Matérias | Geral


Itajaí

Parque da Atalaia passa por garibada

Trampo deve durar quatro meses e promete ser a solução definitiva pros deslizamentos no morro

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Lama, árvores, terra vermelha e enormes pedras no meio da paisagem de um cartão-postal de Itajaí. O cenário, à primeira vista, choca e assusta quem passa pela rua Francisco Evaristo Canziani, no caminho de acesso a algumas praias da cidade. Mas o que tá rolando por lá, no parque da Atalaia, ao lado do centro de Educação Ambiental (CEA) da Famai, é um trabalho que visa recuperar a encosta e livrá-la dos riscos de desmoronamentos, que ocorreram por duas vezes apenas no mês de agosto.

A recuperação do parque, que começou há 20 dias, é um projeto da fundação do Meio Ambiente de Itajaí (Famai) e deve se estender por até quatro meses. Ao todo, vão ser investidos R$ 446.029,64 na obra, grana que virá dos R$ 522.962,52 aprovados pela câmara técnica da fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) e repassados pela empresa PB Empreendimentos Imobiliários, responsável pelo complexo Habitacional Canto da Brava, à Famai. “Foi uma compensação ambiental do EIA/Rima [estudo de Impacto Ambiental] da obra que a empresa fez. Eles repassaram 0,5% do valor gasto”, informa Evandro Baron, assessor de imprensa da Fatma.

O gerente de análise de projetos da Famai, Rodrigo Gaspar, diz que o trabalho no morro é essencial, pois a área representava risco pra todos que passavam por ali. “É urgente o trabalho no morro. ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


A recuperação do parque, que começou há 20 dias, é um projeto da fundação do Meio Ambiente de Itajaí (Famai) e deve se estender por até quatro meses. Ao todo, vão ser investidos R$ 446.029,64 na obra, grana que virá dos R$ 522.962,52 aprovados pela câmara técnica da fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) e repassados pela empresa PB Empreendimentos Imobiliários, responsável pelo complexo Habitacional Canto da Brava, à Famai. “Foi uma compensação ambiental do EIA/Rima [estudo de Impacto Ambiental] da obra que a empresa fez. Eles repassaram 0,5% do valor gasto”, informa Evandro Baron, assessor de imprensa da Fatma.

O gerente de análise de projetos da Famai, Rodrigo Gaspar, diz que o trabalho no morro é essencial, pois a área representava risco pra todos que passavam por ali. “É urgente o trabalho no morro. Todos os dias, 50 crianças frequentavam o CEA, fora os funcionários. Além disso, tem os pedestres e carros”, aponta. Ao todo, 3,5 mil caminhões vão sair carregados de terra da morraria. O material tá sendo levado pro aterro da empresa Azimut, que constrói iates chiquetosos.



Emergencial

O trabalho na encosta foi precedido por três laudos técnicos emitidos por geólogos da defesa Civil peixeira. O coordenador técnico da Famai, Lair Oliveira, conta que não foi necessário emitir licença ambiental pra obra, pois a encosta já estava em situação de risco, o que permite à fundação realizar o trampo em caráter emergencial. “A obra em si não precisa de licença. Mas pra supressão de vegetação é preciso autorização, que foi concedida pela Fatma”, explica.

Lair cita o deslizamento no morro da Atalaia, ao lado do CEA, em janeiro deste ano, como o momento em que a Famai percebeu a urgência na recuperação do local. Apesar de a paisagem estar diferente na morraria da Atalaia, isso tudo, diz o bagrão, é necessário pro futuro da encosta e do parque. “Essa obra não é paliativa, mas sim definitiva”, define.


Segundo Lair, o trabalho de erosão é lento e contínuo, pois a terra sempre vai mexer. “A gente tem é que tentar conter isso”, comenta, dizendo que um engenheiro civil e um biólogo da prefa, além de Gaspar, se reúnem com ele, Lair, a cada 15 dias, pra enviar relatórios detalhados pra Fatma sobre o trampo.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






44.192.15.251

TV DIARINHO






Especiais

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

violência

Brasil tem um assassinato de pessoa trans a cada três dias

Programa diferente

Na Estrada: Escapada pra Curitiba num finde de verão

Presidente do STM

Acampamentos golpistas “foram tolerados por orientação” militar

Agropecuária

Bancada adota ‘discurso tóxico’ em anúncios nas redes sociais



Blogs

A bordo do esporte

Volta da Ilha das Cabras abre temporada de regatas em São Paulo

Blog do JC

Lula e o genocídio

Gente & Notícia

Churrasco On Fire, da dupla Fernando e Sorocaba, chega a Massaranduba

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog da Jackie

O ‘sim’ de Ângela e Dolor

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação