Matérias | Geral


Buzinaços na fila do porto de Itajaí

APM diz que “há movimentação acima do normal” . Caminhoneiros se queixam da longa espera e descontam a raiva na buzina

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]


Vizinhos e moradores de bairros próximos ao porto de Itajaí estão reclamando, novamente,  da barulheira e do buzinaço dos caminhoneiros que ficam na fila de espera para acessar o cais da  APM Terminals. O problema acontece durante o dia, mas também à noite e na madrugada, perturbando o sossego dos vizinhos, inclusive de moradores dos bairros São João e na Barra do Rio, onde a fila chega a se estender.


Os caminhoneiros, por outro lado, ficam na bronca com a APM Terminals, pela demora em atender os caminhões, o que provoca as filas. A empresa informou que houve um aumento na movimentação de ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

OU

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


Os caminhoneiros, por outro lado, ficam na bronca com a APM Terminals, pela demora em atender os caminhões, o que provoca as filas. A empresa informou que houve um aumento na movimentação de contêineres acima do normal nas últimas semanas e que tem orientado os motoristas a não buzinarem ao longo da fila pra não prejudicar a comunidade.



De acordo com o gerente de logística Maurício França, de 58 anos, que mora na rua Heitor Liberato, a barulheira dos caminhões tem sido recorrente. “Todos os dias tem buzinaço, de dia e de madrugada. Nós não aguentamos mais”, relata. Ele informou que já fez queixa junto à superintendência do porto, na Codetran, na polícia Militar e na polícia Civil. “Mas nenhuma ação foi tomada pra resolver a situação”, frisa.

O barulho na fila ao longo da avenida Irineu Bornhausen, a Caninana, também pode ser ouvido por um morador da rua José Pereira Liberato, no São João. Segundo um comerciante, o problema perdura há dias e perturba o sono da vizinhança. Já os caminhoneiros jogam a culpa na APM Terminals, relatando falta de agilidade no recebimento e na saída de contêineres.


A demora para entrar no terminal, conforme relatou um motorista, chega até 12 horas. “Na madrugada a fila se estende até a Barra do Rio”, conta. O caminhoneiro ainda ressalta que, após entrar no porto, também há demora na liberação interna, em atraso que tem somado cerca de seis horas. Os motoristas dizem que o problema não ocorre no porto de Navegantes porque lá tem mais portões de acesso.

Muita movimentação


Em nota, a APM Terminals disse que houve aumento na movimentação nas últimas semanas devido ao atendimento de navios que estavam fora da data programada, por “questões alheias ao terminal”. Segundo a empresa, houve problemas climáticos no Caribe que geraram atrasos e os navios acumularam. A situação já estaria se normalizando.

“Com isso, a demanda de caminhões para entrega e retirada de contêineres subiu muito também, o que gerou filas e impactou no tempo de permanência dos caminhões”, informou a APM, que lembrou que a movimentação no terminal cresceu mais de 13% este ano.

Pra atender a demanda, a empresa ressaltou que as equipes foram reforçadas e novos equipamentos foram comprados ou alugados. “A APM Terminals lamenta o impacto causado na comunidade e pede aos motoristas que não buzinem ao longo da fila e rodovias, já que tal ação não acelera o atendimento e prejudica toda a comunidade vizinha”, informou.

Codetran cobra uma solução conjunta para o impasse

O chefe da Codetran, Robson Costa, está marcando uma reunião com a APM, superintendência do porto e outros envolvidos no problema. “Todos terão que se comprometer em ajudar nessa logística portuária. A  APM tem que saber que existe limite por hora para a entrada de caminhões. Não adianta chamar 100 caminhões se a capacidade operacional é 30 por hora”, observa.


Robson destacou que os agentes estão fazendo o possível pra agilizar as filas, com apoio no trânsito na região do porto e na entrada e saída do terminal. Ele informou que os tempos da sinaleira na frente do porto foram ajustados. “Mas de nada adianta se a APM não tiver agilidade e organização na recepção dos caminhões. A Codetran sozinha jamais conseguirá resolver esse problema”, afirma.

A assessoria do porto confirmou que o buzinaço tem ocorrido nas últimas semanas, como reflexo da alta movimentação no terminal, que acarreta inclusive o travamento de senhas no sistema. O órgão lembrou que, em 2016, eram cinco mil contêineres movimentados por mês. Em outubro desse ano, foram 55 mil.

O porto ainda informou que as áreas internas do cais estão quase todas ocupadas. Com isso, guindastes e caminhões precisam operar devagar pra evitar acidentes, gerando lentidão. Outro fator que afeta as operações é o afastamento de servidores, portuários e funcionários da APM por covid-19.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






44.211.117.197

Últimas notícias

CAMBORIÚ

Trabalhador morre afogado em lagoa; ele pode ter sofrido crise de epilepsia

ITAJAÍ

Inscrições para evento de inovação encerram na sexta-feira

ITAJAÍ

Moradores vão poder opinar sobre transporte público em audiência na segunda-feira

ITAJAÍ

Polícia recupera 90 toneladas de galinha congelada roubada

Será que volta?

Novo Suzuki Swift é lançado na Europa

“Veoitão” moderno

Novo Cayenne GTS está à venda no Brasil

MERCADO

Unimed Litoral está contratando fisioterapeutas

ESTUDO

Águas de Penha instala câmeras para monitorar visitantes

ITAJAÍ

Pintor morre em acidente com moto na BR 101

Futebol

Camboriú estreia na segundona neste sábado em BC



Colunistas

Coluna do Ton

Vibes da Turquia

JotaCê

Pavan na choupana

Mundo Corporativo

Líderes espiritualizados em tempos difíceis ainda é possível?

Histórias que eu conto

Armação da infância 3

Coluna Fato&Comentário

Associativismo comunitário em Itajaí: o começo

Coluna Esplanada

Trio de apostas

Via Streaming

Tudo pelo dinheiro

Ideal Mente

O desamparo da infidelidade

Show de Bola

Trocas de treinadores

Direito na mão

Recebeu auxílio-doença ou auxílio-acidente? Veja como se aposentar agora!

Coluna Exitus na Política

Um passeio nas cavernas

Na Rede

Morte de produtor, garotinho com orgulho do pai na enchente e mais: confira os destaques do DIARINHO

Artigos

O combate ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes é um compromisso coletivo

Jackie Rosa

Niver da Chris

Gente & Notícia

Níver da Margot

Foto do Dia

“O mar, quando quebra na praia”

Coluna Existir e Resistir

Designação geral sobre o fim do mundo



TV DIARINHO






Especiais

NA ESTRADA

Pôr do sol de tirar o fôlego é atração o ano inteiro na praia de Armação

RIO GRANDE DO SUL

A história de luta de um quilombo que resiste às enchentes em Porto Alegre

DADOS INÉDITOS

Em meio ao lixo das chuvas no Rio Grande do Sul, catadores não conseguem trabalhar

NÚMEROS

No Brasil, 3 a cada 4 vivem em cidades com mais risco de desastres por chuvas

DADOS

Exportação de armas de fogo dobrou durante os anos Bolsonaro, revela levantamento inédito



Blogs

A bordo do esporte

Brasileiro Lucas Di Grassi termina E-Prix de Xangai no Top 10 da Formula E

Blog do JC

Prefeito revela que está com tumor maligno

Blog da Jackie

Reserva Royal

Blog da Ale Francoise

A pílula da felicidade

Blog do Ton

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Marisa Zanoni Fernandes

"Balneário Camboriú não precisa de capitão, fantoches, seres iluminados, ungidos. Precisa de pessoas comprometidas com a democracia”

Vilfredo e Heloísa Schurmann

"Nós reciclamos só 6% no Brasil. Na Europa já é 50%. A própria China já está com 35% de reciclagem” (Vilfredo)

João Paulo

"Essa turma que diz defender a família ajudou a destruir a boa convivência em muitas famílias. Na defesa de um modelo único, excludente"

Entrevistão Peeter Grando

“Balneário Camboriú não precisa de ruptura, mas de uma continuidade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação