Colunas


Coluna Exitus na Política

Por Sérgio Saturnino Januário - pesquisa@exituscp.com.br

Chagas do voto


A Idade Média [séc. V-XV] foi marcada pela combinação de religião, medo e política. O conceito de futuro que conhecemos e usamos hoje tivera outro sentido. No período medieval o tempo era instância divina e o medo propagado pelos líderes religiosos como forma de manter os viventes medievais sob tutela dos superiores “espirituais”. Como mandatários divinos e como os mais próximos da “pureza celestial”, líderes religiosos eram os responsáveis pela interpretação do mundo humano, suas fragilidades e suas culpas, seus erros e seus pecados. Figuravam como os “Olhos de Deus” na terra. A Inquisição fora o modelo institucionalmente organizado para “oferecer” aos humanos tementes à Deus a purificação pelo sacrifício e tortura: penalizar o corpo e salvar as almas.

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





De todos era exigida a cumplicidade de denunciar quaisquer elementos que, combinados, formavam a “inspiração demoníaca” e a representação de todo o mal que nos condenaria como humano e como sociedade. As pestes e enfermidades coletivas eram o estopim para gravar, como expressão da revolta divina, os comportamentos malignos das pessoas. Viver na sociedade era evitar suspeitas, gatos pretos, usos profanos e impiedosos para se fazer o mal.

A Política e o sistema de controle da Idade Média residiam dentro da cabeça das pessoas, assustadas e fragilizadas pelas possibilidades de o mal se instalar em seus corpos e em seus pensamentos. O medo psicológico sobre as coisas era o fantasma que assegurava controle, docilidade e servilidade. Não há, nestes tempos de trevas, autonomia de pensamento, apenas repetição de estribilhos de medos.

A Idade Moderna [séc. XV-XVIII] marcou a transição do feudalismo para o mercantilismo, período das grandes navegações e da descoberta e ocupação de novos territórios. O Iluminismo [“dê-me uma luz”, uma razão] revela transformações culturais e conceituais na vida das pessoas e coloca sob manejo humano o futuro desejável. Libertos, em boa parte, do medo, expressões como futuro, esperança, planejamentos foram alocadas como tarefas humanas e sociais. As liberdades de escolhas [mesmo que dentro de “cardápios” sociais e políticos] e a sensação de se poder construir o futuro, são os principais marcos da “Revolução Moderna” da História Humana. Há vitórias psicológicas por racionalidade lógica e liberdade de pensamento!

Passamos a depender mais de nós mesmos e de nossas práticas, a colocar o homem como responsável por suas opções. A punição vem de nossos atos. Delegamos para sistemas constitucionais os processos de julgamentos, sanções e de mercado conforme sistema de leis previamente escritas e antecipadamente interpretadas [acórdãos]. Leis, Juiz e Acusador estão separados. O medo do futuro e das vinganças divinas fora alterado para o julgo humano em organizações políticas e instituições sociais vigorosas, interdependentes, autônomas e estáveis. Vive-se melhor assim!

Na Idade Média havia apenas um sistema de controle e punições, de acusações e “purificações”. O “bem” estava “beatificado” na Centralização do Poder [hoje Ditadura]: modelo para subordinação servil e opressiva. A Idade Moderna afastou os desejos do rei como imposição aos comportamentos dos cidadãos [Democracia]. As instituições poderiam oferecer justiça e bem-estar em nome do coletivo. Mas, por vezes, somos medievais, especialmente quando “o melhor meio de apreciar o chicote é ter-lhe o cabo na mão” [Quincas Borba, Machado de Assis], instrumento comum na escravidão! Hoje, voto e medo caminham de mãos dadas!


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Exitus na Política

O dono da política

Coluna Exitus na Política

A estupidez e o juiz do mundo

Coluna Exitus na Política

Alucinação política

Coluna Exitus na Política

A política, o pênalti

Coluna Exitus na Política

Legitimidade em transe

Coluna Exitus na Política

A liberdade do tempo

Coluna Exitus na Política

Futebol sem bola e sem goleiro

Coluna Exitus na Política

Lágrimas retidas

Coluna Exitus na Política

O divã para voar

Coluna Exitus na Política

A escravidão do pensamento

Coluna Exitus na Política

Imutável res-sentimento

Coluna Exitus na Política

Heróis, tolos e votos

Coluna Exitus na Política

A política de “Ícaro”

Coluna Exitus na Política

A cara no espelho

Coluna Exitus na Política

A órbita eleitoral

Coluna Exitus na Política

O gênero da política

Coluna Exitus na Política

O medo e a vulgaridade

Coluna Exitus na Política

Um lugar desconhecido

Coluna Exitus na Política

Uma torneira na cabeceira da cama

Coluna Exitus na Política

O poder sem face



Blogs

Blog do JC

The Ocean Race

A bordo do esporte

Regatas do Brasileiro de Snipe 2023 agitam a raia de Jurerê, em Floripa

Blog da Ale Francoise

Moringa para imunidade

Blog Doutor Multas

O que o exame toxicológico consegue detectar?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Evandro Neiva

"Vila da Regata de Itajaí vai atrair mais de meio milhão de visitantes

Luíza Moreira

"Meu avô tinha uma marca de ferro na coxa. Hoje em dia eu me revolto ainda por causa da escravidão, porque ainda tem muito preconceito”

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

TV DIARINHO

PROIBIDO ESTACIONAR! O principal acesso à praia do Cascalho, em Penha, voltou a ser palco do desrespeito ...




Especiais

Pesquisa de preços 

Sorvetes apresentam diferença de até 50,62% nos principais supermercados

80 ANOS

Sorveteria Seara chega à quarta geração unindo receitas de família e novas tendências

NA ESTRADA COM O DIARINHO

Sete dicas pra curtir Balneário Camboriú num fim de semana 

Dia no mar

O que levar para uma refeição perfeita al mare

Deixa o vento me levar

Veleiros alugados navegam com grupos para alto-mar



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação