Matérias | Geral


QUARTO AUMENTO DO ANO

Gasolina já passa dos R$ 5 na região

Mudanças na Petrobras não devem modificar de imediato os valores na bomba, segundo explicam os analistas

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

São poucos os postos da região que ainda não estão cobrando R$ 5 pelo litro da gasolina {Foto: João Batista}


A mudança anunciada  pelo governo federal no comando da Petrobras pra tentar frear a alta nos combustíveis não deve impactar de imediato nos preços para o consumidor, segundo representantes do setor e especialistas ouvidos pelo DIARINHO. A tendência, no entanto, é por uma estabilidade, com a perspectivas de alterações na política de preços da estatal. 


Na última quinta-feira, a Petrobras anunciou o quarto reajuste seguido no preço da gasolina e o terceiro consecutivo no diesel em 2021. Desde janeiro, a gasolina vendida pela empresa acumula uma alta de 34,7% e o diesel, 27,7%. Em Santa Catarina, o litro da gasolina nas bombas passava dos R$ 5 antes do último aumento, conforme a pesquisa da agência Nacional de Petróleo (ANP) até o dia 13. Uma nova pesquisa será divulgada nesta terça-feira e deve medir os impactos nos postos após o reajuste da semana passada.   

O avanço nos preços dos combustíveis fez o presidente Jair Bolsonaro trocar a presidência da Petrobras. O general Joaquim Silva e Luna foi indicado  para comandar a empresa no lugar de Roberto Castello Branco. O anúncio teve repercussão negativa de investidores, analistas e lideranças políticas, além de provocar queda nas ações da estatal, que perdeu quase R$ 29 bilhões em valor de mercado depois da intenvenção do presidente.   

O general Joaquim Silva e Luna é diretor da usina de Itaipu e será o primeiro militar a assumir a estatal desde 1989. O nome dele precisa passar pela aprovação do conselho de Administração da Petrobras. O conselho é presidido por uma militar – o almirante de esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira – e tem outros militares na composição, também indicados pelo governo. O grupo deve discutir a troca em reunião nessa terça-feira.   

Para o professor da Univali Jairo Romeu Ferracioli, economista e mestre em Relações Econômicas, o cenário de mudanças tem alguns prós e contras, mas ele lembra que a indicação do presidente da Petrobras é sempre o presidente da República quem faz. “Qualquer mudança de comando, gera essa discussão do que é interferência ou não. [Essa indicação] pode ser encarada como um novo alinhamento da política governamental”, analisa, prevendo uma alteração na composição dos preços dos combustíveis. 

Jairo observa que a reação do mercado à troca é natural mas essa recomposição acaba sendo absorvida. Apesar de a política de preços ser alterada, considerando que o país produz mais de 80% do petróleo que precisa, o professor ressalta que qualquer mudança afeta os custos de outros serviços e produtos. “O momento em que vivemos, de pandemia, inflação, falta de matéria-prima, nos leva a ter um certo cuidado com setores sensíveis como o de combustíveis, que afeta diretamente o de transportes e assim vai,” completa.

Nova alta já reflete nas bombas   

O último reajuste nos preços dos combustíveis nas refinarias, de 10,2%, já reflete nas bombas para os consumidores do país inteiro. O percentual representa uma alta de R$ 0,22 no litro da gasolina, se o repasse pelas empresas for integral.   

Na região, o preço do litro da gasolina comum também já passa dos R$ 5, após ficar na faixa dos R$ 4,80. Em Balneário Camboriú, tem postos vendendo o combustível a R$ 5,09, enquanto outros variam entre 4,97 e R$ 4,99. As margens da BR-101, o litro da gasolina chegou a R$ 5,19, segundo relataram motoristas. 

Em Itajaí, em postos consultados pelo DIARINHO a gasolina ainda se mantém abaixo dos R$ 5, mas a diferença é pouca. Um dos preços mais baixos é de um posto na avenida Osvaldo Reis, com a gasolina a R$ 4,96.   

Há duas semanas, o preço médio do combustível em Santa Catarina ficava entre R$ 4,51 e R$ 4,88, conforme levantamento da ANP. Mesmo antes do aumento da semana passada, alguns postos, como em São José, já vendiam a gasolina a R$ 5,04 o litro.

A Petrobras tem reafirmado que a política de preços segue o mercado internacional, com variações conforme a cotação do barril do petróleo e do dólar, o que manteria o país atendido sem risco de desabastecimento.

Preço que é bom não deve baixar

O presidente do sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Litoral Catarinense e Região (Sincombustíveis), Giovani Testoni, não prevê um impacto direto nos preços num primeiro momento com a troca de comando da Petrobras, a não ser que a empresa mude sua política de preços, que hoje acompanha o mercado internacional. 

“No meu ver, não há perspectiva de queda rápida, a menos que se mexa na composição de tributos, o que seria ruim para estados e municípios, bem como o próprio governo federal, ou a Petrobras voltar a subsidiar o preço pra mantê-los mais baratos, descolando do mercado internacional”, analisa. O governo promete mexer na tributação do combustível, incluindo proposta de zerar o imposto sobre o diesel e o gás de cozinha. 

Giovani disse que a ingerência do presidente da República na Petrobras, sem uma reunião prévia com o conselho de Administração, deve ser ruim para a estatal, que já confirmou perdas de valor das ações no mercado. Ele frisa que é difícil prever o que acontecerá, mas avalia que as possíveis mudanças poderão prejudicar as empresas do setor, principalmente as que importam combustível refinado, que perderiam competitividade.   

“Eu entendo a boa intenção do presidente da República, porém, é um mercado muito volátil que mexe diretamente com toda economia nacional, atingindo diretamente toda população”, considera. Para o professor Jairo Romeu Ferracioli, da Univali, as propostas do governo têm potencial de, ao menos momentaneamente, frear a alta dos preços. “Não acredito numa disparada de preço no mercado internacional e nem numa alta do dólar”, afirma. 

Ele analisa que a tendência é para uma estabilidade, com a mudança de política, mas ressalta que o preço do barril no mercado internacional e a variação do câmbio são de extrema importância. “O que temos que repensar é uma nova política energética para o país, carros elétricos, uso intensivo de outras fontes de energia, como o álcool”, analisa. 


Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.239.33.139

Últimas notícias

Balneário

Corpo é encontrado boiando no rio Camboriú

Novo boletim 

SC tem todas as regiões em risco  gravíssimo para covid

Decreto municipal 

Balneário Piçarras proíbe praia por 15 dias

CAMBORIÚ

Evento artístico provoca questões de gênero, de racismo e feminicídio

Santa Catarina

Recomendação do MP é lockdown de 14 dias

Linha de frente

Técnica de enfermagem do CIS morre vítima da covid 

Pandemia

Itajaí confirma cinco vítimas fatais em 24 horas

Pandemia

UTIs da região dispõem de sete leitos

bc e Itajaí

Reforço na fiscalização de fim de semana

NAVEGANTES

Rapaz é morto a tiros em carrinho de lanches





Colunistas

Coluna do JC

Aulas

Canal 1

Globo estabelece ordem na fila de novelas das sete

Jackie Rosa

Eleição no Iate

Coluna Esplanada

Caixa vazio

Coluna Existir e Resistir

A branca tá usando trança! E agora?

Clique diário

Morro da Cruz

Coluna esquinas

Imagino, logo existo

Coluna do Frei Betto

Guardar silêncio

Coluna Exitus na Política

A culpa é do mordomo

Na Rede

Instagram, Facebook e Twitter

Via Streaming

Dupla dinâmica: mãe e filha

Coluna Fato&Comentário

Praia Brava e o Centenário

Coluna do Janio

Começou 2021 para o Marinheiro!

O lado de cá...

O Lado de Cá...

Artigos

Cade proíbe cobrança de THC2/SSE

Crônicas da vida urbana

Crônica com carro, cães, moça elegante e caminhão



Blogs

Blog Clique Diário

Novos tempos, incertezas e fotografia.

A bordo do esporte

Sul-africano próximo de bater recorde mundial de travessia a remo em Cabo Frio (RJ)

Blog do JC

Aulas presenciais retornam em Itajaí

Blog da Ale Francoise

Cor de verão o ano todo!

Blog da Jackie

Coluna do impresso

Blog Doutor Multas

Proteção veicular: entenda como funciona!



Entrevistão

Entrevistão com os candidatos à prefeitura de Itajaí (Parte 2)

Entrevistão com os candidatos à prefeitura de Itajaí (Parte 1)

Entrevistão com os candidatos à prefeitura de Balneário Camboriú (Parte 2)

Entrevistão com os candidatos à prefeitura de Balneário Camboriú (Parte 1)

Itajaí

Entrevistão com os candidatos à prefeitura de Porto Belo





TV DIARINHO


Confira os destaques dessa sexta-feira



Podcast

Minuto DIARINHO 26/02/2021

Publicado 26/02/2021 21:32



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯