Colunas


Coluna Fato&Comentário

Por Edison d'Ávila -

“Chuta, seu Alberto”: corridas de cavalo no Itajaí antigo


As corridas ou carreiras de cavalos foram um dos primeiros divertimentos da gente de Itajaí. O memorialista Antônio Costa Flôres, em suas “Reminiscências”,  diz que na metade do século XIX os maiores divertimentos populares eram danças, “jogos de carta e corridas de cavalos, que a princípio se realizaram por onde está o meio da rua dr. Lauro Müller e depois na praia próxima até a Fazenda”.

Os eventos de hipismo se fizeram tão comuns, que o Código de Posturas do município de Itajaí, de 1868,  assim prescrevia a respeito: “São proibidas as carreiras de cavalos dentro dos limites da décima urbana da Vila (perímetro urbano), e fora destes só se poderá correr precedendo licença da Câmara, pela qual se pagará 15 mil réis”.

Nunca houve na cidade hipódromo e sim raias para essas corridas. As primeiras foram, como se disse, na rua Lauro Müller e na praia do bairro Fazenda, que vem a ser a parte final da mesma rua Lauro Müller e rua Jorge Tzachel e no fim dos oitocentos eram no trecho da rua Silva.  Já no começo do século XX, corriam os cavalos na rua 7 de Setembro; nos anos de 1920, na rua da Coloninha e,  por fim, já nos anos 30, na rua Carlos Seára, conhecida como “rua da raia”, na Vila Operária.

As disputas hípicas  juntavam muita gente que vinha assistir e fazer suas apostas. Transformavam-se em grandes ocasiões de encontros, conversas, trocas. Eram alegres lugares de sociabilidade, que reuniam gente pobre e rica.

E como essas ocasiões duravam manhãs e tardes inteiras, ou mesmo dias inteiros, ali estavam presentes também muitos vendedores ambulantes, chamados antigamente de quitandeiros. Comidas, alguma coisa para beber, e teteias para brincadeiras de crianças.

Os turfista donos dos cavalos que  corriam os páreos também compareciam, com familiares e amigos, a torcer cada um por seus cavalos ou éguas bem treinados e de belos aspectos.

Desses turfistas e proprietários de animais, guardou-se memória de três deles: Alberto Pedro Werner, Samuel Heusi Júnior, conhecido como Zena, e Nelson Seára Heusi. Assíduos frequentadores das corridas, fazendo apostas e torcendo por seus plantéis, acabaram muito conhecidos pelo entusiasmo com que acompanhavam os páreos e por  suas  excentricidades naquelas ocasiões.

De Alberto Pedro Werner, comerciante, industrial e pecuarista, conta-se uma das atitudes de comemoração  nas vitórias de seus cavalos. Ele ficava tão contente e eufórico, que saía chutando o que encontrava pela frente. Então, os rapazes que vendiam comidas – bananas recheadas, pastéis, cocadas,  amendoim torrado –  chegavam-se a ele com suas cestas,  bandejas e tabuleiros à mão, porque certos de que iam receber em dinheiro o estrago a ser feito, e gritavam:

- Chuta, seu Alberto! Chuta!

E ele tendo dado os chutes, perguntava quanto era, puxava do bolso  dinheiro e ia indenizando o prejuízo de cada um. Menos trabalho para vendedores,  contentamento geral para a molecada que comia de graça!


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Fato&Comentário

Alvim Sandri: "História de vida", aos 99 anos

Coluna Fato&Comentário

"Burro velho", vacinas e purgativos

Coluna Fato&Comentário

Casa Bauer: um impasse

Coluna Fato&Comentário

Voto secreto e escondido

Coluna Fato&Comentário

Aprender português com quem sabia

Coluna Fato&Comentário

Arnaldo Brandão: centenário do escritor de Itajaí

Coluna Fato&Comentário

1922: 100 anos da Independência em Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Dona Elizabeth Malburg e patriotas exaltados

Coluna Fato&Comentário

Antonico Ramos e o sonho do vigia

Coluna Fato&Comentário

“A vaquinha do seu Zena”

Coluna Fato&Comentário

Museu histórico de Itajaí: 40 anos

Coluna Fato&Comentário

Dimas Rosa: artista de Itajai desconhecido aqui

Coluna Fato&Comentário

Penha x Navegantes - quase guerra

Coluna Fato&Comentário

Tradição e inovação: a festa do Divino de Itajaí 

Coluna Fato&Comentário

Festa na Vila: Nossa Sra. da Paz e São José Operário

Coluna Fato&Comentário

Coloninha: bairro popular de Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Senhor dos Passos: devoção do povo

Coluna Fato&Comentário

Hugo Calgan: mistério da pintura de Itajaí - 1884

Coluna Fato&Comentário

Sindicato dos Estivadores: 100 anos

Coluna Fato&Comentário

Ariribá, Canhanduba, Itaipava: nomes Tupis em Itajaí



Blogs

Blog do JC

Sem ficar corado

A bordo do esporte

Volta ao Mundo Globe40 parte para a Argentina

Blog Doutor Multas

Fumar e dirigir dá multa?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Ale Francoise

Os poderes da Spirulina!

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

James Winter

“Só vai haver desemprego e demissão em massa se não tiver carga aqui no Porto de Itajaí”

Décio Lima

"Hoje, de R$ 97 bilhões que são arrecadados pelo governo federal em Santa Catarina, apenas R$ 7 bilhões voltam”

Thiago Morastoni

"Nós tivemos 21 candidatos em Itajaí. Eu fui o que chegou mais perto, faltando 3 mil votos. Todos os outros faltaram acima de 20 mil votos”

TV DIARINHO

Confira as principais notícias de hoje do DIARINHO: - Porto Belo inaugura primeiro Starbucks drive ...




Especiais

OLHO NA DOSE

Pesquisa de preço mostra onde bebidas quentes são mais baratas

Na Estrada com o DIARINHO

Maravilhas naturais fazem de Bombinhas o Caribe catarinense

Itajaí

Do imóvel popular ao de altíssimo padrão são as apostas da Lotisa

Alto padrão

Procave agrega valor e exclusividade

Itajaí

Mercado da Brava continua em crescimento



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação