Matérias | Geral


Itajaí

Velejadora mirim já descobriu a vocação náutica de Itajaí

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Quatro horas diárias velejando. Outras tantas dedicadas a ler, ouvir e conversar sobre o esporte que ama: a vela oceânica. Os olhos castanhos da jovem Carolina de Sá Copello parecem mais vivos ao falar da importância desta atividade náutica em sua vida, já que, desde 2005, seus dias foram dedicados ao contato com o rio e o mar. “Eu amo velejar. Desde a primeira vez que entrei num veleiro percebi que é o que mais gosto de fazer. Meu sonho é poder viver da vela, mas sei que é difícil, porque poucos apoiam esse esporte”, constata.


Se você passar no início da tarde pela avenida Beira-rio, em Itajaí, verá a garota de 14 anos se preparando pra mais um dia de treino no Saco da Fazenda, talvez analisando de que lado vem o vento ...

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






Se você passar no início da tarde pela avenida Beira-rio, em Itajaí, verá a garota de 14 anos se preparando pra mais um dia de treino no Saco da Fazenda, talvez analisando de que lado vem o vento. O sonho de Carol é o mesmo de muitas outras crianças que frequentam as aulas de vela e remo da associação Náutica de Itajaí (ANI): poder crescer velejando e, quem sabe um dia, disputar uma Volvo Ocean Race (VOR) ou as Olimpíadas, por exemplo. No entanto, a menina luta contra diversos obstáculos pra alcançar seu sonho. “A nossa estrutura não ajuda muito, os barcos também não, o apoio nunca chega. Mesmo assim, eu não vou desistir”, bate o pé.

Pra Carol, a vela é diferente de qualquer outro esporte. Ex-praticante de handebol, futebol e vôlei, a garota diz que nos barcos a paz e uma energia positiva são companhias constantes do velejador. Experiente pra sua idade, as medalhas, os títulos e as viagens são uma prova do talento que necessitaria de apoio pra poder se firmar e alçar voos mais altos. “A ANI é o único lugar que temos pra treinar, só que nem aqui nós temos boas condições pra praticar o esporte”, cobra.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.236.50.79

TV DIARINHO


Confira os destaques desta terça-feira



Podcast

Minuto DIARINHO 17/05/2022

Publicado 17/05/2022 22:27



Especiais

febre entre jovens

Uso de Cigarros eletrônicos acende alerta

Revitalização

Nova orla da Brava está em fase de projeto

Praia Brava

Novo acesso, através de Cabeçudas, será urbanizado

Praia Brava

Duplicação da Osvaldo Reis deve facilitar ligação com BC

Praia Brava

Via polêmica atrás da Lagoa do Cassino está em pauta



Blogs

Blog do JC

Candidatos daqui

A bordo do esporte

Boxing For You confirma Sportv, Combate e BandSports ao vivo no dia 29/05

Blog Doutor Multas

Especialista garante que dinheiro ‘físico’ vai acabar e criptomoedas estão com dias contados

Blog do Ton

Sócias de Brusque inauguram franquia da Hausz na cidade

Blog da Ale Francoise

Enema de café e suas funções

Blog Clique Diário

Itajaí - Navio - Panorama

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW



Entrevistão

José Evaldo Koch

“O hortifruti é nosso berço”

Laerte Jacomel

"Estamos buscando o que todo mundo busca: paz de espírito”

Édison Carlos

“100 milhões de brasileiros não têm coleta de esgoto”

Walter Orthmann

"Quero ser útil enquanto eu puder”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯