Colunas


Coluna Exitus na Política

Por Sérgio Saturnino Januário - pesquisa@exituscp.com.br

A cara no espelho


O processo eleitoral para cargos executivos neste momento é uma experiência sem par na história. Revela-nos muito de nós como conjunto de brasileiros. As máscaras de docilidade e de cordialidade públicas vaporizaram-se e deixaram os ossos da cara aparentes. O que somos é o que fazemos, o que dissemos e o que sentimos. O cinismo e a dissimulação foram flagrados em atos de acusações e violência. Em ambiente da psique, a acusação ao outro é a tentativa de afastar de si mesmo o caráter de dissimulação e não conviver com seus próprios problemas. Ao outro aponto o que eu, por medo e vergonha pessoal, sou, mas não quero ser.

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





O retrato do que eu sou se faz nos meus próprios atos, mesmo que isso seja o que eu diga dos outros. A intolerância é usada como faca, o preconceito é usado como chicote, e a violência é usada pelas veias da ira. As mentiras inventadas na própria cabeça e as mentiras criadas como Fake News estão na mesma ordem de operações sociais: a incapacidade da cidadania circular nas artérias, e a incapacidade de tentar – ao menos tentar – compreender o outro [empatia].

Somos uma população de preconceituosos, atualmente sem pele no rosto. Rasgada a derme da superfície, o mais importante é entender o que provocamos como unidade. Somos preconceituosos porque não superamos as regras sociais do período imperial. Aos negros a servilidade e a não contestação dos gostos de seu senhor [atualizada em Alexia]; às mulheres o machismo [mesmo vindo de mulheres], e aos contestadores a desmoralização social de sua existência. Somos, em carne e osso, mal passados do tempo que já não existe no relógio, mas que circula em seivas humanas. Os discursos de bons moços e boas moças soam apenas como lastro teatral de uma vida interpretada para terceiros que não podem nos conhecer na intimidade: ali somos perversos e egoístas, violentos e juízes do mundo.

Por se considerar superior, usa-se a intolerância como faca. Assim o interlocutor é subjugado, nunca compreendido. É a minha versão dos fatos – sempre verdadeiras e incorrigíveis – que serão a forma de dizer quem você é, acusar-lhe por qualquer ato, mesmo que tenha sido de ajuda, por estender a mão, por parceria. Nada resiste a este automassacre psicológico. Aos violentos e mal formados em cidadania é suficiente apontar ao outro a acusação de dissimulação, sem jamais poder ouvi-lo – senão as máscaras do acusador caem.

Por sermos violentos não caberá, jamais, qualquer pedido de desculpas sinceras, honestas e capaz de produzir, em nós mesmos, a correção dos atos. No conjunto dos atos, temos medo de nós mesmos, tal como nos revelamos no processo eleitoral atual. Quando pudermos amadurecer um pouquinho que seja, teremos vergonha de contar para nossos filhos e netos o que foi feito pelas nossas mãos e gritado por nossas bocas.

O voto não nos salvará de nós mesmos. Nenhum governo nos salvará de nossa intolerância, de nossos preconceitos. Quem sabe poderá nos limitar em nossa própria violência, mas não com armas para solução dos problemas. Armas são apenas a forma de intolerância, versada na infâmia e no medo. Somos menos, muito menos do que nos dissemos aos outros. A imagem que pintamos de nós mesmos é semelhante ao confuso retrato de Napoleão gritando “Independência ou Morte”: a beleza está nos cavalos de guerra que nunca existiram ali.


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Exitus na Política

A liberdade do tempo

Coluna Exitus na Política

Futebol sem bola e sem goleiro

Coluna Exitus na Política

Lágrimas retidas

Coluna Exitus na Política

O divã para voar

Coluna Exitus na Política

A escravidão do pensamento

Coluna Exitus na Política

Imutável res-sentimento

Coluna Exitus na Política

Heróis, tolos e votos

Coluna Exitus na Política

Chagas do voto

Coluna Exitus na Política

A política de “Ícaro”

Coluna Exitus na Política

A órbita eleitoral

Coluna Exitus na Política

O gênero da política

Coluna Exitus na Política

O medo e a vulgaridade

Coluna Exitus na Política

Um lugar desconhecido

Coluna Exitus na Política

Uma torneira na cabeceira da cama

Coluna Exitus na Política

O poder sem face

Coluna Exitus na Política

O lixo

Coluna Exitus na Política

Agora, o eleitor

Coluna Exitus na Política

A cenoura que não se come

Coluna Exitus na Política

Feito de ossos

Coluna Exitus na Política

Política e totens



Blogs

A bordo do esporte

Adeus ao juiz de vela Dionysio Sulzbeck

Blog do JC

Quadrangular 71 anos

Blog Doutor Multas

Fumar e dirigir dá multa?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Ale Francoise

Os poderes da Spirulina!

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

James Winter

“Só vai haver desemprego e demissão em massa se não tiver carga aqui no Porto de Itajaí”

Décio Lima

"Hoje, de R$ 97 bilhões que são arrecadados pelo governo federal em Santa Catarina, apenas R$ 7 bilhões voltam”

TV DIARINHO

Confira as principais notícias desta quarta-feira no DIARINHO: - Homem que matou amigo durante churrasco ...




Especiais

Pesquisa de preços

Bora conferir as pechinchas da semana pra garantir o churrasco do jogo do Brasil

OLHO NA DOSE

Pesquisa de preço mostra onde bebidas quentes são mais baratas

Na Estrada com o DIARINHO

Maravilhas naturais fazem de Bombinhas o Caribe catarinense

Itajaí

Do imóvel popular ao de altíssimo padrão são as apostas da Lotisa

Alto padrão

Procave agrega valor e exclusividade



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação