Matérias | Geral


Transmissão

SC tem 21 casos de varíola dos macacos

Balneário Camboriú teve o primeiro caso confirmado da doença na sexta-feira; Floripa é a cidade com mais casos

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

A Secretaria de Estado da Saúde já confirmou que há transmissão comunitária da doença, o que gera uma grande preocupação por parte das autoridades sanitárias (Fotos: Divulgação)


Santa Catarina chegou a 21 casos confirmados de varíola dos macacos, sendo 20 homens e uma mulher. O número foi divulgado no último sábado pela Vigilância Epidemiológica (Dive) e a maior parte dos casos [nove] foram registrados entre moradores de Florianópolis.

Blumenau e Joinville têm três casos registrados em cada município. Abelardo Luz, São João Batista, Balneário Camboriú, São José, Busque e Leoberto Leal têm um caso registrado em cada cidade ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


Blumenau e Joinville têm três casos registrados em cada município. Abelardo Luz, São João Batista, Balneário Camboriú, São José, Busque e Leoberto Leal têm um caso registrado em cada cidade.

Segundo a Dive, Balneário Camboriú teve o primeiro caso de varíola dos macacos confirmado na sexta-feira. A pessoa infectada é um homem, de 35 anos, que não tem histórico de viagem. Os primeiros sintomas do paciente dataram em 14 de julho, e sua primeira consulta foi feita no dia 24 de julho.



A secretaria de Saúde de Balneário reforça que a população procure atendimento nas Unidades Básicas de Saúde da cidade imediatamente em caso de febre, lesões na pele e dor de cabeça, que são os principais sintomas da doença.

Transmissão comunitária

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou que há transmissão comunitária da doença, o que gera uma grande preocupação por parte das autoridades.


O médico infectologista e coordenador do curso de Medicina da Univali, Pablo Sebastian Velho, diz que “em se tratando de doença transmissível por diferentes vias, era esperada a sua chegada entre nós”.

Nesse sentido, segundo Pablo, a vigilância epidemiológica do estado municiou os municípios com informações, de modo que as equipes estejam ao mínimo capacitadas pro reconhecimento ou suspeita e, assim, darem o devido encaminhamento para a devida investigação.

Embora a doença seja menos letal e com uma taxa de transmissibilidade bem inferir a da Covid-19, a possibilidade de surto no estado é eminente, uma vez que a transmissão é por contato íntimo, o que não quer dizer que o contágio se dê necessariamente pela relação sexual.

“Não existem grupos de risco e sim pessoas com comorbidades e, portanto, maior possibilidade de desenvolver casos mais graves da doença”, explica o pediatra e infectologista Raphael Alexandre de Paiva Bertacchini.

Entre os grupos com comorbidades estão pessoas imunodeprimidas, obesos, portadores dos diabetes tipo 1 e 2, além de pessoas com doenças autoimunes.


Há ainda uma grande preocupação com as gestantes e crianças recém-nascidas, uma vez que não se tem conhecimento dos impactos da doença nestes grupos. “É provável que daqui em diante os números aumentem de maneira expressiva, enquanto aguardamos a disponibilização de vacinas para os grupos mais vulneráveis”, acrescenta Pablo.

Entenda a contaminação

Raphael Bertacchini explica que o contágio ocorre por contato com pessoas infectadas, seja por proximidade com as lesões, como por fluídos corporais, gotículas respiratórias, materiais contaminados e compartilhamento de roupas de cama.

Apesar do nome, os principais hospedeiros desse vírus na natureza são roedores e os primatas não humanos também são afetados por esse tipo de varíola. De modo geral, os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, gânglios ou ínguas, calafrios e exaustão.


Entre um e três dias após o aparecimento da febre, o paciente desenvolve uma erupção cutânea, geralmente começando no rosto e se espalhando para outras partes do corpo. A doença geralmente dura de 2 a 4 semanas.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






3.239.112.140

Últimas notícias

Bora lá

Doe um quilo de alimento ou um produto de limpeza e ganhe uma muda de árvore nativa

Fim de semana de trabalho

Brusque continua força tarefa para recuperação da cidade após chuva

Santa Catarina

Santo Amaro da Imperatriz tem acessos liberados depois de interdição de cinco horas

SUSTO

Pilota de parapente cai em árvore na orla de Cabeçudas

Cultura

Festival de Teatro Primo Atto faz apresentações neste sábado em BC

Previsão do tempo

Sábado vai ser de calor, mas podem rolar chuva, vento e até granizo

Olho nas estradas

Trecho da BR-282 em Santo Amaro e Rancho Queimado continuam bloqueados

NAVEGANTES

Buscas por bombeiro desaparecido continuam

FIM DE UMA ERA

Loja Pavan deixa Itajaí após meio século de história 

Amfri

Justiça federal marca audiência sobre "estrangulamento” da BR 101



Colunistas

JotaCê

Reitor não quer ser prefeito

Na Rede

Confira o que bombou nas redes sociais do DIARINHO

Via Streaming

“Rainha de Katwe”

Foto do Dia

Entrada da Barra

Jackie Rosa

Mulherada reunida

Canal 1

Aceita que dói menos: mulheres ocupam merecido lugar no esporte

Coluna Esplanada

Tereza e Marinho

Clique diário

O colorido fim de tarde em Itajaí

Vinicius Lummertz

SC do futuro: nas BRs, 2023 pode ser pior do que 2022

Gente & Notícia

Família Koch na Copa

Direito na mão

O que acontece se a empresa não pagou o INSS do funcionário? Como fica a aposentadoria?

Coluna do Janio

Marinheiro no mercado

Coluna Exitus na Política

Futebol sem bola e sem goleiro

Coluna do Ton

Mãe & Filha

Coluna Fato&Comentário

Alvim Sandri: "História de vida", aos 99 anos

Artigos

Não queremos viver numa pátria dominada pela bandidagem



TV DIARINHO


Entrevistão com Alvin Sandri



Podcast

Entrevistão com Alvin Sandri

Publicado 03/12/2022 10:10



Especiais

OLHO NA DOSE

Pesquisa de preço mostra onde bebidas quentes são mais baratas

Na Estrada com o DIARINHO

Maravilhas naturais fazem de Bombinhas o Caribe catarinense

Itajaí

Do imóvel popular ao de altíssimo padrão são as apostas da Lotisa

Alto padrão

Procave agrega valor e exclusividade

Itajaí

Mercado da Brava continua em crescimento



Blogs

Blog do JC

Quadrangular 71 anos

A bordo do esporte

Volta ao Mundo Globe40 parte para a Argentina

Blog Doutor Multas

Fumar e dirigir dá multa?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Ale Francoise

Os poderes da Spirulina!

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

James Winter

“Só vai haver desemprego e demissão em massa se não tiver carga aqui no Porto de Itajaí”

Décio Lima

"Hoje, de R$ 97 bilhões que são arrecadados pelo governo federal em Santa Catarina, apenas R$ 7 bilhões voltam”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação