Matérias | Especial


NAVEGANTES

Cluster da construção naval é aqui

INC tem capacidade para processar 100 toneladas de aço por mês e gera 100 empregos diretos

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

INC chegou a Navegantes há quatro anos para atender os setores marítimos e de navegação. (Foto: Divulgação)


A Indústria Naval Catarinense (INC) se instalou em Navegantes há cerca de quatro anos para atender a demanda da Internacional Marítima, empresa maranhense com mais de 30 anos de atuação na prestação de serviços para os setores marítimo e de navegação. A empresa constrói e repara embarcações de serviços (workboats), lanchas para o transporte de passageiros, rebocadores portuários, navios de apoio às plataformas de petróleo, ferry boats e barcos de pesca.

O estaleiro tem a capacidade de processar 100 toneladas de aço por mês e gera 100 empregos diretos. Número que deve triplicar nos próximos meses com o início da construção de duas embarcações de grande porte. “Passamos um ano e meio com pouca demanda em função da pandemia. Neste período executamos algumas obras de reparos navais em outros estados, como Minas Gerais, São Paulo e Bahia. Agora, no segundo semestre, a demanda de concorrências públicas aumentou bastante, com perspectivas de melhora para o setor”, destaca o diretor Josuan Moraes Júnior.

Otimista com a retomada do setor, o executivo pontua que o polo da construção naval que engloba Navegantes e Itajaí está consolidado e maduro. “Hoje temos o maior cluster de fornecedores, empresas terceirizadas e mão de obra especializada do país”, diz Josuan, destacando que em um raio de cem quilômetros os estaleiros de Navegantes e Itajaí têm a melhor metalmecânica do Brasil, com praticamente tudo que a indústria naval requer. “Com a indústria do petróleo retomando e com perspectivas de crescimento, nossos portos com demandas crescentes e a volta à normalidade pós pandemia, há expectativa de crescimento para o setor a partir de 2022”, ressalta.



Políticas públicas eficientes

Há 10 anos o país e o mundo viveram o boom da economia mundial e com a construção naval não foi diferente. Com a demanda forte da Petrobras, a alta demanda dos portos brasileiros e incentivo do governo federal, a indústria naval viveu seus melhores anos. Só que com a crise do petróleo o setor foi drasticamente atingido. Quadro que foi ainda mais agravado pela pandemia que assola o planeta. O setor se recupera aos poucos, mas sua retomada pode ser acelerada com políticas governamentais eficientes.

“A indústria, para ser competitiva, depende de encomendas perenes, e só se consegue isso com políticas de proteção de mercado que incentivem a produção nacional, sejam elas temporárias ou permanentes”, afirma Josuan, da INC. O executivo defende a manutenção do percentual de conteúdo nacional, incentivos tributários e linhas de financiamentos adequadas. Outro desafio elencado pelo diretor da INC é a formação de mão de obra qualificada para atender a demanda que se desenha, e preços mais baixos da principal matéria-prima, que é o aço.





Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






3.239.112.140

Últimas notícias

Bora lá

Doe um quilo de alimento ou um produto de limpeza e ganhe uma muda de árvore nativa

Fim de semana de trabalho

Brusque continua força tarefa para recuperação da cidade após chuva

Santa Catarina

Santo Amaro da Imperatriz tem acessos liberados depois de interdição de cinco horas

SUSTO

Pilota de parapente cai em árvore na orla de Cabeçudas

Cultura

Festival de Teatro Primo Atto faz apresentações neste sábado em BC

Previsão do tempo

Sábado vai ser de calor, mas podem rolar chuva, vento e até granizo

Olho nas estradas

Trecho da BR-282 em Santo Amaro e Rancho Queimado continuam bloqueados

NAVEGANTES

Buscas por bombeiro desaparecido continuam

FIM DE UMA ERA

Loja Pavan deixa Itajaí após meio século de história 

Amfri

Justiça federal marca audiência sobre "estrangulamento” da BR 101



Colunistas

JotaCê

Reitor não quer ser prefeito

Na Rede

Confira o que bombou nas redes sociais do DIARINHO

Via Streaming

“Rainha de Katwe”

Foto do Dia

Entrada da Barra

Jackie Rosa

Mulherada reunida

Canal 1

Aceita que dói menos: mulheres ocupam merecido lugar no esporte

Coluna Esplanada

Tereza e Marinho

Clique diário

O colorido fim de tarde em Itajaí

Vinicius Lummertz

SC do futuro: nas BRs, 2023 pode ser pior do que 2022

Gente & Notícia

Família Koch na Copa

Direito na mão

O que acontece se a empresa não pagou o INSS do funcionário? Como fica a aposentadoria?

Coluna do Janio

Marinheiro no mercado

Coluna Exitus na Política

Futebol sem bola e sem goleiro

Coluna do Ton

Mãe & Filha

Coluna Fato&Comentário

Alvim Sandri: "História de vida", aos 99 anos

Artigos

Não queremos viver numa pátria dominada pela bandidagem



TV DIARINHO


Entrevistão com Alvin Sandri



Podcast

Entrevistão com Alvin Sandri

Publicado 03/12/2022 10:10



Especiais

OLHO NA DOSE

Pesquisa de preço mostra onde bebidas quentes são mais baratas

Na Estrada com o DIARINHO

Maravilhas naturais fazem de Bombinhas o Caribe catarinense

Itajaí

Do imóvel popular ao de altíssimo padrão são as apostas da Lotisa

Alto padrão

Procave agrega valor e exclusividade

Itajaí

Mercado da Brava continua em crescimento



Blogs

Blog do JC

Quadrangular 71 anos

A bordo do esporte

Volta ao Mundo Globe40 parte para a Argentina

Blog Doutor Multas

Fumar e dirigir dá multa?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Ale Francoise

Os poderes da Spirulina!

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

James Winter

“Só vai haver desemprego e demissão em massa se não tiver carga aqui no Porto de Itajaí”

Décio Lima

"Hoje, de R$ 97 bilhões que são arrecadados pelo governo federal em Santa Catarina, apenas R$ 7 bilhões voltam”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação