Matérias | Geral


Projeto quer garantir reparação e direitos às vítimas de crimes

Proposta de juíza itajaiense prevê uma reparação financeira paga pelo criminoso pelos danos sofridos pela vítima

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Proposta da juíza Sônia Maria Mazzetto Moroso Terres, titular da vara da Fazenda Pública de Itajaí e que conduziu por sete anos a 1ª vara Criminal, prevê um conjunto de medidas e mudanças na legislação pra garantir os direitos das vítimas de crimes no país. O projeto parte do princípio de que é preciso, primeiramente, tirar as vítimas da invisibilidade pra que sejam atendidas pelas garantias legais. 

Conforme a magistrada, o Brasil não contabiliza as vítimas e não há legislação específica que proporcione o amparo necessário e nem mesmo políticas públicas condizentes com  a situação que resulta do crime. Ela aponta que, só em 2017, segundo o levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen), o país chegou a 726.324 pessoas presas. “Imagina, então, quantas vítimas existem no Brasil!”, considera.

Batizada de “Justiça, Direito de Todos: a Vítima de Crime e a Dignidade Humana”, a proposta contempla um amplo pacote de alterações na Constituição, código Penal, lei de Execução Penal, entre outras, em defesa que os  direitos das vítimas sejam efetivamente garantidos.



Com base no número de presos e no percentual de crimes não notificados, estima-se mais de 2,4 milhões de vítimas em 2017, das quais quase 64 mil por mortes violentas intencionais.

O projeto ainda leva em conta o impacto dos crimes no SUS, onde o atendimento das vítimas representa cerca de 20% das internações e absorve 40% dos recursos do sistema público de saúde, num custo social cuja conta não é paga pelo criminoso.

Sônia observa que a vítima, como de um crime de trânsito, por exemplo, também fica sem a devida reparação de danos, sejam físicos ou psicológicos, dependendo de acionar o estado pra obter alguma indenização. Em crimes simples, como o furto de uma bicicleta, a juíza relata que, mesmo com punição criminal do autor, a vítima não é reparada pela perda do bem.


Com as mudanças sugeridas, a reparação não dependerá mais de a vítima ou do familiar entrar com ação específica e o estado teria um papel amparador. O sistema de justiça teria competência pra processar, julgar e executar tantos os direitos penais como os de indenização no mesmo pedido. “O Estado entra com ação pra apuração criminal e também de reparação de dano”, destaca a juíza.

Além de atender a vítima, a mudança também ajudaria o sistema. “O Judiciário enfrenta diariamente os desafios no estabelecimento de estratégias que o tornem mais célere com os recursos públicos cada vez mais escassos”, frisa.

Base para uma emenda constitucional

O projeto é resultado da experiência da juíza na 1ª vara Criminal de Itajaí e de pesquisa no curso de doutorado pela Univali, visando a proteção da vítima em todas as esferas: cível, criminal, previdenciária e social. “Este projeto propõe que os direitos das vítimas sejam elevados ao status de Direitos Fundamentais, com a apresentação de um concreto pacote de alterações legislativas, constitucionais e infraconstitucionais”, destaca.

Pela proposta, a vítima passaria a contar com o Estado no suporte à reparação ou indenização, com os casos sendo registrados estatisticamente e servindo ao aprimoramento das políticas públicas ligadas à seguridade social, entre saúde, previdência e assistência social. As mudanças fixariam obrigações quanto ao pagamento de auxílio-doença, auxílio-acidente, benefício de prestação continuada e indenização aos herdeiros das vítimas.


“Não menos importante, o criminoso passará a ser responsabilizado de modo eficiente pelos danos ocasionados em todas as esferas, e o Estado exercerá o dever de tentar reaver parte do prejuízo econômico suportado”, observa a juíza, ressaltando que a ideia também servirá pra prevenir a prática e a repetição do crime.

Pelo site www.justicadireitosdetodos.com.br é possível assinar o apoio ao projeto, que já conta com mais 80 mil assinaturas. A ideia é que o trabalho sirva de base pra uma futura proposta de emenda à Constituição. O projeto já foi entregue aos parlamentares do congresso Nacional e recebido pelo ministério dos Direitos Humanos. A elaboração começou em 2014, mas foi ampliado e resultou na tese de doutorado da juíza, defendida no ano passado.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






3.236.70.233

Últimas notícias

ITAPEMA

Dono de marmoraria é atingido com golpe de faca no pescoço

Educação

Transporte escolar de BC identificará alunos por meio de QR Code

BALNEÁRIO

MP vai investigar asfalto no parque Raimundo Malta

Descansou

Cão Bili se aposenta após 9 anos servindo à PRF de SC

ITAJAÍ

Chuveiros na Brava desperdiçam água e deixam calçadão empoçado

DENÚNCIA

Nova rampa de acesso ao PA da Barra acabou com a calçada

ASSASSINATO   

Corpo de homem com marcas de violência é encontrado em Piçarras

Trânsito

Vídeo: Caminhão perde freio e usa área de escape na Serra de Guaratuba

Só pra elas

Curso gratuito ensina garotas a desenvolver aplicativos

Balneário Camboriú

Casa Linhares tem inscrições abertas para curso de cerâmica gratuito



Colunistas

Coluna do Janio

Sequência positiva

Coluna Esplanada

Turma da roleta

Direito na mão

Como saber quando tenho que aumentar as contribuições ao INSS para uma boa aposentadoria futura?

JotaCê

“Interventor” sob suspeita

Coluna Exitus na Política

Chiclete mascado embaixo do banco

Na Rede

Se liga no que foi destaque no DIARINHO nesta semana

Coluna do Ton

Seis Aninhos

Gente & Notícia

FÉRIAS

Foto do Dia

Olha a multidão!

Canal 1

Para ex-diretora da Globo, drama do humor também passa pela renovação

Via Streaming

“Falando a real” aborda terapia e luto

Jackie Rosa

Niver do Armandinho

Clique diário

O pôr do sol!

Artigos

Escultura Santa Ceia de Ervin C. Teichmann, prevista para a Igreja Matriz, está sendo oferecida a Itajaí pelo filho do escultor

Vinicius Lummertz

Turismo, para um Feliz Ano Novo

Coluna Fato&Comentário

Menino Jesus, São Nicolau, velho pom-pom e Papai Noel



TV DIARINHO


MUDANÇA POLÊMICA: O prefeito de Penha, Aquiles Costa (MDB), fez uma publicação que deu o que falar em ...





Especiais

Economia

Paixão Nacional Indústria da cerveja representa 2% do PIB e emprega 2,7 milhões de trabalhadores

Em frente à Univali

Bar Manias chega à maioridade atendendo ao fiel público universitário

Pesquisa de preço

Atacadões apostam em diversidade de marcas e descontos pra venda de cerveja

MESMA VIBE

Cinco atrações de Alicante que têm tudo a ver com Itajaí

Cinturão verde ameaçado

Inundações colocam em risco produção de hortaliças em Itajaí



Blogs

Blog do JC

Desdobramentos na leleia

A bordo do esporte

Marco Zero de Recife (PE) foi palco da largada da Globe 40

Blog da Ale Francoise

Benefícios do chá de funcho

Blog Doutor Multas

Fumar e dirigir dá multa?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Volnei Morastoni

“Não sei quem inventou que eu tava com câncer. Eu tive um problema de estafa física e mental”

David Fernandes “LaBarrica”

"Meu sonho é ser prefeito de Balneário Camboriú”

Evandro Neiva

"Vila da Regata de Itajaí vai atrair mais de meio milhão de visitantes

Luíza Moreira

"Meu avô tinha uma marca de ferro na coxa. Hoje em dia eu me revolto ainda por causa da escravidão, porque ainda tem muito preconceito”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação