Matérias | Especial


Preços baixos

Atacarejos se multiplicam em Itajaí e disputam consumidor mais exigente

Novas lojas contam com serviços antes disponíveis apenas nos supermercados tradicionais

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Açougue com carnes frescas é o diferencial do Komprão da Ressacada (foto: Renata Rosa)

Por Renata Rosa

Na segunda rodada da série sobre economia popular, o DIARINHO entrou de cabeça no universo dos “atacarejos”, categoria de supermercado que vende tanto no atacado quanto no varejo, e se tornou o queridinho do povão que precisa economizar ao máximo para garantir comida na mesa, diante da alta dos preços dos alimentos.

Em Itajaí, novos atacadões foram abertos nos bairros, aumentando as opções de compra e acirrando a concorrência, que está rebolando para continuar oferecendo preço baixo com melhor serviço.



Ao contrário de outros setores econômicos afetados pela pandemia, o segmento cresceu, impulsionado pela doação de cestas básicas. Segundo a Associação Brasileira dos Atacadistas de Autosserviço, as vendas já representam 43,5% no varejo alimentar brasileiro.

Mas qual é o segredo para oferecer preços diferenciados? A grande sacada foi comprar grandes lotes de mercadorias e dar um desconto extra para quem comprar mais unidades do mesmo produto. Além disso, as empresas economizam na ambientação e no número de funcionários, limitam as marcas e abrem mão de setores como padaria e açougue.

Só que, com o aumento da concorrência e a diversificação no perfil do consumidor para além do pequeno comerciante, o setor teve que se reinventar.


Agora, não basta apenas oferecer preço, mas também uma boa experiência. Por isso algumas estratégias estão sendo revistas, como não aceitar cartões de créditos e oferecer apenas produtos industrializados.

Um exemplo é o Komprão da rede Koch, inaugurado este ano na Ressacada, onde é possível comprar carne fresca e não apenas embaladas a vácuo ou congeladas.

O Atacadão, do grupo Carrefour, possui uma lanchonete na unidade do Cidade Nova, assim como o Brasil Atacadista, na Brava, que abriga uma lotérica.

Cartão de crédito

O pioneiro do setor na cidade, o grupo Fort, que abriu a terceira loja em maio, em Cordeiros, passou a aceitar outros cartões de créditos além do da rede e oferecer inovações que facilitam a vida do consumidor e tornam o tempo gasto nas compras mais agradável.


Mas a pergunta que não quer calar: quem oferece o melhor preço? Acompanhe a seguir a pesquisa de preços de 30 itens básicos não perecíveis.

A pesquisa

O DIARINHO coletou os preços nos dias 14 e 15 de setembro nos estabelecimentos: Fort (centro), Komprão (Ressacada), Maxxi (São Vicente), Atacadão (Cidade Nova) e Brasil Atacadista (Brava) - todos em Itajaí.

 


Na disputa pela melhor oferta quem ganha é o consumidor

Mercados fazem promoções para atrair clientes

Mercados fazem promoções para atrair clientes

 

Diferentemente da cesta básica do Dieese, o DIARINHO incorporou produtos que estão na dispensa da maioria das famílias e novas necessidades nutricionais, como grãos integrais. E também algumas “bobicinhas”, afinal, todo mundo tem direito a se deliciar com uma sobremesa no almoço de domingo ou assistir a filmes e séries comendo pipoca. Como cada estabelecimento tem parceria com fornecedores diferentes, foi coletado o menor preço de cada item, independentemente da marca, mas sempre com o mesmo peso.

Dos 30 itens pesquisados, quem ofereceu a maior quantidade de produtos pelo menor preço foi o Komprão (10), seguido do Fort (9). Brasil Atacadista e Atacadão ficaram com a medalha de bronze com seis produtos cada. E o Maxxi aparece na lanterninha com quatro produtos. A maior diferença foi constatada no milho de pipoca de 400g (185,87%), cuja marca mais barata custa R$ 2,69 no Komprão e R$ 7,69 no Maxxi. Outro item que apresentou variação de preço maior que 100% foi o achocolatado de 400g (167,22%), que pode ser encontrado no Maxxi por R$ 2,99, em contraste com a marca mais barata do Brasil Atacadista (R$ 7,99).

Outros produtos que apresentaram diferença significativa de preço foram: margarina 500g (72,68%), molho de tomate 300g (63,15%), arroz integral (63,29%) e sal (51,20%). Alguns produtos não apresentam tanta diferença de preço, mas pesam mais no orçamento doméstico por causa do volume consumido, como o leite. No levantamento do DIARINHO, a caixa com 12 litros variou 30,95%, com preços que oscilam entre R$ 45,36 (Komprão) e R$ 59,40 (Atacadão).


O leite UHT chegou a R$ 7 em julho e agora pode ser encontrado por menos de R$ 4. Para o engenheiro agrônomo Tabajara Marcondes, da Empresa de Pesquisa Agropecuária de SC (Epagri), o que mais pesou no preço, além da entressafra de inverno, foi a diminuição de oferta. No primeiro semestre, a produção nacional caiu 8,8% provocada pela estiagem de 2021, que diminuiu a safra de grãos, necessários para a alimentação dos animais.  Em 2021, o Brasil produziu 25,12 bilhões de litros de leite, cerca de 500 milhões a menos que 2020.

 

Cesta básica foi criada no regime militar para definir valor do salário mínimo

Leite UHT chegou a R$ 7 em julho, mas agora pode ser encontrado por menos de R$ 4. Leite condensado também teve redução nos preços

Leite UHT chegou a R$ 7 em julho, mas agora pode ser encontrado por menos

de R$ 4. Leite condensado também teve redução nos preços

 

Leite UHT chegou a R$ 7 em julho, mas agora pode ser encontrado por menos de R$ 4. Leite condensado também teve redução nos preços

Leite UHT chegou a R$ 7 em julho, mas agora pode ser

encontrado por menos de R$ 4. Leite condensado também teve redução nos preços

 

 

Apesar da mudança dos hábitos alimentares dos brasileiros ao longo do tempo, a lista de produtos da cesta básica analisada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) se mantém com 13 itens, nas seguintes quantidades por pessoa: carne (4,5kg), leite (6l), feijão (4,5kg), arroz (3,6kg), pão francês (6kg), trigo (3kg), batata (6kg), tomate (12kg), café (300g), banana (7,2kg), açúcar (3kg), óleo (750g) e manteiga (750g).

O supervisor técnico José Álvaro Cardoso disse que isso se deve às origens da criação do salário mínimo, em 1978, ainda durante a ditadura militar. “Para não ter distorções regionais, preferimos manter a metodologia original, que calcula o custo dos alimentos para uma família de quatro pessoas ao longo de um mês, a fim de criar políticas públicas que adequem as necessidades básicas ao valor do salário mínimo”, explica.

Gastos com alimentação

Segundo os dados de agosto, em Florianópolis, uma família gasta cerca de R$ 6298 só com alimentação, mais de cinco vezes o valor do atual salário mínimo (R$ 1212).

José conta que, apesar dos alimentos estarem com os preços nas alturas, em agosto alguns itens começaram a cair após a entressafra, como é o caso do leite (abril-julho), que acumulou alta de 71,62% em 12 meses.

Já o preço da banana, no último ano, aumentou 36%. Mas no caso da carne, a alta foi abaixo da inflação: 7%. “É a velha relação entre oferta e procura. Se as pessoas não têm condições de comprar carne, a oferta aumenta e o comerciante segura o preço.  Com o empobrecimento das famílias, muitas delas na informalidade, há mais procura por proteínas baratas, como carcaça de frango e ovos”, acrescenta.

 

 




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






44.200.136.171

Últimas notícias

JUSTIÇA

Desembargadores aprovam retorno de Gallo ao Tribunal de Justiça

Reta final 

ATAQUES: Professora abre notícia-crime contra vice-prefeito; governador acusa Jorginho de "esquema"

ELEIÇÕES 2022

Acessibilidade e mobilidade serão prioridades para Marcelo Werner

ITAJAÍ

Sede da Marinha é denunciada por encontros barulhentos em Cabeçudas

Brindando à vida

Jovem retorna ao Marieta 18 anos após ter sua vida salva no hospital

Sucesso internacional

Diretor de Hollywood está em BC para filmar nova atração do Aventura Pirata

LEGADO DA COPA

Balneário Camboriú vai ganhar centro de treinamento da CBF 

INSEGURANÇA

Correção: furto de carro aconteceu no centro de Itajaí

Cobertura milionária

Reunião entre Cristiano Ronaldo e executivos da FG confirma negociação de cobertura em BC

Tráfico internacional

Correção: carga de 293 kg de cocaína foi encontrada no Porto de Navegantes



Colunistas

JotaCê

Moisés acusa Jorginho Mello de rolo em contrato

Coluna Esplanada

Hackers em ação

Clique diário

Essência da cidade

Canal 1

Parte dois

Gente & Notícia

No clima das festas de outubro

Direito na mão

INSS convoca segurados para novo “pente-fino”: aposentadorias, auxílios e benefícios por incapacidade estão na mira de corte

Coluna Exitus na Política

A órbita eleitoral

Jackie Rosa

Show de Armando

Na Rede

Confira as notícias que foram destaque nas redes do DIARINHO

Coluna do Janio

Aposta alta

Coluna do Ton

Fiori

Via Streaming

“Estrelas Além do Tempo”

Coluna Fato&Comentário

Arnaldo Brandão: centenário do escritor de Itajaí

Vinicius Lummertz

SC: propostas para o debate sobre o futuro

Artigos

Marco do sesquicentenário do município destruído

Instituto Ion | Informando e Inovando

Um ano de Informando e Inovando

Coluna Tema Livre

Cuidado com os candidatos



TV DIARINHO


Entrevistão com Esperidião Amin - Candidato à Governador de Santa Catarina pelo PP





Especiais

ENTREVISTA

“Já atingimos ponto de não retorno” em algumas regiões da Amazônia, diz pesquisadora

ELEIÇÕES 2022

Partidos em Santa Catarina receberam quase R$ 194 milhões

ELEIÇÕES 2022

Confira quanto cada candidato da região recebeu do fundão eleitoral

Pesquisa DIARINHO

Preço da carne pode variar até 145%

Cidade histórica

São Chico tem o charme de 518 anos



Blogs

Blog do JC

Juliana lasca que na câmara de BC, tem representantes da banda podre na política. Credo!

A bordo do esporte

Circuito Paulista de Verão marcado pelo equilíbrio no Speed Park

Blog do Ton

Zezé Di Camargo & Luciano aterrissam em outubro no Expocentro BC

Blog Doutor Multas

5 golpes comuns que você deve ficar atento ao comprar um carro

Blog da Jackie

Spring Party

Blog da Ale Francoise

Tá com tosse aí?

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Esperidião Amin

"Eu não quero colocar o Bolsonaro dentro da minha gaiola - que é o que alguns querem, ser o dono do Bolsonaro. Já foram até repreendidos por isso”

Décio Nery de Lima

"Vou retomar os investimentos que o Bolsonaro negou para Santa Catarina”

Jorginho Mello

"O candidato do presidente Bolsonaro é o Jorginho Mello”

Odair Tramontin

“O Partido Novo defende a privatização de tudo que for possível”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação