Matérias | Especial


Itajaí

Os Toth encontraram no Brasil a oportunidade de recomeço no pós-guerra

Dez pessoas da família Toth desembarcaram no Rio de Janeiro, em 1949, trazendo na bagagem a esperança por dias melhores

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Stefan Toth chegou ao Brasil com os pais e seis irmãos em 1949. Aqui casou e teve três filhos
Stefan Toth chegou ao Brasil com os pais e seis irmãos em 1949. Aqui casou e teve três filhos



 

A situação da Europa ao fim da Segunda Guerra Mundial era bastante complicada. Se os países vencedores estavam arrasados, imagine a Alemanha, que contava com muitos campos de refugiados. Num desses campos, o húngaro Stefan Toth, então com 12 anos, teve ajuda de grupos humanitários para localizar o pai, Karl Toth, que deixou a família para lutar na guerra. A mãe de Stefan, Julianna, e os sete filhos pequenos se mudaram de cidade em cidade, durante anos, tentando fugir do rastro de fome e violência. Foi na Alemanha que a família Toth reencontrou o patriarca Karl e decidiu recomeçar a vida em outro país que estivesse disposto a recebê-los. 



O único país que aceitou a família foi o Brasil e foi de navio que eles chegaram. Por aqui, depois de muitas mudanças, Stefan se instalou em Itajaí, nos anos 70, e afirma que encontrou o verdadeiro lar. “Na Europa, nunca fomos bem tratados. O Brasil me deu tudo, um país acolhedor, que me deu a oportunidade de trabalhar e formar minha própria famí- lia”. Stefan é casado com a brasileira Luzia há quase 60 anos. 

Stefan conta que a cidade onde nasceu, Sombor, fazia parte da Iugoslávia, país em que o Marechal Tito foi primeiro ministro e presidente. Aliado de Stalin, ditador da Rússia, Tito impôs o idioma sérvio a todas as escolas da região. “Todo mundo, no leste europeu, conseguia se entender, mas de um dia para o outro, as aulas passaram a ser em sérvio e não podíamos falar nosso idioma, o húngaro. Como a Rússia perdeu terreno na guerra, Stalin e Tito se aliaram. Por isso, nossa família fugiu de carroça, depois de carona num tanque de guerra alemão, até chegar num campo de refugiados, onde os americanos ajudavam as famílias a encontrar um novo país para morar”, explica. 


A escolha pelo Brasil aconteceu por causa da política migratória bilateral, que concedia benefícios aos refugiados da guerra, como translado de navio e trabalho no novo país. A saga dos Toth em terras brasileiras começou em 13 de agosto de 1949, quando aportaram na Ilha das Flores (RJ), onde era feita a triagem dos imigrantes. Depois de alguns meses, a família foi aconselhada a vir para Santa Catarina, onde se concentravam descendentes alemães, cujo idioma eles também sabiam falar. “Fomos de trem até Blumenau, onde minha mãe trabalhou na Cremer e meu pai como mecânico. Eu trabalhava como soldador, mas ao contrair pneumonia, fui afastado”, recorda. 

Depois de Blumenau, a família seguiu para Joaçaba, onde o pai foi trabalhar num moinho. Um ano depois, se mudaram de novo, desta vez para Petrópolis, na serra fluminense, para onde o pai foi transferido. Stefan tinha 16 anos. Foi lá que conheceu a esposa Luzia numa noite, às vésperas do Natal, em 1958. Um ano depois, estavam casados. Também foi em Petrópolis que nasceram os filhos Juliana, Margit e Stefan, este falecido recentemente. “A morte precoce do Stefan me abalou muito. Além de filho, era meu companheiro de trabalho”, lamenta. 


A família chegou a Itajaí em 1974, e Stefan foi trabalhar no Moinho Peônia, na rua Blumenau, onde se aposentou depois de décadas. Por aqui, moraram em Cabeçudas e no casarão centenário, onde fica a Fundação Cultural de Itajaí, no centro. Em 1987, eles se mudaram para o atual endereço, pertinho da avenida Beira Rio, onde Stefan montou uma oficina de motores de barco, fechada após a morte do filho. Para lidar com a perda, ele se voltou aos pincéis, que já eram seus companheiros nas tardes de folga. Além dos quadros de frutas e marinas, agora, ele ostenta em seu quarto, duas obras em homenagem ao filho, em seu barco a vela. “Era onde ele se sentia mais feliz”.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Clique aqui para fazer o seu cadastro.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Entre em contato com a redação ❯
WhatsAPP DIARINHO

Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






34.239.176.54

Últimas notícias

Faltam lixeiras em algumas praias de Itajaí e sobram em outras, reclama morador

Denúncia

Faltam lixeiras em algumas praias de Itajaí e sobram em outras, reclama morador

Cantor Nahim morre aos 71 anos em São Paulo 

DESPEDIDA 

Cantor Nahim morre aos 71 anos em São Paulo 

Brusque tem vagas de emprego para quase 100 áreas; veja todas as ofertas  

Contrata-se!

Brusque tem vagas de emprego para quase 100 áreas; veja todas as ofertas  

BMW Série 3 ganha atualização em 2024

Mais moderno

BMW Série 3 ganha atualização em 2024

Creches Sementes do Amanhã e Rio das Ostras suspendem aulas por surto de sarna

Balneário Camboriú

Creches Sementes do Amanhã e Rio das Ostras suspendem aulas por surto de sarna

Urgente: Motorista de caminhão morre afogado em queda no rio Camboriú

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Urgente: Motorista de caminhão morre afogado em queda no rio Camboriú

Vídeo: motorista faz strike em motos estacionadas no Mercado Público 

ITAJAÍ

Vídeo: motorista faz strike em motos estacionadas no Mercado Público 

Homem queima 30 kg de fios de cobre na Murta

ITAJAÍ

Homem queima 30 kg de fios de cobre na Murta

Brasil fica no empate com os Estados Unidos

Futebol

Brasil fica no empate com os Estados Unidos

Pena: Barra cede o empate ao Cianorte e sai do G4

Série D

Pena: Barra cede o empate ao Cianorte e sai do G4



Colunistas

Vergonheira sem fim

JotaCê

Vergonheira sem fim

Coluna Esplanada

Vai ter petróleo

O dinheiro te serve ou você serve o dinheiro?

Diário do Investidor

O dinheiro te serve ou você serve o dinheiro?

Poder, obsessão e assassinato

Via Streaming

Poder, obsessão e assassinato

Ideal Mente

Você tem fome de quê?

Como o tempo de trabalho rural pode beneficiar sua aposentadoria

Direito na mão

Como o tempo de trabalho rural pode beneficiar sua aposentadoria

O busão voltou

Show de Bola

O busão voltou

Explosão na oficina de motos, catarinense no leilão do Neymar e mais: o que bombou nas redes do DIARINHO

Na Rede

Explosão na oficina de motos, catarinense no leilão do Neymar e mais: o que bombou nas redes do DIARINHO

Niver da Candice

Coluna do Ton

Niver da Candice

Cansado das mesmas coisas na empresa, é hora de mudar?

Mundo Corporativo

Cansado das mesmas coisas na empresa, é hora de mudar?

Colégio Catarinense 4

Histórias que eu conto

Colégio Catarinense 4

Coluna Exitus na Política

O CHARME DA POLÍTICA: IGUALDADE E LIBERDADE [1]

Felizes para sempre

Jackie Rosa

Felizes para sempre

Associativismo comunitário em Itajaí: o começo

Coluna Fato&Comentário

Associativismo comunitário em Itajaí: o começo

O combate ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes é um compromisso coletivo

Artigos

O combate ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes é um compromisso coletivo

Níver da Margot

Gente & Notícia

Níver da Margot

“O mar, quando quebra na praia”

Foto do Dia

“O mar, quando quebra na praia”

Coluna Existir e Resistir

Designação geral sobre o fim do mundo



TV DIARINHO


Um motorista promoveu um verdadeiro strike em motos estacionadas em frente do Mercado Público de Itajaí ...





Especiais

“Faltou escala para mostrar as chuvas no mapa”, diz chefe do Inmet em Porto Alegre

RIO GRANDE DO SUL

“Faltou escala para mostrar as chuvas no mapa”, diz chefe do Inmet em Porto Alegre

JBS e FriGol teriam comprado gado ilegal criado na terra indígena Apyterewa

ONG DENUNCIA

JBS e FriGol teriam comprado gado ilegal criado na terra indígena Apyterewa

Passeio verde, arte e vida urbana: mergulho em São Paulo

NA ESTRADA

Passeio verde, arte e vida urbana: mergulho em São Paulo

No Rio Grande do Sul, indígenas temem deixar suas casas pela inundação e perder território

TRAGÉDIA

No Rio Grande do Sul, indígenas temem deixar suas casas pela inundação e perder território

Escolas cívico-militares avançam nos estados

Sem apoio federal

Escolas cívico-militares avançam nos estados



Blogs

Chinelagem chic

Blog da Jackie

Chinelagem chic

Apoios

Blog do JC

Apoios

Paulista de Star 2024 será neste fim de semana no YCSA

A bordo do esporte

Paulista de Star 2024 será neste fim de semana no YCSA

A pílula da felicidade

Blog da Ale Francoise

A pílula da felicidade

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Blog do Ton

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

“Este muro imaginário de [BC] rica e [Camboriú] pobre que tem que acabar”

LEONEL PAVAN

“Este muro imaginário de [BC] rica e [Camboriú] pobre que tem que acabar”

"No momento que eu implanto o pronto-socorro dentro de uma das alas do Ruth, eu resolvo atender o ser humano e não comprovante de residência e título de eleitor”

Edson Piriquito

"No momento que eu implanto o pronto-socorro dentro de uma das alas do Ruth, eu resolvo atender o ser humano e não comprovante de residência e título de eleitor”

"Balneário Camboriú não precisa de capitão, fantoches, seres iluminados, ungidos. Precisa de pessoas comprometidas com a democracia”

Marisa Zanoni Fernandes

"Balneário Camboriú não precisa de capitão, fantoches, seres iluminados, ungidos. Precisa de pessoas comprometidas com a democracia”

"Nós reciclamos só 6% no Brasil. Na Europa já é 50%. A própria China já está com 35% de reciclagem”  (Vilfredo)

Vilfredo e Heloísa Schurmann

"Nós reciclamos só 6% no Brasil. Na Europa já é 50%. A própria China já está com 35% de reciclagem” (Vilfredo)



Hoje nas bancas

Capa de hoje
Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação