Matérias | Polícia


Itajaí

PM tá de zolho nas fuças dos assaltantes

Setor usa filmagens de comércios e residências para identificar os assaltantes que atacam na city peixeira

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Filmagens feitas por câmeras de segurança de comércios, casas e das ruas de Itajaí estão ajudando a polícia Militar a reconhecer e prender assaltantes. De janeiro a setembro deste ano, 40 bandidos foram reconhecidos através das bisbilhoteiras. A identificação foi feita pelo setor que tem nome de loja de departamento, mas, na verdade, é comandado pela polícia Militar peixeira. A intenção é identificar assaltantes que aprontam na cidade. A ação do Pós-crime, garante a PM, tem feito os roubos diminuírem.

O setor foi criado em fevereiro de 2012, funciona em uma sala do batalhão peixeiro e tem dois policiais exclusivos para realizar o trabalho. Desde a criação, já investigou mais de 400 ocorrências ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


O setor foi criado em fevereiro de 2012, funciona em uma sala do batalhão peixeiro e tem dois policiais exclusivos para realizar o trabalho. Desde a criação, já investigou mais de 400 ocorrências.

Os bandidos Josias Klock, suspeito de praticar quatro assaltos a lojas em Itajaí, e Jonas da Silva, que atacou a casa do secretário de Obras, Tarcízio Zanelato, estão entre os criminosos identificados através do trabalho do setor do Pós-crim. A dupla, apesar de identificada, segue foragida.



O trabalho feito pelo cabo Dongeles Gonçalves e pelo soldado Jullian Sachuk começa após cada assalto a casa ou comércio registrado. “A gente só deixa de ir quando estamos empenhados em outra ação”, explica Gonçalves. Após o assalto, os dois conversam com a vítima, para ver se há alguma chance de reconhecer os assaltantes ou então verificar se existem imagens de câmeras de segurança pra ajudar na identificação dos criminosos.

Dos 185 assaltos registrados a casas e comércios peixeiros de janeiro até setembro deste ano, 40 criminosos foram reconhecidos ou presos pelo Pós-crime. O número pode parecer pequeno, comenta o cabo Gonçalves, mas antes do serviço nem mesmo cinco assaltantes eram identificados. Ainda segundo Gonçalves, antes de o trabalho começar a ser feito, era comum que as vítimas não registrassem o boletim de ocorrência por não acreditar que isso resultaria na prisão dos bandidos. “O comerciante ia à delegacia e virava estatística”, disse.


Mais de 10 mil fotos de suspeitos

Quando os bandidos agem de cara limpa e a vítima lembra das fuças do assaltante, ela é levada para o batalhão, onde os policiais apresentam uma série de fotos de quem possivelmente possa ter cometido o crime. O banco de dados do setor tem uma lista de pessoas já abordadas, presas e mais de 10 mil fotos de suspeitos. Neste banco de dados também são inseridas imagens de bandidos captadas das câmeras de segurança de comércios e casas atacadas.

Não há uma média de tempo para o reconhecimento ou conclusão de um assalto, mas já teve bandido indo parar em cana duas semanas após o crime. Muitas vezes, lembrou Sachuk, o assaltante não é preso pelo mesmo assalto, mas acaba reconhecido em outro roubo, e a ocorrência anterior acaba entrando pra ficha do cara.

“Todas as nossas ocorrências permanecem em aberto. A investigação não para”, explica Gonçalves.

Todo o levantamento feito pela PM é encaminhado para a delegacia, e a papelada ajuda o delegado a instaurar o inquérito policial.


Existe ainda uma parceria do setor com a divisão de Investigação Criminal. O Pós-crime fornece informações do banco de dados enquanto a DIC investiga e instaura o inquérito policial. “No ano passado, fizemos algumas prisões com base nesses dados”, comentou o delegado responsável pela DIC, Celso Pereira de Andrade. Embora Santa Catarina tenha 293 municípios, apenas Itajaí, Joinville e Balneário Camboriú possuem o setor de Pós-crime.

Setor auxilia em crimes comuns

O setor de examinar as bizolhudas foi criado para trabalhar com os casos de assaltos a comércios e residências da região, mas como o serviço se tornou conhecido entre o povão, é comum que a própria comunidade solicite o trampo. Foi o que aconteceu com uma funcionária da Havan. Na terça-feira passada, ela teve a Biz furtada do estacionamento, e as câmeras da loja flagraram a ação do bandido.


Depois de ver o vídeo, os PMs identificaram o criminoso através de uma tatuagem na perna esquerda. Jefferson Luiz Soares, 30 anos, confessou aos fardados que tinha surrupiado a moto e acabou preso. A Biz foi encontrada abandonada no molhe peixeiro. Na casa do criminoso, os policiais ainda recuperaram os objetos da funcionária que estavam dentro da Biz.

PM diz que assaltos também diminuíram

A PM acredita que o trabalho do Pós-crime está ajudando a reduzir o número de assaltos na cidade. No relatório da PM com o número de roubos em Itajaí de janeiro a agosto de 2013, divulgado pelo DIARINHO em setembro, ocorreram 187 assaltos a comércios e baias neste ano. Uma média de 23 roubos por mês. Segundo Gonçalves, antes do trampo do Pós-crime, a média era de 44 ao mês.

Além disso, os PMs já sacaram que para não serem reconhecidos por crimes anteriores os assaltantes estão fazendo um intercâmbio. Quem é de Itajaí assalta em Balneário Camboriú, e quem é de Balneário assalta em Itajaí. Para evitar que isso facilite a ação dos bandidos, a PM troca informações com os órgãos de segurança de outras cidades.

De acordo com o cabo Gonçalves, quem tiver imagem de crimes onde seja possível identificar a cara do bandido, pode entrar em contato com a PM peixeira. A prioridade do setor são os assaltos, mas quando houver um tempinho qualquer crime será investigado. “Não dá pra abraçar o mundo”, confessa o cabo. O telefone pra contato do Pós-crime é o (47) 9975-0499.





Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






35.168.110.128

TV DIARINHO


Entrevistão com Douglas Costa Beber  - Diretor Geral da Emasa



Podcast

Avalie o que importa

Publicado 13/08/2022 09:56



Especiais

ENTREVISTA

Duda Salabert “Quando uma travesti é eleita, a sociedade inteira avança”

Brasil

Quem está destruindo as unidades de conservação do cerrado

Saúde

Salsicha, hambúrguer e nugget: pesquisa identifica agrotóxicos em alimentos

famoso

Garçom há 30 anos, Claudinho ama BC

Diversidade religiosa

Mestre Marne quebrou tabus para defender a fé nos orixás



Blogs

A bordo do esporte

Maquete eletrônica do Salão Náutico Salvador com o Grand Pavois

Blog da Ale Francoise

Tá com tosse aí?

Blog Doutor Multas

Bafômetro pega vape: verdade ou mito? Entenda de uma vez por todas

Blog do JC

Desencantou

Blog do Ton

Blumenau ganhará o primeiro lounge bar em formato rooftop

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW



Entrevistão

Douglas Costa Beber

"Somos a cidade mais saneada de Santa Catarina e uma das mais saneadas do Brasil”

Gabriela Kelm do Nascimento

“A maioria entende que o calçadão da Hercílio Luz deve permanecer porque foi um ganho para a cidade ”

Normélio Weber

"O Hermeto Pascoal vai estar ali. O Toquinho vai estar aqui. O Brasileirão, de Curitiba... Vai estar Chico César...”

Cláudio Werner

“O nosso clube é um formador de atleta olímpico”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação