Matérias | Geral


Itajaí

No dia de Finados peixeiro, abraços no cemitério

De cara pintada e com sorriso no rosto, grupo de evangélicos passou a tarde levando carinho numa data inundada de tristeza

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]


No cartaz estava escrito “abraço grátis”. Quem o segurava tinha o rosto pintado com uma maquiagem teatral e um sorriso fácil. Ao todo, eram oito pessoas posicionadas no lado esquerdo de quem entrava no cemitério Municipal da Fazenda, em Itajaí. Num contraponto ao dia de Finados, que por si só é triste e saudoso, missionários de uma igreja evangélica resolveram acolher, na base do abraço, quem chegava pra visitar sepulturas e prestar homenagem a familiares ou amigos que já se foram.


Os carinhos foram muitos e as reações do povão também. “Achei estranho no início, mas depois também ganhei um abraço. Muito boa a ideia deles”, disse a aposentada Carmem Lúcia, 62 anos, que visitou ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

OU

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


Os carinhos foram muitos e as reações do povão também. “Achei estranho no início, mas depois também ganhei um abraço. Muito boa a ideia deles”, disse a aposentada Carmem Lúcia, 62 anos, que visitou o túmulo do marido ontem à tarde. Natural de Santos/SP, o missionário Davi Muniz, 29, chegou em Itajaí há três anos. Ontem, no meio da tarde, ele já tinha dado mais de 200 abraços em homens, mulheres e crianças, que chegavam a se emocionar com o ato fraternal de desconhecidos. Desabafos e agradecimentos, segundo Davi, eram as palavras mais frequentes que ouvia. “Muitas pessoas ainda estão frágeis, pois perderam os parentes recentemente, então um consolo e uma palavra amiga ajudam a suportar a dor deste momento”, acredita.



Este contato com as pessoas e suas histórias não trazia emoção somente pra quem desabafava, mas também pros missionários que, por vezes, não seguravam as lágrimas e choravam junto com um desconhecido qualquer. Davi perdeu as contas de quantas vezes o rosto ficou molhado na tarde ensolarada do dia de Finados. “Olha, diversas vezes eu me emocionei junto com as pessoas, porque você acaba se aproximando daquela história e se envolve com isso”, conta, confirmando que esta foi a primeira edição do “abraço grátis”. Ele espera repetir o gesto todos os anos a partir de agora. “Depois desta experiência, vamos estar sempre aqui no dia de Finados”, garante.


Há 15 anos o mesmo coveiro é responsável pelo cemitério da Barra, no Balneário

O chapéu de palha serve pra proteger do sol. A fala mansa demonstra a experiência de mais de 15 anos trampando como coveiro no cemitério Municipal da Barra, em Balneário Camboriú. Manoel Pereira, 56 anos, é um sujeito simples e simpático, que conhece como a palma da mão cada cantinho, cada lápide e sepultura espalhados pelos dois terrenos que formam o cemitério do bairro, perto da BR-101. “O cemitério é onde vivo a maior parte do meu dia e hoje eu tô sentindo falta da minha mãe, que morreu há exatamente 14 anos”, conta.


O trampo de Manoel é complicado. Segundo ele, tem dias em que chega a fazer cinco enterros entre a manhã e a tarde. Questionado se fica indiferente a tanta dor em sua volta, o coveiro não titubeia. “Quase todo enterro que eu faço, eu choro também. Mesmo que eu nunca tenha visto a pessoa, preciso às vezes sair pro cantinho pra chorar sossegado”, admite.

Comércio no feriado

No dia de Finados, muita gente também ganha um dinheirinho vendendo flores, caldo de cana ou picolés na entrada dos cemitérios. Em Balneário não foi diferente. A vendedora Cleusa Aparecida de Oliveira, 31, já havia vendido, no meio da tarde de ontem, mais de 20 arranjos com flores de plástico. Além das vendas, Cleusa também se torna ouvinte do povão. “Muitos aproveitam e contam um pouco da história de quem morreu”, diz.

O choro da família que ainda não superou a perda do patriarca


A pele enrugada de Osvaldina Oliveira da Silva, 72 anos, retrata a dor da perda do companheiro de mais de duas décadas. Depois de ter chorado bastante debaixo do sol forte, dona Nena começou a conversar com o DIARINHO e disse que o filho e o marido, que descansam no cemitério Municipal da Barra, em Balneário Camboriú, estão mais presentes do que nunca na sua vida. “Eu sinto que eles ainda tão comigo, mesmo que não seja fisicamente, mesmo com saudade, parece que eles ainda tão aqui perto”, revela.

O sentimento mais forte em dona Nena é a saudade. Por isso, ela costuma visitar o túmulo dos dois familiares com bastante frequência. A aposentada acredita que isso os deixa felizes, onde quer que estejam. O pedreiro Adriano Santos, 37, neto de Nena, disse que já havia retirado os matinhos que crescem ao redor da sepultura, limpado as manchas do mármore e enfeitado o túmulo com flores, além das velas acesas. “Viemos em cinco pessoas de quatro gerações da família. Assim, posso passar pra minha filha, por exemplo, o respeito que se deve ter com os mortos”, ensina.

Não muito longe de onde estava dona Nena, o pescador Raul Alexandre, 60, morador de Taquaras, calculava em 20 os familiares e amigos enterrados no cemitério da Barra. Com o neto a tiracolo, Raul afirma que hoje não sente tanta tristeza em visitar os que já se foram, porque, na visão dele, o momento não é pra ser triste, mas sim alegre por poder lembrar daqueles que passaram por aqui. “Saudade a gente sempre tem, mas também temos alegria em lembrar as coisas que vivemos juntos”, filosofa.

O cemitério da Maravilha do Atlântico teve um grande movimento durante toda a quarta-feira. Mas o que mais chamou a atenção da reportagem foi o choro descontrolado de dona Nena ao relembrar de Augusto Roberto de Souza, seu falecido marido, que foi atropelado no amanhecer de 25 de maio de 2008, quando voltava pra casa depois de um dia inteiro de trabalho. “O Beto me faz uma falta danada, ele não sai da minha cabeça”, relata.





Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Clique aqui para fazer o seu cadastro.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Entre em contato com a redação ❯
WhatsAPP DIARINHO

Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






34.239.176.54

Últimas notícias

Faltam lixeiras em algumas praias de Itajaí e sobram em outras, reclama morador

Denúncia

Faltam lixeiras em algumas praias de Itajaí e sobram em outras, reclama morador

Cantor Nahim morre aos 71 anos em São Paulo 

DESPEDIDA 

Cantor Nahim morre aos 71 anos em São Paulo 

Brusque tem vagas de emprego para quase 100 áreas; veja todas as ofertas  

Contrata-se!

Brusque tem vagas de emprego para quase 100 áreas; veja todas as ofertas  

BMW Série 3 ganha atualização em 2024

Mais moderno

BMW Série 3 ganha atualização em 2024

Creches Sementes do Amanhã e Rio das Ostras suspendem aulas por surto de sarna

Balneário Camboriú

Creches Sementes do Amanhã e Rio das Ostras suspendem aulas por surto de sarna

Urgente: Motorista de caminhão morre afogado em queda no rio Camboriú

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Urgente: Motorista de caminhão morre afogado em queda no rio Camboriú

Vídeo: motorista faz strike em motos estacionadas no Mercado Público 

ITAJAÍ

Vídeo: motorista faz strike em motos estacionadas no Mercado Público 

Homem queima 30 kg de fios de cobre na Murta

ITAJAÍ

Homem queima 30 kg de fios de cobre na Murta

Brasil fica no empate com os Estados Unidos

Futebol

Brasil fica no empate com os Estados Unidos

Pena: Barra cede o empate ao Cianorte e sai do G4

Série D

Pena: Barra cede o empate ao Cianorte e sai do G4



Colunistas

Vergonheira sem fim

JotaCê

Vergonheira sem fim

Coluna Esplanada

Vai ter petróleo

O dinheiro te serve ou você serve o dinheiro?

Diário do Investidor

O dinheiro te serve ou você serve o dinheiro?

Poder, obsessão e assassinato

Via Streaming

Poder, obsessão e assassinato

Ideal Mente

Você tem fome de quê?

Como o tempo de trabalho rural pode beneficiar sua aposentadoria

Direito na mão

Como o tempo de trabalho rural pode beneficiar sua aposentadoria

O busão voltou

Show de Bola

O busão voltou

Explosão na oficina de motos, catarinense no leilão do Neymar e mais: o que bombou nas redes do DIARINHO

Na Rede

Explosão na oficina de motos, catarinense no leilão do Neymar e mais: o que bombou nas redes do DIARINHO

Niver da Candice

Coluna do Ton

Niver da Candice

Cansado das mesmas coisas na empresa, é hora de mudar?

Mundo Corporativo

Cansado das mesmas coisas na empresa, é hora de mudar?

Colégio Catarinense 4

Histórias que eu conto

Colégio Catarinense 4

Coluna Exitus na Política

O CHARME DA POLÍTICA: IGUALDADE E LIBERDADE [1]

Felizes para sempre

Jackie Rosa

Felizes para sempre

Associativismo comunitário em Itajaí: o começo

Coluna Fato&Comentário

Associativismo comunitário em Itajaí: o começo

O combate ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes é um compromisso coletivo

Artigos

O combate ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes é um compromisso coletivo

Níver da Margot

Gente & Notícia

Níver da Margot

“O mar, quando quebra na praia”

Foto do Dia

“O mar, quando quebra na praia”

Coluna Existir e Resistir

Designação geral sobre o fim do mundo



TV DIARINHO


Um motorista promoveu um verdadeiro strike em motos estacionadas em frente do Mercado Público de Itajaí ...





Especiais

“Faltou escala para mostrar as chuvas no mapa”, diz chefe do Inmet em Porto Alegre

RIO GRANDE DO SUL

“Faltou escala para mostrar as chuvas no mapa”, diz chefe do Inmet em Porto Alegre

JBS e FriGol teriam comprado gado ilegal criado na terra indígena Apyterewa

ONG DENUNCIA

JBS e FriGol teriam comprado gado ilegal criado na terra indígena Apyterewa

Passeio verde, arte e vida urbana: mergulho em São Paulo

NA ESTRADA

Passeio verde, arte e vida urbana: mergulho em São Paulo

No Rio Grande do Sul, indígenas temem deixar suas casas pela inundação e perder território

TRAGÉDIA

No Rio Grande do Sul, indígenas temem deixar suas casas pela inundação e perder território

Escolas cívico-militares avançam nos estados

Sem apoio federal

Escolas cívico-militares avançam nos estados



Blogs

Chinelagem chic

Blog da Jackie

Chinelagem chic

Apoios

Blog do JC

Apoios

Paulista de Star 2024 será neste fim de semana no YCSA

A bordo do esporte

Paulista de Star 2024 será neste fim de semana no YCSA

A pílula da felicidade

Blog da Ale Francoise

A pílula da felicidade

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Blog do Ton

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

“Este muro imaginário de [BC] rica e [Camboriú] pobre que tem que acabar”

LEONEL PAVAN

“Este muro imaginário de [BC] rica e [Camboriú] pobre que tem que acabar”

"No momento que eu implanto o pronto-socorro dentro de uma das alas do Ruth, eu resolvo atender o ser humano e não comprovante de residência e título de eleitor”

Edson Piriquito

"No momento que eu implanto o pronto-socorro dentro de uma das alas do Ruth, eu resolvo atender o ser humano e não comprovante de residência e título de eleitor”

"Balneário Camboriú não precisa de capitão, fantoches, seres iluminados, ungidos. Precisa de pessoas comprometidas com a democracia”

Marisa Zanoni Fernandes

"Balneário Camboriú não precisa de capitão, fantoches, seres iluminados, ungidos. Precisa de pessoas comprometidas com a democracia”

"Nós reciclamos só 6% no Brasil. Na Europa já é 50%. A própria China já está com 35% de reciclagem”  (Vilfredo)

Vilfredo e Heloísa Schurmann

"Nós reciclamos só 6% no Brasil. Na Europa já é 50%. A própria China já está com 35% de reciclagem” (Vilfredo)



Hoje nas bancas

Capa de hoje
Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação