Matérias | Especial


Itajaí

Um estudante com vontade de ajudar

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Pedro Pinheiro Barbosa, 23 anos, nasceu em Brasília. Há três anos, ele deixou o Distrito Federal e veio morar em Balneário Camboriú, para estudar Medicina na Univali. Escolheu a profissão porque tinha interesse nas áreas biológicas e buscava entender o máximo das coisas. Só que basta conversar com ele por mais de 10 minutos,para notar que a escolha vai além dessas razões.

Na quinta-feira, dia 8, ao saber do risco de enchente em Itajaí, começou a se preparar para ajudar. Comprou água e alguns alimentos. Anunciou em sua página da rede social Facebook que gostaria de saber onde poderia ser voluntário. Logo veio a informação: abrigo da paróquia de São Cristóvão, no bairro Cordeiros. O abrigo foi primeiro a lotar, com 700 pessoas, vindas, a maioria, da Murta e do Jardim Esperança, o Brejo, as duas localidades mais baixas do bairro. Procurou o endereço na internet e sozinho, em seu carro, chegou até o local na quinta-feira à noite.

Passou a primeira madrugada ajudando a servir café e a preparar a primeira refeição da sexta-feira. Ficou no local até domingo e só foi para casa buscar a bateria do celular e alguns pertences pessoais ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


Na quinta-feira, dia 8, ao saber do risco de enchente em Itajaí, começou a se preparar para ajudar. Comprou água e alguns alimentos. Anunciou em sua página da rede social Facebook que gostaria de saber onde poderia ser voluntário. Logo veio a informação: abrigo da paróquia de São Cristóvão, no bairro Cordeiros. O abrigo foi primeiro a lotar, com 700 pessoas, vindas, a maioria, da Murta e do Jardim Esperança, o Brejo, as duas localidades mais baixas do bairro. Procurou o endereço na internet e sozinho, em seu carro, chegou até o local na quinta-feira à noite.

Passou a primeira madrugada ajudando a servir café e a preparar a primeira refeição da sexta-feira. Ficou no local até domingo e só foi para casa buscar a bateria do celular e alguns pertences pessoais. Se dedicou, na opinião de outros voluntários anônimos que ali trabalharam, intensamente a ajudar o próximo.



A primeira experiência de Pedro como voluntário de uma catástrofe natural deixará marcas. O estudante lembra das pessoas chegando de várias maneiras no abrigo. “O maior fluxo de pessoas foi nos primeiros dias e à noite. Eles chegavam pedindo cobertor e colchão”, relembra. As marcas positivas vieram da organização do abrigo, que, graças a um sistema de filas, não deixou faltar comida e facilitou a distribuição de donativos.

As negativas vieram da constatação do egoísmo humano. “Eu fiquei meio chateado com pessoas adultas que pareciam que queriam pegar colchão e cobertor, quando já tinham, sendo que tinha gente precisando”, conta.

O estudante entende que numa situação de desespero é isso que acontece, mesmo assim lamenta a falta de espírito coletivo. “Tinha uma criança dormindo só em cima de um lençol e estava com bronquite. Você vê gente pedindo coisas quando poderia dar uma volta e ver que tinha quem precisasse mais do que ela, isso me deixou meio chateado”, revela.


A criança, segundo Pedro, foi retirada do chão assim que o primeiro caminhão com donativos foi trazido pelo Exército. “Aí conseguiram controlar um pouco mais a situação, ainda tinha gente pedindo, mas dava pra controlar”, comenta, falando que nos últimos dias estava tudo mais tranquilo, graças as doações que chegaram. “Os piores dias foram os primeiros, que tem muita gente e aí faltavam coisas. Comida não faltou hora nenhuma. Na minha opinião, eu tava achando a comida melhor que a da faculdade”, compara.

Um dos momentos mais difíceis vivido pelo estudante era negar donativos a quem pedia. “É uma coisa muito ruim ter que negar algumas coisas. Quando chegavam mantimentos, as pessoas pediam muito, mas tinha que priorizar, controlar. Essa priorização, que fazia mais do que sentido, era uma coisa triste de fazer. Ter que negar algo para alguém”, lamenta. O estudante lembra que até as fraldas, que eram dadas pras mães com bebês, eram racionadas. “Não podíamos dar um pacote, tinha que dar no máximo quatro fraldas por mãe. Era bastante complicado”, comenta.

Mesmo estando no sétimo período de Medicina, Pedro não se sentiu à vontade para atuar em sua área profissional. O mais próximo que chegou da medicina foi notar a desidratação de um senhor que estava com diarreia e providenciar um soro caseiro. Nos dias que atuou no abrigo, deixou o jaleco de lado e ajudou da melhor maneira que um ser humano pode ajudar: de coração aberto ao outro.

LIÇÃO DA CHEIA

“O fato das pessoas, por qualquer que seja a razão, quererem pegar mais coisas, quando já tinham, e deixar outras sem. Gostaria que as pessoas conseguissem evoluir para dar prioridade aos que mais necessitam. Que a gente tivesse a capacidade de olhar em volta, para as pessoas, e trabalhar junto, ao invés de tentar pegar as coisas só para a gente. Todo mundo tem problemas, mas trabalhando junto, como foi mostrado pelo pessoal da coordenação, dá para conseguir resultados muitos bons”


IMAGEM DA ENCHENTE

“Uma criança dormindo só em cima de um lençol , e que estava com bronquite. Você vê gente pedindo coisas quando poderia dar uma volta e ver que tinha quem precisasse mais do que ela”





Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






100.26.196.222

Últimas notícias

SENADO

PEC de senador catarinense dá super imunidade parlamentar no Congresso Nacional

ALTURA DE PENHA

Vídeo: BR 101 está interditada após acidente

CRUEL

Assassino de empresário de Balneário é condenado a quase 20 anos de prisão 

INDENIZAÇÃO

Fãs catarinenses podem ser indenizados por cancelamento de show de Taylor Swift

CENA DE TERROR

Caminhoneiro encontra cabeça humana em posto de combustível 

CONFIRMADA!

Jessie J volta ao Brasil em abril 

OPORTUNIDADE

IFC tem cursos gratuitos de informática, defesa civil e outros para idosos

“Rota de fuga”

Itajaí dá a largada para nova rodovia entre a Antônio Heil e a Jorge Lacerda

SAÚDE

Bebê de um mês e 29 dias morre por dengue em Joinville

TRAGÉDIA 

Adolescente morre em acidente entre carro e duas motos em Luiz Alves



Colunistas

JotaCê

Bate-papo com o reitor

Coluna Esplanada

Imortalidade em risco

Gente & Notícia

Dupla de estrelas

Via Streaming

“Um Dia”

Ideal Mente

Precipitação

Direito na mão

Planejamento previdenciário: ponto a ponto

Coluna Exitus na Política

O TEMPO DA INDETERMINAÇÃO

Empreender

Balneário Camboriú no radar dos investimentos norte-americanos

Na Rede

Se liga nas notícias que bombaram nas redes do DIARINHO

Jackie Rosa

Ai que calor!

Histórias que eu conto

Histórias da Hercílio Luz

Artigos

O novo Plano Diretor de Itajaí só tem vencedores

Coluna Existir e Resistir

United Colors Sarará

Foto do Dia

A ver navios

Show de Bola

Grande campanha

Coluna do Ton

Destaque da Salgueiro

Clique diário

Tesouro

Coluna Fato&Comentário

O Porto é nosso?



TV DIARINHO


O crime de injúria racial aconteceu em sessão do filme de Bob Marley no cinema do shopping na noite ...





Especiais

Caso Ilha de Marajó

Vereadora de Navegantes está entre os políticos que impulsionaram fake news sobre exploração sexual infantil

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

VIAGEM NO TEMPO

Museu do Carro traz nostalgia e diversão sobre o universo automotivo

NOVOS TEMPOS

SC é pioneira na promoção da mobilidade elétrica

PLANEJAMENTO URBANO

Camboriú vai investir mais de R$ 60 milhões em mobilidade



Blogs

A bordo do esporte

Thiago Pereira e Swim Floripa levam Troféu José Finkel para Floripa

Blog da Jackie

Verão, calor, quentura e mormaço

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog do JC

Mulheres MDBistas

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação