Colunas


Coluna Fato&Comentário

Por Edison d'Ávila -

Pedregulhos, estrada de ferro, Matadouro, Nossa S. das Graças


Edison d'Ávila-historiador

A prefeitura de Itajaí inaugurou no último sábado, dia 4 de fevereiro, a praça Nossa Senhora da Graça, no bairro do mesmo nome. Segundo notícia deste jornal, ela conta com centro comunitário, parque infantil, quadra de esporte, academia ao ar livre e biblioteca comunitária. Trata-se de  equipamento público de utilíssimo proveito social e cultural para os moradores.

Em verdade, o bairro de há muito tempo reclamava maior atenção do poder público com investimentos no campo social e cultural, que viessem somar ao trabalho social e educacional já realizado pela escola e centro infantil já em funcionamento por muito tempo. 

O bairro Nossa Senhora das Graças, localizado entre a rua Brusque e o maciço montanhoso do Morro da Cruz, já teve diferentes nomes. A primeira referência à localidade é do começo do século XX, quando em 1908 o político e comerciante Samuel Heusi doou ao município toda aquela faixa de terras para se construir o Matadouro Público. Em documentos, o lugar é chamado de Pedregulhos. Talvez porque no início da morraria se tirassem muitas pedras, usadas na construção civil como fundamento de edificações. Como no final da área há uma nascente de água, era lá que estava construído o Matadouro Público, que podia se utilizar da muita água corrente que existia. Naquela época e ainda por muitos anos depois, só era permitido  abater gado bovino para consumo da população em matadouros públicos. De lá saíam carroças e a seguir o caminhão da prefeitura que fazia a entrega da carne, em quartos do boi,  nos açougues da cidade para ser vendida a retalhos aos consumidores.

O povoamento mais adensado só começou a partir da inauguração da Estrada de Ferro, em 1954, que atravessou a localidade, sendo hoje o traçado da avenida do Contorno Sul, e onde se construiu pequena estação para embarque e desembarque dos viajantes do trem. Por causa da expansão econômica de Itajaí devida ao grande ciclo de exportação da madeira pelo porto, muita gente veio do interior do Vale do Itajaí, transportada pelo trem,  já desembarcavam ali na pequena estação e naquela área se estabeleciam.

Foi quando a região passou a ser denominada de Estrada de Ferro e considerada então a mais carente do município. Mas já nos anos finais da década de 1950 aquele nome fora abandonado e se passou a chamar de Matadouro.

Nessa mesma época, irmãs religiosas do Colégio São José e algumas moças e senhoras pertencentes à Pia União das Filhas de Maria, organização católica, voltaram-se a atender social e religiosamente aquela população pobre. Fora quando se obteve da prefeitura um terreno para  construção de pequena capela, dedicada a Nossa Senhora das Graças, justamente a área em que agora se construiu a praça.

Também coube ao município levar a cabo a construção de um estabelecimento de ensino primário, o qual se denominou Escolas Reunidas Irmã Anchieta, a religiosa que dera início ao trabalho social na localidade. Presentemente, a escola tem o nome de Grupo Escolar Carlos de Paula Seára, desde que foi construída, em 1970, uma nova edificação escolar que recebeu o nome do prefeito que a mandou construir.

Agora o bairro da cidade é identificado como Nossa Senhora das Graças, nome que é o mais apreciado pelos seus moradores e faz memória de parte importante da história daquela comunidade. 


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Fato&Comentário

O Porto é nosso?

Coluna Fato&Comentário

2024 - Auspicioso ano do Bicentenário

Coluna Fato&Comentário

Abonada e insensível

Coluna Fato&Comentário

Uma santa passou por Itajaí

Coluna Fato&Comentário

O Português de a dama

Coluna Fato&Comentário

Pasquins: livre expressão do povo

Coluna Fato&Comentário

Enchentes: lições da história

Coluna Fato&Comentário

O ambientalista global em Itajaí e o grande susto

Coluna Fato&Comentário

“Montecchios”e “Capuletos” também em Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Professor e historiador Moacir Costa

Coluna Fato&Comentário

Carijós, Peabiru e a foz do Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Itajaí: berço da indústria náutica

Coluna Fato&Comentário

Nóbrega Fontes, em duas comemorações

Coluna Fato&Comentário

Monsenhor Vendelino em Itajaí e sua época

Coluna Fato&Comentário

Trânsito público na Vila de Itajaí: normas de 1868

Coluna Fato&Comentário

Patrimônios em restauro: casas Bauer, Burghardt, Konder

Coluna Fato&Comentário

“Obras de Santa Engrácia”em Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Homens de negócios precisam dar um presente a Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Bicentenário da Paróquia e marco fundacional de Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Adão e o alfaiate



Blogs

A bordo do esporte

Volta da Ilha das Cabras abre temporada de regatas em São Paulo

Blog do JC

Lula e o genocídio

Gente & Notícia

Churrasco On Fire, da dupla Fernando e Sorocaba, chega a Massaranduba

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog da Jackie

O ‘sim’ de Ângela e Dolor

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”

TV DIARINHO

Uma criança morreu atropelada por um caminhão no bairro São Vicente, em Itajaí, no final da manhã deste ...




Especiais

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

violência

Brasil tem um assassinato de pessoa trans a cada três dias

Programa diferente

Na Estrada: Escapada pra Curitiba num finde de verão

Presidente do STM

Acampamentos golpistas “foram tolerados por orientação” militar

Agropecuária

Bancada adota ‘discurso tóxico’ em anúncios nas redes sociais



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação