Matérias | Entrevistão


Itajaí

Leandro Karnal, palestrante e historiador

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Leandro Karnal, palestrante e historiador
Leandro Karnal, palestrante e historiador
miniatura galeria
miniatura galeria


Leandro Karnal é um dos mais requisitados palestrantes do Brasil na atualidade. Ele cruza o Brasil, de Norte a Sul, participando de palestras, simpósios, conferências, programas jornalísticos. Doutor em História Social pela USP, Karnal tem público em todas as classes sociais, do mundo acadêmico às pessoas com pouca ou nenhuma instrução. Gaúcho de São Leopoldo, ele confidencia que já não existe cidade média ou grande no Brasil que não conheça por conta de suas andanças. Karnal também é autor de vários livros e professor titular da Unicamp. Mas porque tanta gente diferente está disposta a ouvir Karnal? Dono de opiniões contundentes, de fala calma e clara, ele é um historiador que pode dissertar sobre o mais teórico dos temas ou abordar situações comuns, que atingem a vida de todos. À jornalista Franciele Marcon, Karnal falou sobre temas que estão na pauta do Brasil de 2017, como o medo da violência, a intolerância, a política, o discurso de ódio, os ataques às artes e aos filósofos. Foram cerca de 10 minutos de conversa, o que possibilitou que ele respondesse apenas a metade das perguntas. Por conta da agenda apertada no evento “República dos Filósofos”, em Itajaí, a entrevista foi breve. As fotos são de Lalo Bocchino. NOME COMPLETO: Leandro Karnal IDADE: 55 anos NATURAL: São Leopoldo (RS) ESTADO CIVIL: casado FILHOS: Não informado FORMAÇÃO: Graduado em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (RS) e Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). Possui pós-doutorados pela UNAM, México, e pelo CNRS de Paris. Sua formação cruza História Cultural, Antropologia e Filosofia. EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS: é professor doutor na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) , desde 1996. É autor de livros, História dos Estados Unidos, Estados Unidos: a Formação da Nação, Conversas com um Jovem Professor, História na Sala de Aula, As Religiões que o Mundo Esqueceu, Teatro da Fé - representação religiosa no Brasil e no México do século XVI, Pecar e Perdoar : Deus e Homem na história, A Detração - Breve Ensaio Sobre o Maldizer e Todos Contra Todos: o Ódio Nosso de Cada Dia. É membro do conselho editorial das principais publicações acadêmicas da área na UNICAMP (revistas Ideias, Cadernos Pagu e História Social) e da UNISINOS (revista História). Palestrante. “Não há problema nenhum em ser conservador ou de esquerda. Tudo aquilo que não contrarie a lei e não viole a ética, é válido” DIARINHO - O senhor falou recentemente na TV que a onda reacionária que se volta agora contra a arte serve como cortina de fumaça aos problemas reais do Brasil, entre eles a corrupção e o desemprego. Mas foi em nome do combate à corrupção que essa onda conservadora começou. O Brasil de 2017, quase dois anos após o impedimento da presidente Dilma, está melhor ou pior? Leandro: O Brasil está sempre em transformação. Eu vejo pontos muitos positivos no fato da ética e da questão política estarem na pauta do dia. Não há problema nenhum em ser conservador, não há problema nenhum em ser de esquerda. Tudo aquilo que não contrarie a lei e que não viola a ética, são posições políticas válidas. Nunca faço uma crítica a uma postura política conservadora ou a uma postura política de esquerda. Eu faço críticas a pessoas que tentam desviar o debate. O problema da infância brasileira é a falta de vacina! O problema da infância brasileira é a falta de escola decente. O problema das escolas é a falta de papel higiênico, e não artista no museu que a mãe leva a criança para ver, e é tocado. Isso é um desvio de foco. E esse desvio de foco é a tentativa de produzir uma cortina de fumaça para um projeto de poder. DIARINHO - A filósofa Judith Butler foi alvo de protestos em SP, inclusive com uma boneca incendiada em alusão à ela, que seria “a bruxa inventora da ideologia de gênero”. O Brasil é o país que mais mata transexuais no mundo e um dos mais violentos com homossexuais, mas ao invés do combate à violência, há um combate ao combate da violência, pois ao se proibir a discussão de gênero em sala de aula, deixa-se de reverter essa violência através da educação. Quais serão as consequências? Leandro:É muito bom que as ideias de uma filósofa sejam debatidas, inclusive com os detratores. Não é errado que as pessoas digam que não gostam das ideias de Butler. É absolutamente correto que eu me posicione sobre as ideias. É errado eu agredi-la no aeroporto. É errado eu fazer simbologia de caça às bruxas, de macarthismo, aquele período na história dos Estados Unidos em que viam comunismo debaixo da cama, na avenca, na samambaia, no gato caseiro. Esse macarthismo histérico, tipo de inquisição, ele é um erro. Então se eu for em uma palestra e tiver uma crítica que eu possa expressar... Se eu for, inclusive, para a frente do local da palestra e segurar um cartaz dizendo: “eu discordo, eu não acho que isso seja assim”. Isso tudo é absolutamente bom e saudável para a sociedade. A grande questão a definir e não inverter é a seguinte: os gêneros existem. A variedade de gênero é uma realidade, não se trata de “ideologia de gênero”, mas é o contrário, é não interferir naquilo que é natural. Seria como eu torcer uma árvore e depois dizer que é “ideologia,” a pessoa que quer que ela cresça reta. As árvores são variadas, assim como as pessoas. O nosso erro está nessa fúria inquisitorial, macarthista como eu disse, de não aceitar que os outros falem. Esse autoritarismo existe na esquerda e na direita. Da forma que atacaram a filósofa, também atacaram pessoas em festivais de cinema, porque não queriam que aqueles filmes fossem passados. Os filmes devem passar. Como eu já disse, nada que não seja ilegal, nada que contenha simples ideias, deve ser combatido. Devem passar filmes conservadores, filmes de esquerda, e eu devo poder me posicionar sobre as ideias. DIARINHO – A intolerância com ideias contrárias se amplificou com a internet? Leandro: Sim. É parte de um mundo que trocou a razão pela subjetividade emotiva. Um processo de enfrentamento, e esse processo de enfrentamento tem a ver com o nosso “Narciso contemporâneo”, com o fato de que nós, cada vez mais, gostamos de nos manifestar em relação as coisas que gostamos, e nós não admitimos mais o contraditório. Nós estamos aprendendo ainda com a democracia. O aprendizado é lento. A maioria das pessoas apenas sabe xingar e não pensar. DIARINHO - O senhor como filósofo já foi hostilizado por suas ideias? É um bom momento para as suas provocações filosóficas? Leandro: Já fui hostilizado, especialmente em redes sociais. Pessoalmente, nenhuma vez. Mas em redes sociais é quase diário. Na minha página, entra alguém e começa a gritar: “seu comunista safado”. Eu penso: o que será um comunista? Alguém que segue Karl Marx? Eu nunca segui! Alguém que acha que Marx é o seu referencial teórico? Mas nunca foi o meu, nem na juventude. Mas, claro, é sempre comparativo: se alguém está à direita de Genghis Khan [imperador mongol que deixou um rastro de 40 milhões de mortos], eu devo ser um socialista para essa pessoa. DIARINHO - O Supremo Tribunal Federal decidiu recentemente sobre a permissão do estudo confessional de religião nas escolas públicas. O estado laico perde com isso? Leandro: O Estado laico vem perdendo bastante no Brasil. É importante dizer que as religiões são definidoras da sociedade. A religião é fundamental para a existência da sociedade. A religião é de foro íntimo, ela é livre, se não tiver nenhuma proposta ilegal, a religião é essencial para a definição de uma sociedade. Mas não é função do estado ensinar religião nas escolas. É função das religiões, especialmente por ter permitido o ensino confessional. O modelo que eu apoio surgiu em São Paulo. Eu sou autor dos livros de ensino religioso em São Paulo, que é um estudo histórico e antropológico das religiões. Isso que eu acredito, isso é bom. Agora ensinar religiões, vamos começar pensando: como ficam todas as demais religiões? Quem ensinará candomblé onde houver um aluno adepto do candomblé?! Quem ensinará, por exemplo, um aluno ateu?! Quem ensinará o aluno espírita?! Teríamos 70 professores de religiões em cada escola?! Por isso que não cabe ao Estado particularizar e tornar individual o ensino de religião. Assim como não cabe ao Estado ensinar valores. Os valores devem ser familiares. Não se deve atribuir à escola o ensino de valores familiares. DIARINHO - Essa polarização política que tomou conta do país pode acirrar ainda mais a convivência entre brasileiros? As eleições de 2018 devem pacificar ou acentuar esse quadro? Leandro: Infelizmente é esse o horizonte. O nosso futuro imediato é que os polos estarão em destaque. Não surgiu ainda um candidato viável que não represente os polos. Infelizmente, a profecia que eu faço é essa: teremos um 2018 com muito adjetivo, muito xingamento, com pouco debate, nenhuma proposta e gente berrando que o outro é fim do mundo.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Clique aqui para fazer o seu cadastro.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Entre em contato com a redação ❯
WhatsAPP DIARINHO

Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






3.238.116.201

Últimas notícias

Preso homem que estuprou mulher na saída de balada

NAVEGANTES

Preso homem que estuprou mulher na saída de balada

Logistique conecta o sul do Brasil ao mercado global de logística

EXPOCENTRO BC

Logistique conecta o sul do Brasil ao mercado global de logística

Pitbull ataca menina de três anos em pracinha; veja o vídeo

Navegantes

Pitbull ataca menina de três anos em pracinha; veja o vídeo

PM prende cara com maconha, armas e munições no Limoeiro  

ITAJAÍ  

PM prende cara com maconha, armas e munições no Limoeiro  

Gasolina tá quase 30 centavos mais cara nas bombas em Itajaí

Olho no bolso

Gasolina tá quase 30 centavos mais cara nas bombas em Itajaí

Dazaranha, Maskavo e Déte Pexera dão brilho à programação da região

FOCA NO FINDE

Dazaranha, Maskavo e Déte Pexera dão brilho à programação da região

Catarinense foragido e na lista da Interpol é preso na Espanha

FIM DA LINHA

Catarinense foragido e na lista da Interpol é preso na Espanha

Peeling de fenol: jovem morreu intoxicado pelo produto

Laudo do IML

Peeling de fenol: jovem morreu intoxicado pelo produto

Oitavas de final da Copa do Brasil terá Flamengo x Palmeiras

Futebol

Oitavas de final da Copa do Brasil terá Flamengo x Palmeiras

 Ruas de Camboriú são interditadas para obras

TRÂNSITO

Ruas de Camboriú são interditadas para obras



Colunistas

Esquenta a briga do MDB da Dubai

JotaCê

Esquenta a briga do MDB da Dubai

Coluna Esplanada

Segredo oficial

Diário do Investidor

Proteja sua “maquininha de fazer dinheiro”

Festa da Marvel

Gente & Notícia

Festa da Marvel

“Quiz Lady”

Via Streaming

“Quiz Lady”

Convivendo com a imperfeição

Ideal Mente

Convivendo com a imperfeição

Expectativa no Gigantão

Show de Bola

Expectativa no Gigantão

Direito na mão

Aposentadoria pelo pedágio de 50% e 100%: como funciona?

Saudades de um dia de sol

Foto do Dia

Saudades de um dia de sol

Coluna Exitus na Política

Um tiro pela culatra

Medalha de Bolsonaro a Milei, repórter hostilizada em evento de BC e mais: confira os destaques do DIARINHO nas redes sociais

Na Rede

Medalha de Bolsonaro a Milei, repórter hostilizada em evento de BC e mais: confira os destaques do DIARINHO nas redes sociais

Trip dos Silva

Jackie Rosa

Trip dos Silva

Tema: pedir aumento de salário, dicas para um assunto delicado

Mundo Corporativo

Tema: pedir aumento de salário, dicas para um assunto delicado

Viva a Marina

Coluna do Ton

Viva a Marina

Vento terral ou “rapa-canela”: o frio em Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Vento terral ou “rapa-canela”: o frio em Itajaí

Histórias que eu conto

Colégio Catarinense 7 – final

Artigos

Nos 164 anos de Itajaí, as pontes são para o futuro



TV DIARINHO


😱🚑 Menina de três anos é atacada por pit bull em praça de Navegantes. Duas pessoas tiveram que ajudar ...



Podcast

Menina é atacada por pit bull em pracinha

Menina é atacada por pit bull em pracinha

Publicado 18/07/2024 19:41



Especiais

Dicas para curtir Penha o ano inteiro

PARTIU?

Dicas para curtir Penha o ano inteiro

Atrações turísticas remontam à história da colonização

SÉCULO 18

Atrações turísticas remontam à história da colonização

Penha vai catalogar praias secretas e “paraísos escondidos”

TURISMO

Penha vai catalogar praias secretas e “paraísos escondidos”

Fósseis que valem milhões e foram extraídos ilegalmente voltam ao Brasil

Saque internacional

Fósseis que valem milhões e foram extraídos ilegalmente voltam ao Brasil

Steven Levitsky: “O atentado contra Trump vai ter menos impacto que a facada em Bolsonaro”

POLÍTICA

Steven Levitsky: “O atentado contra Trump vai ter menos impacto que a facada em Bolsonaro”



Blogs

Caminhando

Blog do JC

Caminhando

Crioula busca o tri da SIVI

A bordo do esporte

Crioula busca o tri da SIVI

 Reta final

Blog da Jackie

Reta final

limpa intestino

Blog da Ale Francoise

limpa intestino

Arquiteta Jordana Battisti, de Balneário Camboriú, apresenta o Café Bistrô Chá da Alice na CASACOR/SC - Itapema

Blog do Ton

Arquiteta Jordana Battisti, de Balneário Camboriú, apresenta o Café Bistrô Chá da Alice na CASACOR/SC - Itapema

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

"Hoje nós não temos um litro de esgoto tratado em Navegantes”

Rogério Tomaz Corrêa

"Hoje nós não temos um litro de esgoto tratado em Navegantes”

"Nós já éramos PL antes do Bolsonaro entrar no PL. Nós não somos aproveitadores que entramos agora”

Carlos Humberto

"Nós já éramos PL antes do Bolsonaro entrar no PL. Nós não somos aproveitadores que entramos agora”

"O prefeito foi sete vezes a Dubai, em um ano, mas não se tem notícia de ter se reunido em um bairro de Balneário Camboriú”

Claudir Maciel

"O prefeito foi sete vezes a Dubai, em um ano, mas não se tem notícia de ter se reunido em um bairro de Balneário Camboriú”

"Eu digo que Camboriú não é uma bola para sair chutando. Muito menos cemitério de elefantes"

John Lenon Teodoro

"Eu digo que Camboriú não é uma bola para sair chutando. Muito menos cemitério de elefantes"



Hoje nas bancas

Capa de hoje
Folheie o jornal aqui ❯








Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação