Colunas


Coluna Fato&Comentário

Por Edison d'Ávila -

Professor e historiador Moacir Costa


Conheci o professor Moacir Costa quando ainda estagiário no Museu Histórico de Itajaí, sendo ele aluno do Curso de História da Universidade do Vale do Itajaí/Univali.

Já durante os anos do estágio, demonstrou grande interesse acerca do conhecimento histórico de Itajaí, iniciando-se em leituras e  pesquisas no acervo documental do Arquivo Público de Itajaí.

Nascia ali, com certeza,  o gosto pela pesquisa histórica e o futuro historiador que o curso superior formava.  Era sensível,  muito atento, e buscava desvendar  processos  vivenciados na história da gente de Itajaí. Logo  aflorou-lhe todo interesse pela história vista de baixo, máxime do negro na sociedade itajaiense. 

Esforçado e estudioso, ele participou do primeiro concurso público de ingresso à Fundação Genésio Miranda Lins, mantenedora do Museu Histórico e Arquivo Público de Itajaí, em 1998, tendo recebido aprovação como “Guarda do Museu e Arquivo”. Depois de se formar, ingressou no magistério público municipal e estadual como professor de história; tendo atuado também como técnico na Secretaria Municipal de Educação de Itajaí.

Ainda como acadêmico,  publicaria aquela que deve ter sido sua primeira produção historiográfica, o artigo “Cansei de ser moderno, quero ser eterno”, estampado no “Anuário de Itajaí”, edição do ano 2000. Nesse escrito, com  tema sobre políticas de cuidados com o corpo, implementadas em Itajaí, como práticas de “modernidade”, no começo do século XX,  ele enquanto historia o surgimento de clubes e associações desportivas, não deixa de registrar a discriminação social e racial imperante nessas agremiações e na cidade. Já como historiador, viria a publicar livros importantes sobre a história do negro em Itajaí.

Essa consciência e seu compromisso  com o combate à exclusão social e ao racismo o fizeram militante do movimento negro. A militância de grupos da população afrodescendente itajaiense emergira a partir de 1991, com a criação do Movimento Negro Tio Marcos, pioneiro na luta contra o racismo, como prescreviam seus estatutos: “combate ao racismo, onde ele se faça presente; luta contra a discriminação racial e o preconceito de cor”; além do resgate da cultura de raízes africanas. Desse primeiro movimento se originaram os outros movimentos negros ora existentes na cidade.

O resgate das manifestações culturais de origem africana se deu principalmente pela retomada da “Festa de Nossa Senhora do Rosário”. Legítima criação da cultura afro-brasileira, a festa era secularmente realizada em Penha, mas havia sido levada à extinção. O movimento negro de Itajaí, então, fez o resgate  e a vem realizando na cidade, com suas danças e cantos de origem africana,  denominados congada, catumbi, Moçambique. Moacir e esposa foram rei e rainha da festa num ano.

A morte repentina do professor Moacir Costa, ocorrida na semana que passou, lamentavelmente vem privar a historiografia itajaiense de um competente operador do ofício de historiador.


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Fato&Comentário

O Porto é nosso?

Coluna Fato&Comentário

2024 - Auspicioso ano do Bicentenário

Coluna Fato&Comentário

Abonada e insensível

Coluna Fato&Comentário

Uma santa passou por Itajaí

Coluna Fato&Comentário

O Português de a dama

Coluna Fato&Comentário

Pasquins: livre expressão do povo

Coluna Fato&Comentário

Enchentes: lições da história

Coluna Fato&Comentário

O ambientalista global em Itajaí e o grande susto

Coluna Fato&Comentário

“Montecchios”e “Capuletos” também em Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Carijós, Peabiru e a foz do Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Itajaí: berço da indústria náutica

Coluna Fato&Comentário

Nóbrega Fontes, em duas comemorações

Coluna Fato&Comentário

Monsenhor Vendelino em Itajaí e sua época

Coluna Fato&Comentário

Trânsito público na Vila de Itajaí: normas de 1868

Coluna Fato&Comentário

Patrimônios em restauro: casas Bauer, Burghardt, Konder

Coluna Fato&Comentário

“Obras de Santa Engrácia”em Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Homens de negócios precisam dar um presente a Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Bicentenário da Paróquia e marco fundacional de Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Adão e o alfaiate

Coluna Fato&Comentário

Carros de mola e transporte público



Blogs

A bordo do esporte

Volta da Ilha das Cabras abre temporada de regatas em São Paulo

Blog do JC

Lula e o genocídio

Gente & Notícia

Churrasco On Fire, da dupla Fernando e Sorocaba, chega a Massaranduba

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog da Jackie

O ‘sim’ de Ângela e Dolor

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”

TV DIARINHO

Uma criança morreu atropelada por um caminhão no bairro São Vicente, em Itajaí, no final da manhã deste ...




Especiais

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

violência

Brasil tem um assassinato de pessoa trans a cada três dias

Programa diferente

Na Estrada: Escapada pra Curitiba num finde de verão

Presidente do STM

Acampamentos golpistas “foram tolerados por orientação” militar

Agropecuária

Bancada adota ‘discurso tóxico’ em anúncios nas redes sociais



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação