Matérias | Geral


Transporte por aplicativo

Uber exclui motoristas por viagens canceladas

Segundo empresa, 1600 parceiros foram banidos da plataforma no país

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Segundo a Uber, estão sendo excluídos aqueles que têm números excessivos de cancelamentos. Divulgação


Cerca de 1600 motoristas de aplicativo da Uber, incluindo trabalhadores que atuam na região de Itajaí e Balneário Camboriú, foram excluídos da plataforma por cancelamento de corridas e escolha das viagens mais vantajosas. A expulsão é questionada por entidades e trabalhadores, que não tiveram direito de defesa prévia.

A empresa havia sido acusada, pela associação dos Motoristas de Aplicativos de São Paulo (Amasp), de excluir mais de 15 mil motoristas parceiros no país. Inicialmente, a Uber não tinha contestado o número, mas, depois, confirmou o banimento de 1,6 mil motoristas pelo excesso de cancelamentos.

Em nota, a associação considerou que, mesmo com a revisão, o número de excluídos ainda é “absurdo”. “São 1.600 novos desempregados no Brasil, pais de famílias com dívidas a pagar com investimentos feitos para trabalhar pela empresa, 1.600 consumidores que deixam de acalorar a economia em postos de combustíveis, oficinas, supermercados, etc”, criticou.



A empresa não respondeu sobre a expulsão de motoristas que atuam na região de Itajaí. Segundo o líder da mobilização Nacional dos Motoristas de Aplicativo, Marcelo Vaz, que faria um levantamento dos casos, ao menos um motorista está entre os expulsos da plataforma. Ele avalia as exclusões como uma “decisão arbitrária” contra a qual cabe ação na justiça.

Para ele, os motoristas não poderiam ser banidos pela escolha da corrida que se quer fazer. “Uma vez que, nos termos de condições e uso da plataforma, não reza claramente sobre a questão, e a legislação brasileira sobre aplicativo de mobilidade urbana (Lei 13640) fala que os motoristas parceiros são autônomos”, explica.

Marcelo ressalta que o motorista precisa aceitar ou não a corrida logo após receber a solicitação, mas o que motivou os cancelamentos da Uber foi o parceiro aceitar a corrida e depois cancelar. “Isso se dá pelo fato de o motorista estar submetido a uma política de subordinação do trabalho, pois a plataforma impõe medições de aceitação e desempenho”, diz.


Ele afirma que, na medida pela exclusão, não há nenhum direito de defesa por parte dos motoristas, assim como todos os banimentos feitos por qualquer outro motivo assegurado pela constituição. “A Uber do Brasil fere nossa Constituição Federal, cerceando o direito de ampla defesa e do contraditório do motorista brasileiro”, completa.

Motoristas consultados pelo DIARINHO divergem sobre a decisão. Um deles é novo na plataforma e avaliou que a empresa deveria ter dado um prazo de defesa antes de expulsar. “É uma decisão radical. Até um criminoso tem direito de defesa, quanto mais um trabalhador”, disse.

Outro motorista entende que os cancelamentos feitos por um impactam no trabalho de outros e desestimula os passageiros a usar o serviço. “Daí, a gente fica sem trabalho”, comenta. Para ele, o banimento é justo. “Se a pessoa não quer trabalhar, tem que sair da plataforma”, comentou.

Associação quer reintegração de motoristas

Entidades criticam aplicativo por “decisão arbitrária”


A associação, que representa os motoristas em São Paulo, luta pra que os trabalhadores consigam retornar à plataforma. O entendimento é que eles foram “arrancados” do trabalho sem aviso prévio e chance de defesa.

“Consideramos essas exclusões sumárias como uma afronta aos Nossos Motoristas, pois querem nos obrigar a fazer aquilo que não podemos fazer, que é pagar para o passageiro chegar no seu destino”, diz a nota.

Segundo a entidade, os motoristas estão escolhendo as corridas mais vantajosas pra ter lucro diante da alta acumulada de 51% no preço do combustível neste ano. A empresa anunciou, neste mês, um reajuste nos ganhos dos motoristas de até 35%.

Os trabalhadores reivindicam um reajuste maior porque o aumento ainda seria insuficiente pra compensar as perdas acumuladas, nos últimos anos, pela inflação e alta nos custos.


Diante da queixa de clientes por demora, valor das corridas e falta de carros, motoristas chegaram a “desenhar” a situação vivida pelos trabalhadores e colocar o aviso no banco do carro para os passageiros entenderem as dificuldades.

Excesso de cancelamentos

A exclusão dos motoristas ocorre após queixas dos usuários contra o cancelamento de corridas e maior tempo de espera nas viagens. Avisos do banimento de motoristas, divulgados na internet, mostram que, em um dos casos, 3.484 corridas foram canceladas entre 3.648 viagens feitas durante 30 dias. Em outro caso, foram 2.795 cancelamentos entre 3.017 corridas aceitas pelo motorista.

Em comunicado, a Uber diz que os motoristas são profissionais independentes e, assim como os passageiros, podem cancelar viagens quando acharem necessário. “Cancelamentos excessivos, ou para fins de fraude, porém, representam abuso do recurso e configuram mau uso da plataforma, pois atrapalham o seu funcionamento, e prejudicam intencionalmente a experiência dos demais usuários e motoristas”, informa.

Para a empresa, a prática de cancelar diversas corridas em seguida, após terem sido aceitas, também prejudica outros motoristas e gera maior tempo de espera para os passageiros ou até a desistência da viagem.

“A Uber tem equipes e tecnologias próprias que revisam, constantemente, as viagens e os cancelamentos para identificar suspeitas de violação ao Código da Comunidade e, caso sejam comprovadas, banir as contas envolvidas”, divulgou em nota. De acordo com a empresa, dos cerca de um milhão de motoristas parceiros, 0,16% tem comportamentos que prejudicam a plataforma.


 




Comentários:

Paulo Sérgio dos Santos

28/09/2021 07:58

Parabéns para a Uber , tem um monte de motorista que não aproveita a chance de levar o sustento pra casa , eu mesmo já até denunciei as tantas vezes que me deixaram plantado esperando ali no aeroporto de navega , se não querem corrida pequena , não sai de casa pra trabalhar , lembrem-se que do outro lado , tem alguém cansado de viajar , querendo chegar em casa , quase sempre sao 4 ou mais canceladas ali , ficam ainda perguntando : vai pra onde ? , Só querem corrida pra longe , turma de desocupados , uma vergonha , no desembarque ficam iguais a urubus na carniça , tem vários ali oferecendo pessoalmente corridas , vc chama no app eles cancelam , pois querem burlar o app e levar por fora , tá certa a Uber , tem que banir mesmo , os abençoados tem a chance de ganhar dinheiro e cagam tudo .

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






3.236.146.28

Últimas notícias

Bora lá

Doe um quilo de alimento ou um produto de limpeza e ganhe uma muda de árvore nativa

Fim de semana de trabalho

Brusque continua força tarefa para recuperação da cidade após chuva

Santa Catarina

Santo Amaro da Imperatriz tem acessos liberados depois de interdição de cinco horas

SUSTO

Pilota de parapente cai em árvore na orla de Cabeçudas

Cultura

Festival de Teatro Primo Atto faz apresentações neste sábado em BC

Previsão do tempo

Sábado vai ser de calor, mas podem rolar chuva, vento e até granizo

Olho nas estradas

Trecho da BR-282 em Santo Amaro e Rancho Queimado continuam bloqueados

NAVEGANTES

Buscas por bombeiro desaparecido continuam

FIM DE UMA ERA

Loja Pavan deixa Itajaí após meio século de história 

Amfri

Justiça federal marca audiência sobre "estrangulamento” da BR 101



Colunistas

JotaCê

Reitor não quer ser prefeito

Na Rede

Confira o que bombou nas redes sociais do DIARINHO

Via Streaming

“Rainha de Katwe”

Foto do Dia

Entrada da Barra

Jackie Rosa

Mulherada reunida

Canal 1

Aceita que dói menos: mulheres ocupam merecido lugar no esporte

Coluna Esplanada

Tereza e Marinho

Clique diário

O colorido fim de tarde em Itajaí

Vinicius Lummertz

SC do futuro: nas BRs, 2023 pode ser pior do que 2022

Gente & Notícia

Família Koch na Copa

Direito na mão

O que acontece se a empresa não pagou o INSS do funcionário? Como fica a aposentadoria?

Coluna do Janio

Marinheiro no mercado

Coluna Exitus na Política

Futebol sem bola e sem goleiro

Coluna do Ton

Mãe & Filha

Coluna Fato&Comentário

Alvim Sandri: "História de vida", aos 99 anos

Artigos

Não queremos viver numa pátria dominada pela bandidagem



TV DIARINHO


Entrevistão com Alvin Sandri



Podcast

Entrevistão com Alvin Sandri

Publicado 03/12/2022 10:10



Especiais

OLHO NA DOSE

Pesquisa de preço mostra onde bebidas quentes são mais baratas

Na Estrada com o DIARINHO

Maravilhas naturais fazem de Bombinhas o Caribe catarinense

Itajaí

Do imóvel popular ao de altíssimo padrão são as apostas da Lotisa

Alto padrão

Procave agrega valor e exclusividade

Itajaí

Mercado da Brava continua em crescimento



Blogs

Blog do JC

Quadrangular 71 anos

A bordo do esporte

Volta ao Mundo Globe40 parte para a Argentina

Blog Doutor Multas

Fumar e dirigir dá multa?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Ale Francoise

Os poderes da Spirulina!

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

James Winter

“Só vai haver desemprego e demissão em massa se não tiver carga aqui no Porto de Itajaí”

Décio Lima

"Hoje, de R$ 97 bilhões que são arrecadados pelo governo federal em Santa Catarina, apenas R$ 7 bilhões voltam”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação