Colunas


Coluna Fato&Comentário

Por Edison d'Ávila -

Voto secreto e escondido


Vive-se agora no Brasil período de eleições gerais para o executivo federal e estadual, bem como para cargos de deputados e senadores. Em nosso país, vota-se desde 1532, quando, em São Vicente/SP,  foram eleitos  vereadores da Câmara Municipal da Vila, a primeira fundada no Brasil.

Itajaí passou a conviver com eleições desde 1834, quando os votantes escolheram aqui eleitores para ir votar na sede do distrito eleitoral, em São Francisco do Sul.

Então, vale relembrar como, no país e município de Itajaí, eram realizadas as eleições de antigamente e como se votava. As eleições gerais para a Assembleia Provincial, Câmara e Senado se faziam em duas etapas, porque a escolha dos representantes era indireta. Primeiro, em cada paróquia, os votantes escolhiam o eleitores e estes, reunidos na Igreja Matriz de cada município sede de colégio eleitoral, elegiam então os representantes: senadores, deputados gerais e deputados provinciais. Isso no tempo do Império.

Na primeira República, 1889/1930, acabaram-se os distritos eleitorais e a eleição em dois graus ou duas etapas. Eram eleitos diretamente os representantes legislativos; assim como presidente da República, governadores dos estados e prefeitos municipais.

Todavia, esses dois períodos da história do Brasil  tinham um proceder comum: o voto do cidadão não era secreto. Depois de ser alistado como votante, pela Junta Municipal de Alistamento, um serviço da Câmara Municipal, porque então não existia a Justiça Eleitoral, o eleitor tinha um título ou credenciamento para votar.

No dia da eleição, em frente à Mesa Eleitoral, ele recebia uma cédula onde deveria escrever o nome de seu candidato ou, quando apareceu a cédula impressa, apresentá-la aos mesários,  sem haver cabine indevassável. Isto quer dizer, tudo na frente dos mesários. O voto secreto só foi implantado no Brasil depois de 1930; bem como o voto das mulheres.

Então, em 1945, quando recomeçaram as eleições, na redemocratização,  despois da queda da ditadura de Vargas, em Itajaí sucedeu-se o caso seguinte. Na seção da Navita, na altura da rua Blumenau, apresentou-se uma mulher para votar. Tendo recebido um envelope para aí colocar a cédula de votação, ela se dirigiu à cabine secreta, de onde retornou sem  envelope e  cédula.

Os mesários logo indagaram onde estava o envelope com a cédula que deveria ser colocado na urna. A mulher retrucou contrariada: - Mas o voto não é secreto, como vou mostrar para vocês?

Depois de muitos argumentos e explicações pacientes dos mesários, a eleitora ficou convencida a retornar para a cabine e buscar o seu voto, que ela tinha posto escondido, numa fresta da parede, atrás de um armário!...


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Fato&Comentário

Menino Jesus, São Nicolau, velho pom-pom e Papai Noel

Coluna Fato&Comentário

Cadê o restauro da casa Burghardt?

Coluna Fato&Comentário

Alvim Sandri: "História de vida", aos 99 anos

Coluna Fato&Comentário

"Burro velho", vacinas e purgativos

Coluna Fato&Comentário

Casa Bauer: um impasse

Coluna Fato&Comentário

Aprender português com quem sabia

Coluna Fato&Comentário

Arnaldo Brandão: centenário do escritor de Itajaí

Coluna Fato&Comentário

1922: 100 anos da Independência em Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Dona Elizabeth Malburg e patriotas exaltados

Coluna Fato&Comentário

Antonico Ramos e o sonho do vigia

Coluna Fato&Comentário

“A vaquinha do seu Zena”

Coluna Fato&Comentário

Museu histórico de Itajaí: 40 anos

Coluna Fato&Comentário

Dimas Rosa: artista de Itajai desconhecido aqui

Coluna Fato&Comentário

Penha x Navegantes - quase guerra

Coluna Fato&Comentário

Tradição e inovação: a festa do Divino de Itajaí 

Coluna Fato&Comentário

“Chuta, seu Alberto”: corridas de cavalo no Itajaí antigo

Coluna Fato&Comentário

Festa na Vila: Nossa Sra. da Paz e São José Operário

Coluna Fato&Comentário

Coloninha: bairro popular de Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Senhor dos Passos: devoção do povo

Coluna Fato&Comentário

Hugo Calgan: mistério da pintura de Itajaí - 1884



Blogs

Blog do JC

The Ocean Race

A bordo do esporte

Regatas do Brasileiro de Snipe 2023 agitam a raia de Jurerê, em Floripa

Blog da Ale Francoise

Moringa para imunidade

Blog Doutor Multas

O que o exame toxicológico consegue detectar?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Evandro Neiva

"Vila da Regata de Itajaí vai atrair mais de meio milhão de visitantes

Luíza Moreira

"Meu avô tinha uma marca de ferro na coxa. Hoje em dia eu me revolto ainda por causa da escravidão, porque ainda tem muito preconceito”

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

TV DIARINHO

PROIBIDO ESTACIONAR! O principal acesso à praia do Cascalho, em Penha, voltou a ser palco do desrespeito ...




Especiais

Pesquisa de preços 

Sorvetes apresentam diferença de até 50,62% nos principais supermercados

80 ANOS

Sorveteria Seara chega à quarta geração unindo receitas de família e novas tendências

NA ESTRADA COM O DIARINHO

Sete dicas pra curtir Balneário Camboriú num fim de semana 

Dia no mar

O que levar para uma refeição perfeita al mare

Deixa o vento me levar

Veleiros alugados navegam com grupos para alto-mar



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação