Colunas


Coluna Exitus na Política

Por Sérgio Saturnino Januário - pesquisa@exituscp.com.br

Política e totens


O cérebro humano, uma porção do encéfalo, necessariamente passa por processos de aprendizado e armazenamento de coisas e fenômenos que lhes são exteriores. Até o limite do que sabemos, somos a única espécie que é capaz de aprender com extrema rapidez e criar culturas diversas para elaborar parâmetros à conduta da vida. Já não é só saciar a fome, mas preferir alimentos; não é só trabalhar e subsistir, mas expressar status e riquezas. E nenhuma espécie torce para um time de futebol!

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





Vivemos por associação de seres e espécies da natureza como instrumento de formação de grupos sociais. A diferenciação e, em muitos casos, a divergência, constroem a identidade social. Isso é próprio do Totemismo. Com os Totens e as associações que deles derivamos, damos coerência e sentido às práticas sociais e políticas. Não é a diferença que se torna relevante, mas a continuidade ou a complementaridade. Um casal que briga como “cão e gato”, por exemplo, exerce o papel de seres de espécies diferentes, irreconciliáveis, cuja natureza de existência os coloca em situação de concorrência e oposição. Se José é uma “águia”, ou João é uma “lesma”, ou se as fábulas constroem a moralidade humana a partir da “formiga e da cigarra”, encontramos ali sentidos para os humanos e práticas sociais e políticas.

No esporte esses preceitos estão “mais na cara do que nariz”. Times de futebol organizam sua torcida desde totens como “raposa”, “urubu”, “gaviões”, “mosqueteiros”, “galo”, peixe”, “leão”, “porco” etc. num franco sistema de associações de animais ao mundo social. Isso também vale para a criação do jogo do bicho e nossas atividades sociais. As pessoas se reconhecem como pertencentes a um grupo a partir de lógica totêmica, como forma de integração.

De origem “primitiva”, o Totemismo forma grupos coletivos e faz com que o indivíduo já não tenha gênero, idade, propriedades, formação educacional... cada um agora pertence ao grupo. O indivíduo é levado pelas diretrizes totêmicas, sem razão individual, sem reflexão, sem pensamento próprio. Sua condição individual é dominada e praticamente anulada por apelo e pressão de grupo. O sistema de totem é percebido e assumido como dado, como feito, como anterior ao indivíduo.

As expressões do esporte são reveladoras do campo bélico no qual se está, metaforicamente, inserido: disputas como batalhas, confrontos, guerras; jogador como soldado; pipoqueiros a pipocar [saltar para fugir]; ficar fora de combate; ataque, defesa, contra-ataque; fuzilar, torpedo, tiro, foguete, canhão, petardo, combate; artilheiro, volante [tropa de grande mobilidade tática por não portar armamento pesado]. Há estímulos que rodeiam as cabeças dos grupos para ações primitivas da espécie. Revoltas por insucessos e vingança para identificar culpados tornam o humano um ser irracional, um bicho.

Por revolta e vingança vivemos ainda os idos de 2018, movidos para derrotar adversário e tom de guerrilha entre torcidas organizadas. Os totens de “esquerda” e “direita”, como gato e rato, coelho e tartaruga, ratos e ursos, são fontes de estímulos não para o crescimento do País como território ou da Nação como coletivo passional de brasileiro. Servem ao irracional.

A Política de fonte Totêmica nos situa no campo das condições primitivas de comportamentos, atitudes, valores e existência. E pensar que já saudamos o século 21.


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Exitus na Política

O dono da política

Coluna Exitus na Política

A estupidez e o juiz do mundo

Coluna Exitus na Política

Alucinação política

Coluna Exitus na Política

A política, o pênalti

Coluna Exitus na Política

Legitimidade em transe

Coluna Exitus na Política

A liberdade do tempo

Coluna Exitus na Política

Futebol sem bola e sem goleiro

Coluna Exitus na Política

Lágrimas retidas

Coluna Exitus na Política

O divã para voar

Coluna Exitus na Política

A escravidão do pensamento

Coluna Exitus na Política

Imutável res-sentimento

Coluna Exitus na Política

Heróis, tolos e votos

Coluna Exitus na Política

Chagas do voto

Coluna Exitus na Política

A política de “Ícaro”

Coluna Exitus na Política

A cara no espelho

Coluna Exitus na Política

A órbita eleitoral

Coluna Exitus na Política

O gênero da política

Coluna Exitus na Política

O medo e a vulgaridade

Coluna Exitus na Política

Um lugar desconhecido

Coluna Exitus na Política

Uma torneira na cabeceira da cama



Blogs

A bordo do esporte

Recife (PE) pronta para receber a Globe 40

Blog Doutor Multas

Divisão de Registro de Veículos: entenda como funciona

Blog do JC

The Ocean Race

Blog da Ale Francoise

Moringa para imunidade

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Evandro Neiva

"Vila da Regata de Itajaí vai atrair mais de meio milhão de visitantes

Luíza Moreira

"Meu avô tinha uma marca de ferro na coxa. Hoje em dia eu me revolto ainda por causa da escravidão, porque ainda tem muito preconceito”

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

TV DIARINHO

PROIBIDO ESTACIONAR! O principal acesso à praia do Cascalho, em Penha, voltou a ser palco do desrespeito ...




Especiais

Pesquisa de preços 

Sorvetes apresentam diferença de até 50,62% nos principais supermercados

80 ANOS

Sorveteria Seara chega à quarta geração unindo receitas de família e novas tendências

NA ESTRADA COM O DIARINHO

Sete dicas pra curtir Balneário Camboriú num fim de semana 

Dia no mar

O que levar para uma refeição perfeita al mare

Deixa o vento me levar

Veleiros alugados navegam com grupos para alto-mar



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação