Matérias | Geral


Itajaí

Estudar muito pra ter emprego garantido; tem quem viva pra isso

Fernando, há um ano, se dedica só aos estudos: “Quero ser delegado da polícia Federal”

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]


Por Raffael do Prado


raffael@diarinho.com.br

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

OU

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


raffael@diarinho.com.br



Fotos: Felipe Schürmann


Faz um ano que Fernando Piccoli, 32 anos, dedica manhã, tarde e noite para os estudos. Todo esse esforço, acredita, será recompensando com um salário em torno de R$ 12 mil. A meta de Fernando é passar no concurso para delegado da polícia Federal. O edital da prova, contudo, ainda nem foi lançado, mas ele acredita que a preparação antecipada vai ser decisiva para garantir a vaga. “Eu me sinto preparado. Mas o que manda é a hora da prova”, aponta.

Fernando já sentiu o gostinho em ser aprovado em concurso. Em 2005, recém-formado em direito, ele concorreu a uma vaga de soldado da polícia Militar de Santa Catarina. Estava no auge dos estudo e foi aprovado com folga. Aí, bateu a dúvida: tomar posse ou continuar focado nos livros para uma prova em nível federal, com salário até cinco vezes maior? “Fiquei balançado e naquela época optei por assumir a vaga”, recorda.


A decisão levou em conta o momento que vivia. Os pais estavam com dificuldades financeiras e ele ajudou com o que pôde. Ficou cinco anos como soldado em Florianópolis e mais dois em São Miguel do Oeste, cidade onde nasceu e onde mora a família.

Nesses sete anos de polícia Militar, Fernando alimentou a ideia de ser policial federal. Por isso, nunca parou de estudar. “Mas eu tinha que ler junto com o trabalho e outras obrigações. Não rendia como eu queria”.

Fernando tomou uma decisão corajosa: largar o emprego e dedicar todo tempo disponível para os estudos. Foi o que fez, ano passado. Do tempo de PM, conseguiu juntar uma grana boa e mudou-se para Balneário Camboriú. Ele mora em um apartamento emprestado de um amigo lá do Oeste.

Rotina regrada

O estudante acorda às 6h30 e vai para a academia. O teste físico é uma das etapas do concurso da polícia Federal. Uma hora depois, volta pra casa. “Leio até às 11h30”.


À tarde, a dedicação é total aos cursos online em que está inscrito (confira na página ao lado um guia com o endereço de alguns cursos). Ele assiste à aulas das mais variadas disciplinas: língua portuguesa, direito constitucional, processo penal, raciocínio lógico, inglês e outros.

À noite, enfrenta quatro horas de aula presencial no Morgado Concursos, em Itajaí. “A estafa mental é grande. Meu sonho é ser delegado da Polícia Federal. E eu sei que corro o risco de passar em um concurso com salário menor até lá e desistir de tudo, como fiz em 2005. A vida de concurseiro algumas vezes nos decepciona. Mas tenho a sorte de contar com a ajuda da minha família”, destaca.

Ah, e se você acha que Fernando tem folga aos finais de semana, está muito enganado. Os sábados e domingos são dedicados inteiramente à prática de exercícios de provas anteriores e simulação de redações.

Concursos abertos


Nacionais

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): salário de até R$ 4210,49

Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan): salário de até R$ 8,3 mil

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior: salário de até R$ 3980,62

Supremo Tribunal Federal (STF): salário de até R$ 7506,55

Estaduais

Bombeiros (153 vagas até R$ 3347,28)

Epagri (90 vagas até R$ 5996,83)

Polícia Militar (500 vagas até R$ 2910,31)

“É quase uma mensalidade de faculdade”, diz concurseira sobre gasto com livros e cursinhos

A assessora jurídica Jaqueline Santos, 27 anos, é casada, mora em Balneário Camboriú e trabalha das 11h30 às 19h no fórum de Balneário Piçarras. Formada em direito pela Univali, Jaque está focada em garantir uma vaga de analista judiciária no Tribunal de Justiça de Santa Catarina. O salário gira em torno dos R$ 7 mil e ela tem na ponta da língua o que a motiva a estudar todos os dias: “Eu busco estabilidade”.

Diferente de Fernando, Jaque tem que dividir o dia entre o trabalho, estudos e a casa. “Ano passado, eu não fazia cursinho. Estudava em casa, das 6h às 9h e depois ia para o trabalho”, relata.

Contudo, faltava qualidade nos estudos. Desde março, então, ela está matriculada da LFG, em Balneário Camboriú, num curso intensivo voltado para o TJ. “Na verdade, serve para qualquer TJ do país. As disciplinas são as mesmas”.

Investimento

Manter uma vida de concurseiro não é fácil: livros, cursos online, presenciais, taxas de inscrições, impressões. Jaque investe mais de R$ 500 por mês. “Você acaba percebendo que é preciso investir dinheiro em bons livros e cursinhos. É um diferencial e tanto”, destaca.

“Passei, mas quero mais”

Mateus Câmara, 27, é funcionário do Banco do Brasil em Brasília. Ele foi aprovado há cinco anos pra preenchimento de vaga em São Paulo. Ficou na Terra da Garoa por três anos, quando conseguiu transferência pra capital federal, onde nasceu. Ele não revela o salário e destaca que Brasília é uma cidade “muito cara”. Por isso, Mateus não parou de estudar desde que foi aprovado. Gostou da área bancária e está focado no Banco Central, onde os salários podem chegar a R$ 18 mil por mês.

“Invisto parte dos meu salário em cursinhos e livros. Tenho meus momentos de lazer, mas mantenho foco no meu objetivo, que é ganhar mais”, completa.

“Ideia de funcionário público folgado é atrasada”, avalia professor

Luís Gustavo dos Santos, o Guto, é especialista em direito e organizações públicas e privadas. Tem ainda o título de mestre em ciências jurídicas pela Univali, onde dá aula de direito civil e prática civil. Para ele, não existe fórmula correta pra estudar. O importante, frisa, é saber o usar o tempo que tem, trabalhando ou não. “Tem gente que estuda, oito, 10 horas por dia. Eu não gosto desse esquema, mas é muito particular. Imagino que estudar duas horas por dia, bem distribuídas e focadas, surtiria um efeito melhor”, aposta Guto.

Mas ele acredita que muito mais do que escalonar o tempo é preciso desenvolver outras habilidades. “Conta muito a capacidade do aluno em estudar com atenção as disciplinas que vão cair na prova e o grau de dificuldade também. É preciso focar nas mais cobradas”.

Ele é sócio do Morgado Concursos e explica que o foco do negócio são os cursos para a área jurídica. “Mas temos ainda cursos esporádicos de língua portuguesa e matemática, muito cobrados. E, eventualmente, para as carreiras bancárias”, diz.

Na visão do professor, a cultura de concurseiro ainda está engatinhando em Itajaí. “É diferente de Florianópolis, por exemplo. A cidade respira concurso público, tem muita oferta de cursos e gente demais estudando. Itajaí vem despertando para os concursos”.

Estabilidade = folgação?

É comum que as pessoas de fora deste círculo de concursos acredite que os funcionários públicos são folgados e pouco preocupados com o serviço. Já pro professor Guto, essa mentalidade mudou. “Hoje, exige-se tanto do serviço público quanto da iniciativa privada. O que as pessoas vêm buscando é uma tranquilidade financeira, ainda mais se levarmos em consideração que a nossa economia não nos dá tranquilidade na iniciativa privada”, avalia.

Na internet, você encontra diversos cursos e provas

PCI Concursos

É um dos principais sites com conteúdo 100% grátis. Tem provas anteriores da maioria das bancas organizadoras, notícias atualizadas, aulas em vídeo e mais de 100 exercícios

pciconcursos.com.br

Eu Vou Passar

É um dos queridinhos dos concurseiros porque tem professores exclusivos e chat para tirar dúvidas. O conteúdo é pago, mas o valor compensa o benefício. A mensalidade custa R$ 40 e o estudante tem acesso a um acervo imenso de vídeos

euvoupassar.com.br

Estratégia Concursos

“Cada pessoa tem um jeito próprio de estudar e de aprender!” Essa é a principal propaganda do site. Todo conteúdo é pago e são oferecidas apostilas em PDF, produzidas por professores exclusivos, numa linguagem “falada”, tornando o curso “quase presencial”

estrategiasconcursos.com.br

Ponto dos Concursos

O curso é sediado em Brasília e oferece cursos online, em vídeo e em PDF. O chamariz é uma livraria exclusiva, com apostilas e livros por provas e disciplinas. Um curso de português, por exemplo, sai por R$ 135

pontodosconcursos.com.br

Alfa Concursos

O curso foi criado com a finalidade de proporcionar ao aluno o estudo à distância na modalidade EAD. Dessa forma, surgiu um novo conceito na preparação para concursos: a escola para concursos públicos. O Alfa foca nas carreiras militar, policial, tribunal, fiscal e bancária

alfaconcursos.com.br

You Tube

Mas se você ainda não tem cacife pra bancar um cursinho online, fique esperto que no Youtube tem milhares de videoaulas, muitas com mais de uma hora de duração. E o melhor, tudo na faixa




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






3.238.112.198

Últimas notícias

Foragido

Preso em Porto Belo homem que matou duas pessoas e baleou outras quatro 

ITAJAÍ

Navio da Marinha atraca em Itajaí para levar doações ao RS

POLÊMICA

Pastores da Bola de Neve de Balneário Camboriú respondem a acusações de fraude 

Convocação

Itajaí terá 156 paratletas no Parajasc

CAMBORIÚ

Lar geriátrico pet adota cães velhinhos abandonados na enchente do RS

Futebol

Fernando Diniz renova com o Fluminense para 2025

Futebol Solidário

Com Cafu e Ronaldinho em campo, jogo no Maraca vai arrecadar dinheiro para os gaúchos

Itapema

Obra do píer de Itapema conclui fase de estacas

Últimos dias

Festival gastronômico do Brava Mall acaba na semana que vem  

Autorizado

Antaq libera Seara/JBS para tocar as operações no porto de Itajaí



Colunistas

JotaCê

Fabrício chamegou Bolsonaro em Brasília

Coluna Fato&Comentário

Associativismo comunitário em Itajaí: o começo

Coluna Esplanada

Trio de apostas

Via Streaming

Tudo pelo dinheiro

Ideal Mente

O desamparo da infidelidade

Show de Bola

Trocas de treinadores

Direito na mão

Recebeu auxílio-doença ou auxílio-acidente? Veja como se aposentar agora!

Coluna Exitus na Política

Um passeio nas cavernas

Na Rede

Morte de produtor, garotinho com orgulho do pai na enchente e mais: confira os destaques do DIARINHO

Artigos

O combate ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes é um compromisso coletivo

Jackie Rosa

Niver da Chris

Mundo Corporativo

A importância do equilíbrio da autoestima no mundo organizacional

Gente & Notícia

Níver da Margot

Coluna do Ton

Chegando de Mendoza

Histórias que eu conto

Armação da infância II

Foto do Dia

“O mar, quando quebra na praia”

Coluna Existir e Resistir

Designação geral sobre o fim do mundo



TV DIARINHO


Navio da Marinha vai levar doações de Itajaí para o Rio Grande do Sul. A comunidade pode ajudar levando ...





Especiais

DADOS INÉDITOS

Em meio ao lixo das chuvas no Rio Grande do Sul, catadores não conseguem trabalhar

NÚMEROS

No Brasil, 3 a cada 4 vivem em cidades com mais risco de desastres por chuvas

DADOS

Exportação de armas de fogo dobrou durante os anos Bolsonaro, revela levantamento inédito

NA ESTRADA

BC oferece rolês gastronômicos, culturais, de compras e lazer

RIO GRANDE DO SUL

São Leopoldo: a cidade gaúcha onde quase todos perderam o lar



Blogs

Blog da Jackie

Reserva Royal

Blog do JC

CREA-SC homenageado em BC

A bordo do esporte

Terceira edição do Troféu Ayrton Senna de Kart celebra 30 anos do legado do ídolo

Blog da Ale Francoise

A pílula da felicidade

Blog do Ton

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Vilfredo e Heloísa Schurmann

"Nós reciclamos só 6% no Brasil. Na Europa já é 50%. A própria China já está com 35% de reciclagem” (Vilfredo)

João Paulo

"Essa turma que diz defender a família ajudou a destruir a boa convivência em muitas famílias. Na defesa de um modelo único, excludente"

Entrevistão Peeter Grando

“Balneário Camboriú não precisa de ruptura, mas de uma continuidade”

Juliana Pavan

"Ter o sobrenome Pavan traz uma responsabilidade muito grande”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação