola. Quando K. perguntou o motivo, a menina teria dito textualmente que Alvim estava “transando” com ela.

A garotinha revelou, então, que quando voltava do pré-escolar, o pai a levava para o quarto, ficava só de cueca e a fazia ficar de calcinha. Depois começava a boliná-la.

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


K. descobriu que os filhos estavam sendo vítimas do marido tarado em 3 de novembro. A filhinha caçula pediu à mãe que o pai não fosse mais buscá-la na escola. Quando K. perguntou o motivo, a menina teria dito textualmente que Alvim estava “transando” com ela.

A garotinha revelou, então, que quando voltava do pré-escolar, o pai a levava para o quarto, ficava só de cueca e a fazia ficar de calcinha. Depois começava a boliná-la.



Mas a situação era ainda mais grave com os outros dois filhos de K., que pressionados pela mãe acabaram revelando as safadezas do pintor. Com eles, Alvim vinha há vários meses praticando sexo com penetração anal.

Procurou ajuda

Desesperada, K. procurou o conselho Tutelar no mesmo dia e foi orientada a apresentar uma denúncia formal contra o marido. Em 4 de novembro, a mulher levou os filhos na depê e conversou com o delegado Fabrício Wloch.


À polícia, os anjinhos confirmaram o que já haviam dito à própria mãe: tavam sendo vítimas da tara do pai. Os abusos, revelaram os pimpolhos na depê, começaram no ano passado, quando o casal começou um processo de separação.

Mesmo separados, K. e Alvim estavam morando na mesma casa. A mulher e filha costumavam dormir juntas e o pintor ficava no quarto dos filhos.

Na Fazenda

O delegado Fabrício, acompanhado dos agentes Laerte, Leila, Carmem e Carlos, encontrou Alvim perto de casa, no bairro Fazenda. A dona justa havia expedido um mandado de prisão contra o pintor, a pedido do dotô da depê da Criança, do Adolescente e da Mulher.


Alvim não resistiu à prisão e, na depê, negou os crimes que podem lhe render até 30 anos de cana, segundo o dotô Fabrício.

Pintor é viciado em crack

Além da forte suspeita de que os abusos eram mesmo verdadeiros, o que fez o delegado Fabrício pedir a prisão preventiva de Alvim foi também a violência que começou a praticar contra a mulher assim que descobriu que estava sendo investigado por abusar dos próprios filhos.

O pintor, informou o delegado, é viciado em crack e já teria passagem pela polícia. “No sistema consta passagem pelo presídio de Curitibanos no período de 1997 a 2000, mas não diz qual o crime”, afirmou o dotô.


Ontem mesmo, Alvim foi levado pro presídio da Canhanduba. Lá, ficou numa cela especial com outros presos acusados de estrupo.

Crianças e a mãe tão recebendo tratamento

A assistente social Anadir Schneider, do Conselho Tutelar de Itajaí, informou que as crianças vão ficar com mãe, que pretende entrar com pedido pra ser a única a ter a guarda oficial dos filhotes. Os anjinhos, disse ainda a conselheira, já estão recebendo acompanhamento psicológico dos profissionais do centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

Anadir, que acompanhou o caso de perto, revelou que K. tá traumatizada com o que aconteceu aos filhos e, por isso, também tá recebendo auxílio psicológico na Univali. Ela estaria com início de depressão. A assistente social contou que, depois que K. denunciou o marido, passou a sofrer ameaças e agressões cada vez mais violentas. “Ela tava sendo ameaçada quase que diariamente. Graças a Deus que saiu a prisão preventiva dele. Essa mãe já tava entrando em estado de depressão.”, afirmou a conselheira. “Esse foi um caso difícil pra gente e pra ela, mas cumprimos com nossa função de encaminhar pra atendimento e dar apoio à família”, completou.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






44.222.218.145

TV DIARINHO


Itajaí vai ter centro de triagem para dar conta dos atendimento de dengue. A cidade é a quarta com maior ...





Especiais

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

violência

Brasil tem um assassinato de pessoa trans a cada três dias

Programa diferente

Na Estrada: Escapada pra Curitiba num finde de verão

Presidente do STM

Acampamentos golpistas “foram tolerados por orientação” militar

Agropecuária

Bancada adota ‘discurso tóxico’ em anúncios nas redes sociais



Blogs

A bordo do esporte

Volta da Ilha das Cabras abre temporada de regatas em São Paulo

Blog do JC

Lula e o genocídio

Gente & Notícia

Churrasco On Fire, da dupla Fernando e Sorocaba, chega a Massaranduba

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog da Jackie

O ‘sim’ de Ângela e Dolor

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação