Colunas


Coluna Exitus na Política

Por Sérgio Saturnino Januário - pesquisa@exituscp.com.br

Os disfarces da linguagem


Vivemos sob muitas pressões. A capacidade social do indivíduo conviver sob congestionamentos sociais, emocionais e psíquicos está relacionada ao sistema de cooperação ou de concorrência. As forças sociais que mantêm um grupo de pessoas unido são invisíveis tal qual a força da gravidade. Invisíveis como os desejos e valores culturais e morais nas interações entre indivíduos que proporcionam as formas de enfrentamento das muitas tensões que nos envolvem por dentro e por fora. O “laboratório” Grande Irmão é um exemplo deste fato.

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





Neste “laboratório” tudo se concentra na exposição de relações de conflito. Uma atração e tanto! Os jogos estimulam a concorrência, a lógica dos comportamentos se revela pela autodefesa, a desconfiança entre os membros provoca a fragilidade dos laços sociais e os incentivos aos confrontos torna aguda a agressividade e a violência. Num grupo no qual ninguém pode confiar em ninguém, cada um é juiz de cada um e a morfologia da culpa flutua como ar à beira das narinas e dentro dos pulmões. Os problemas se tornam insuportáveis e sem esperança de solução dialogada; altruísmo e empatia não são nem mesmo pensados. Democracia não nasce em um Estado de guerra. O conflitante deve ser eliminado e o conflito permanece.

A linguagem conduz o enredo e o confronto conduz o roteiro. “Eliminação” no “Paredão” são formas de expor a tensão dos conflitos. Próprio do autoritarismo mais perverso e covarde, “prisioneiros” são colocados de pé, vendados, sabendo do golpe fatal. Expostos ao fuzilamento, os semblantes de pavor e tormenta contraem os músculos da face e provocam a pior de todas as dores: saber que em instantes um deles será “extinto” da vida exposta, da luta, da probabilidade de obter a recompensa final. A eliminação de um conflitante é parte da vitória provisória dos “não eliminados”.

O sacrifício de um como salvação dos outros e o retorno triunfante de não ter sido eliminado causa profunda emoção. Não ser eliminado não é o mesmo que aprovação. Não há ganho, elevação de alguém à vitória final. Apenas, por ora, não fora fuzilado. Há, por certo, um alívio, logo constrangido pelo recomeço dos confrontos.

Sendo “laboratório” é mais fácil gerar os extremos de nossas angústias, formas de sentir, agir e reagir aos fluxos de confrontos e constrangimentos sociais. Acessar a vida de alguém sem nenhuma proteção social é a mais intensa invasão da mais íntima privacidade. Exceto o Grande Irmão, entre os participantes, ninguém controla ninguém e, por isso, cada um é visto como inimigo traiçoeiro. Não haverá solidariedade e socorro diante do Grande Irmão. Todos, prisioneiros, estarão sob infindável e insolúvel dilema: suas escolhas existem, necessariamente, em prejuízo dos outros. A agressividade, a dissimulação, a manipulação e a vingança são a água da piscina onde cada qual se refresca e sorri aos outros.

O reino do Grande Irmão provoca o lobo existente nas entranhas do ser humano. Cada um dos concorrentes tem o rosto encoberto por um véu durante um entardecer nebuloso, escuro e desconhecido: não conhece a si mesmo. Lobo que devora lobo. Selecionar alguém para o sacrifício do “Paredão”, porta mais próxima da “Eliminação”, é a maneira de salvar a própria pele. E todo o disfarce vive nas sombras da posição da pergunta “Quem você quer que fique na Casa”? Por verdade, você precisa eliminar alguém.

Nas eleições que se avizinham, pelo ponto contrário, as urnas não são “Paredões” e o voto não é uma forma de salvar a própria pele. Votar é, como escolha, a seleção do futuro de todos! Voto é ato privado de efeito coletivo. Quem vota é eleitor, cidadão, e não lobo!


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Exitus na Política

Janelas fechadas

Coluna Exitus na Política

Valores políticos e frequência eleitoral

Coluna Exitus na Política

Ética para civilização tecnológica

Coluna Exitus na Política

Era uma vez...

Coluna Exitus na Política

Os superespeciais

Coluna Exitus na Política

O TEMPO DA INDETERMINAÇÃO

Coluna Exitus na Política

Público e privado

Coluna Exitus na Política

SOB DESCONFIANÇA

Coluna Exitus na Política

Curtir a cidadania

Coluna Exitus na Política

A conquista do mundo

Coluna Exitus na Política

Papai noel, você tem esperança

Coluna Exitus na Política

O PLANO, O TEMPO

Coluna Exitus na Política

Você não consegue se esconder de você

Coluna Exitus na Política

Os sapatos, as meias

Coluna Exitus na Política

Plantio, cuidado e colheita

Coluna Exitus na Política

Quem és? Conheço você?

Coluna Exitus na Política

Cardápio para você se alimentar

Coluna Exitus na Política

Leis que precisam ficar longe de você

Coluna Exitus na Política

O prego dói no pé

Coluna Exitus na Política

Ao martelo tudo parece prego



Blogs

Blog da Ale Francoise

Lanchinho do bem!

A bordo do esporte

Lola Cars na Fórmula E

Blog do JC

Dois pesos

Blog da Jackie

Os Fort’s e os Koch’s

Blog do Ton

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Carlos Chiodini

"Independentemente de governo, de ideologia política, nós temos que colocar o porto para funcionar”

Osmar Teixeira

"A gestão está paralisada. O cenário de Itajaí é grave. Desde a paralisação do Porto até a folha sulfite que falta na unidade de ensino”

Omar Tomalih

“Balneário Camboriú hoje é o município que está com o maior controle, com o menor número de notificações de casos de dengue”

Robison Coelho

"Nós não estaremos com o MDB aqui em Itajaí”

TV DIARINHO




Especiais

NA ESTRADA COM O DIARINHO

6 lugares imperdíveis para comprinhas, comida boa e diversão em Miami

Elcio Kuhnen

"Camboriú vive uma nova realidade"

140 anos

Cinco curiosidades sobre Camboriú

CAMBORIÚ

R$ 300 milhões vão garantir a criação de sistema de esgoto inédito 

Legado de amor

Dona Maricotinha, aos 95 anos, tem a vida pautada pela família, religião e dedicação ao próximo



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação