Matérias | Geral


Itajaí

ONG pede suspensão de pregão em Itajaí

Pro povo do Observatório Social, licitação tá cheia de erros

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

O pregão para a compra de um programa de computador por R$ 2,3 milhões, pela prefeitura de Itajaí, marcado para 29 de dezembro, não passou batido pelos olhares atentos do pessoal do Observatório Social. Ontem, representantes da ONG que fiscaliza o uso do dinheiro público protocolaram um pedido de impugnação da licitação.

O serviço de software que a prefeitura pretende contratar é do tipo big data e de “inteligência corporativa”, que vasculha informações sobre pessoas e empresas, cruza dados vindos de várias plataformas e origens e aponta estratégias de atuação. Os R$ 2,3 milhões previstos no pregão seriam para um serviço de 12 meses.

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


O serviço de software que a prefeitura pretende contratar é do tipo big data e de “inteligência corporativa”, que vasculha informações sobre pessoas e empresas, cruza dados vindos de várias plataformas e origens e aponta estratégias de atuação. Os R$ 2,3 milhões previstos no pregão seriam para um serviço de 12 meses.



Licitação tem problemas

De acordo com o empresário Paulo Sabatke, presidente do Observatório, o pregão contém vários problemas e vícios que ferem a lei de licitações e por isso tornam o processo irregular.

Um deles é exigir das empresas interessadas em prestar o serviço comprovação de qualificação técnica de que executou trampo similar de no mínimo 200 horas em até 12 meses.


A legislação, ressalta o documento entregue ontem à prefeitura, proíbe a exigência de comprovação de atividade ou de aptidão com limitações de tempo ou de época ou ainda em locais específicos que possam indicar direcionamento do processo.

Outro problema encontrado pelos técnicos do Observatório Social está na forma como a prefeitura vai medir e fiscalizar a execução do serviço. “Não há especificação qualquer que identifique a forma ou critério de medição do serviço prestado, circunstância esta que inviabiliza o acompanhamento e/ou auditoria das atividades, tornando-se impossível a verificação das validações e pagamentos”, alerta a entidade.

Os técnicos do Observatório Social ainda encontraram um erro no edital, que se refere à obrigatoriedade dos concorrentes em apresentarem um determinado percentual de soluções indicado no ‘termo de referência’ do processo. O problema é que os itens obrigatórios exigidos não constam no‘termo de referência’.

O que diz a prefeitura


A secretaria de Comunicação da prefeitura informou que até ontem à tarde a secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão ainda não tinha conhecimento do pedido de impugnação do pregão, feito pelo Observatório Social. “O pedido seguirá os trâmites legais e será analisado pela comissão competente, quando poderá se manifestar sobre a procedência ou não das alegações apresentadas”, concluiu a nota.

Programa é mais espião 
do que administrativo

Também ontem, contou Paulo Sabatke, esteve conversando pessoalmente com o prefeito Volnei Morastoni (PMDB) sobre os problemas do edital. “Ele disse que vai fazer uma avaliação, junto com o pessoal da retaguarda dele”, afirmou. E completou: “Mas deixou claro que pretende implantar um programa dessa magnitude, porque se vê sem um norte”.


O que o chefão do Observatório Social de Itajaí acha estranho, no entanto, é o que é exigido na licitação. “O programa é mais investigativo do que administrativo”, observa.

Paulo também questiona sobre haver soluções mais baratas para a implantação de um big data e de um programa de “inteligência administrativa”. “Não entendo porque ele não busca na própria Univali o desenvolvimento para um software que venha a ser útil e tenha um custo menor”, comenta.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






44.192.15.251

TV DIARINHO


Uma mulher, de identidade ainda não informada, morreu em um incêndio em Itajaí. O fogo começou por volta ...





Especiais

Caso Ilha de Marajó

Vereadora de Navegantes está entre os políticos que impulsionaram fake news sobre exploração sexual infantil

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

VIAGEM NO TEMPO

Museu do Carro traz nostalgia e diversão sobre o universo automotivo

NOVOS TEMPOS

SC é pioneira na promoção da mobilidade elétrica

PLANEJAMENTO URBANO

Camboriú vai investir mais de R$ 60 milhões em mobilidade



Blogs

Blog do JC

Mudou

A bordo do esporte

Thiago Pereira e Swim Floripa levam Troféu José Finkel para Floripa

Blog da Jackie

Verão, calor, quentura e mormaço

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação