Colunas


Coluna Fato&Comentário

Por Edison d'Ávila -

Casa Bauer: um impasse


Foto: Reprodução

O restauro e preservação da Casa Bauer, imóvel histórico tombado pelo Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Itajaí, e situado nas esquinas das ruas Pedro Ferreira e Prefeito Paulo Bauer com a rua Samuel Heusi, tem sido notícia frequente na imprensa.

Esse imóvel de características arquitetônicas neoclássicas foi construído em 1924 pela então Companhia Comércio e Indústria Malburg S/A. Adquirido em 1940 pela Companhia Comércio e Navegação Bauer, aí se instalaram a primeira agência da cidade para vendas de caminhões e o depósito de mercadorias a serem embarcadas nos navios da Bauer & Cia. para os portos de Santos, Rio de Janeiro e Recife.

As atividades comerciais da Bauer & Cia. só fizeram crescer, desde 1896 até 1964, quando as crises econômicas do país naquela década ocasionaram o seu declínio. Mas o prédio altaneiro e elegante se mantém de pé ainda hoje como testemunha histórica da época econômica do município em que se destacavam grandes companhias de comércio e navegação fundadas em Itajaí.

O edifício de dois pavimentos é mantido de pé, com elegância e altanaria, como memória de fase importante da história econômica itajaiense. Todavia, está a requerer urgentes obras de restauro, sob pena do seu desabamento. A família Bauer, ainda sua proprietária, sabe-se, tem pronto projeto de restauro e, o mais importante, recursos financeiros para investir nessa obra.

Há, entretanto, um impasse. A proprietária quer do município uma contrapartida que lhe permita ter retorno do investimento alto que quer fazer. É justo o pleito, pois a cidade ganhará com a criação de mais um centro comercial, com a recuperação urbana de um espaço degradado, e principalmente pela preservação e restauro de um bem de valor cultural e histórico.

A contrapartida que a família Bauer tem solicitado é autorização para construir no terreno vizinho de sua propriedade um edifício comercial que tenha mais do que os dois pavimentos atualmente permitidos. Sem essa autorização a construção do pretendido edifício comercial se torna economicamente inviável.

Então, por que não se usa a Lei do Solo Criado, que permite a outorga onerosa? Isto é, outorga onerosa para que o investidor tenha direito de construir mais andares do que o estipulado no Plano Diretor da cidade. Bastará pequeno adendo, aprovado pela Câmara Municipal,  à mesma lei, em que se possa ter outorga onerosa também para projetos de restauro e revitalização de imóveis tombados como patrimônio cultural e histórico do município, que seja atrativa a investidores. Ninguém investe seu capital sem retorno. Se para diversos edifícios novos, construídos e em construção na cidade, tem-se feito essa outorga, por que não para a conservação de prédios históricos tombados?

A Cultura e a História de Itajaí merecem também esse indispensável cuidado e  estímulo do município para sua preservação.


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Fato&Comentário

O Porto é nosso?

Coluna Fato&Comentário

2024 - Auspicioso ano do Bicentenário

Coluna Fato&Comentário

Abonada e insensível

Coluna Fato&Comentário

Uma santa passou por Itajaí

Coluna Fato&Comentário

O Português de a dama

Coluna Fato&Comentário

Pasquins: livre expressão do povo

Coluna Fato&Comentário

Enchentes: lições da história

Coluna Fato&Comentário

O ambientalista global em Itajaí e o grande susto

Coluna Fato&Comentário

“Montecchios”e “Capuletos” também em Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Professor e historiador Moacir Costa

Coluna Fato&Comentário

Carijós, Peabiru e a foz do Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Itajaí: berço da indústria náutica

Coluna Fato&Comentário

Nóbrega Fontes, em duas comemorações

Coluna Fato&Comentário

Monsenhor Vendelino em Itajaí e sua época

Coluna Fato&Comentário

Trânsito público na Vila de Itajaí: normas de 1868

Coluna Fato&Comentário

Patrimônios em restauro: casas Bauer, Burghardt, Konder

Coluna Fato&Comentário

“Obras de Santa Engrácia”em Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Homens de negócios precisam dar um presente a Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Bicentenário da Paróquia e marco fundacional de Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Adão e o alfaiate



Blogs

A bordo do esporte

Inaê Sailing Team segue entre os primeiros da Copa Mitsubishi

Blog do JC

Não sabe de nada...

Blog da Jackie

Verão, calor, quentura e mormaço

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”

TV DIARINHO




Especiais

MEIO AMBIENTE

Ibama proíbe pulverização aérea de agrotóxico letal a abelhas, o tiametoxam

Caso Ilha de Marajó

Vereadora de Navegantes está entre os políticos que impulsionaram fake news sobre exploração sexual infantil

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

VIAGEM NO TEMPO

Museu do Carro traz nostalgia e diversão sobre o universo automotivo

NOVOS TEMPOS

SC é pioneira na promoção da mobilidade elétrica



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação