Colunas


Coluna Exitus na Política

Por Sérgio Saturnino Januário - pesquisa@exituscp.com.br

Imutável res-sentimento


Se não existíssemos como indivíduo tudo ainda seria. Se não existíssemos como espécie tudo ainda seria. Muitas e muitas coisas que estão a perambular pelo mundo, e coisas que nem sabemos que são, simplesmente são. É tolo lutar para transformar o que é intensamente imutável diante de nossas forças e desejos. É a adaptabilidade humana que nos permite continuar como indivíduo [os mais aptos, e não os mais fortes, sobrevivem] e como espécie [adaptabilidade ao meio ambiente para formar a ecologia].

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





De resto tudo é mutante. A História é um “conto” sobre as regularidades do comportamento. As formas e as orientações sobre o agir e o re-agir, sentir e res-sentir, e o pensar demonstram o que, no limite de nossa racionalidade e nos percursos dos modelos de conhecimento, o que somos.

Somos cruéis enquanto espécie. Somos preconceituosos como seres sociais. Somos paradoxos existenciais. Vejamos: como defender, salivando as palavras com energia, a liberdade de opinião e, ao passo seguinte, realizar uma lista de empresas para boicote por tendências políticas e sociais de seus gestores? Como podemos desejar águas limpas para nosso prazer, lazer e consumo humano enquanto desperdiçamos oportunidades vertentes ao equilíbrio ecossistêmico? De que maneira explicar o repúdio às guerras e conflitos mortais entre humanos quando somos intolerantes com quem se dispõe a se opor ao nosso “centro de verdades gravitacionais”?

Somos doces e amáveis quando há uma celebração de unidade, de redução de nós mesmos enquanto seres “domesticáveis”. Os ritos religiosos, as diplomações de passagens aristocráticas que nos empurram para outros “planetas sociais” nos quais teremos que viver e “progredir”, nos impulsionam a conquistas. Aos empurrões, forçados por mãos nas costas que provocam a caminhada, seguimos roteiros e caminhos.

Quando as instituições se fragilizam, o poder se assenta nos braços e nos gritos, nos olhos efusivos e no rigor das tensões musculares da face. Quando estamos fora do controle social das estruturas sociais, tendemos a desejar no todo, aos outros, o cumprimento de nossos desejos. Deixamos de estender a mão ao cumprimento para presumir aos outros nosso preconceito e ódio contido. Podemos acumular um “mundo fantástico” que foi criado por mim [indivíduo] e para mim [Rei Supremo], e realizar as mais surreais combinações fantásticas das angústias, do egoísmo, da raiva e dos descompassos psíquicos para poder viver ao lado de semelhante em espécie.

As disputas, todas elas, são parte de nossos “jogos sociais” da vida em grupo. As disputas eleitorais, sem as amarras institucionais para limitar os concorrentes são como que humanos se transformando em hominis-vírus para dominar seu hospedeiro. Como vírus, por falta de dotação psíquica para vida em sociedade, a sobrevivência se vai na tentativa permanente de sugar do hospedeiro o fluxo da vida. Na morte do hospedeiro, o hominis-vírus é causa ocasional do velório.

As disputas eleitorais nos revelam, em espelhos serenos, nossas próprias “deformações” sociais, a dilatação dos preconceitos, a “bruxaria” da intolerância. Os “fantasmas” nos quais acreditamos, são os pavores que sustentam nossa vida, e a agressividade que promovemos são os “desencantos” de nossos genes em estado instintivo. Somos assim, e existimos assim. Para nos superar precisamos entender quem somos, como somos, e nossos res-sentimentos!


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Exitus na Política

O dono da política

Coluna Exitus na Política

A estupidez e o juiz do mundo

Coluna Exitus na Política

Alucinação política

Coluna Exitus na Política

A política, o pênalti

Coluna Exitus na Política

Legitimidade em transe

Coluna Exitus na Política

A liberdade do tempo

Coluna Exitus na Política

Futebol sem bola e sem goleiro

Coluna Exitus na Política

Lágrimas retidas

Coluna Exitus na Política

O divã para voar

Coluna Exitus na Política

A escravidão do pensamento

Coluna Exitus na Política

Heróis, tolos e votos

Coluna Exitus na Política

Chagas do voto

Coluna Exitus na Política

A política de “Ícaro”

Coluna Exitus na Política

A cara no espelho

Coluna Exitus na Política

A órbita eleitoral

Coluna Exitus na Política

O gênero da política

Coluna Exitus na Política

O medo e a vulgaridade

Coluna Exitus na Política

Um lugar desconhecido

Coluna Exitus na Política

Uma torneira na cabeceira da cama

Coluna Exitus na Política

O poder sem face



Blogs

A bordo do esporte

Recife (PE) pronta para receber a Globe 40

Blog Doutor Multas

Divisão de Registro de Veículos: entenda como funciona

Blog do JC

The Ocean Race

Blog da Ale Francoise

Moringa para imunidade

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Evandro Neiva

"Vila da Regata de Itajaí vai atrair mais de meio milhão de visitantes

Luíza Moreira

"Meu avô tinha uma marca de ferro na coxa. Hoje em dia eu me revolto ainda por causa da escravidão, porque ainda tem muito preconceito”

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

TV DIARINHO

PROIBIDO ESTACIONAR! O principal acesso à praia do Cascalho, em Penha, voltou a ser palco do desrespeito ...




Especiais

Pesquisa de preços 

Sorvetes apresentam diferença de até 50,62% nos principais supermercados

80 ANOS

Sorveteria Seara chega à quarta geração unindo receitas de família e novas tendências

NA ESTRADA COM O DIARINHO

Sete dicas pra curtir Balneário Camboriú num fim de semana 

Dia no mar

O que levar para uma refeição perfeita al mare

Deixa o vento me levar

Veleiros alugados navegam com grupos para alto-mar



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação