Matérias | Geral


ITAJAÍ

Antigo casarão da PF está sendo “depenado” por ladrões e vândalos

Casarão abandonado virou abrigo de andarilhos e teve as grades e portas furtadas

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Despachante aduaneiro mandou construir o prédio em 1934 (Foto: João Batista)


Abandonado desde a saída da Superintendência Regional da Polícia Federal, em 2020, o casarão Nelson Seara Heusi, na rua 15 de Novembro, no centro de Itajaí, vem sendo “depenado” por invasores, ladrões e vândalos. O imóvel histórico já tinha virado abrigo de andarilhos e sido alvo de furtos de fiação. Nas últimas semanas, foram roubadas as grades e as portas da entrada principal.

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!




Os vizinhos relatam insegurança com o abandono do imóvel. Andarilhos teriam usado o casarão como abrigo pra furtar equipamentos e materiais de uma obra ao lado. O próprio prédio já teve aparelhos, fios, objetos e grades furtadas, restando apenas alguns móveis. Enquanto isso, a estrutura física também se deteriora devido a danos no telhado, janelas e portas, além da ação do tempo.

Sem a porta e uma das janelas frontais quebradas, o imóvel ficou ainda mais vulnerável à ação de invasores, que pulam a cerca ou os muros vizinhos pra entrar no terreno, que se estende até a rua Camboriú. O imóvel é do governo federal, sob responsabilidade da Secretaria do Patrimônio da União (SPU). O órgão não respondeu até o momento o pedido de informações do DIARINHO sobre a situação do prédio.

 


Prefeitura pediu a cessão do imóvel

Desde a saída da PF do endereço, o município negocia com a União para poder utilizar o imóvel. Inicialmente, o pedido foi negado porque o governo federal tinha pretensão de usar o casarão como sede da superintendência do Ministério do Trabalho, o que não avançou, sendo retomadas as tratativas pra um acordo com a prefeitura.

O superintendente das Fundações de Itajaí, Normélio Weber, informa que o processo na SPU avançou e agora o município espera pelo órgão resolver definitivamente e fazer a documentação. Não há previsão de conclusão do processo, que teve a última movimentação em outubro, com consulta ao município.

O acordo prevê a cessão do imóvel por 30 anos, prazo que poderá ser renovado. No local, o município tem projeto de instalar a sede do Conservatório de Música de Itajaí, que hoje funciona na Casa da Cultura Dide Brandão. Outros órgãos culturais também poderão ser abrigados no imóvel, incluindo a própria Fundação Cultural, que se instalaria na parte da frente do casarão.

Normélio lamentou a situação de abandono e os casos de vandalismo, esperando que o trâmite de cessão seja concluído em breve. “Vamos fazer o quê? A burocracia é assim, não é de uma hora para outra. A gente gostaria de já estar lá”, comentou.


 

Importância histórica e arquitetônica

O historiador e escritor Edison d’Ávila destaca que a história do edifício é ligada ao crescimento do comércio portuário de Itajaí após a Proclamação da República. A alta das exportações fez crescer a burguesia endinheirada da cidade, da qual faziam parte grandes empresários, entre eles o despachante aduaneiro Nelson Seára Heusi, descendente de famílias tradicionais e que também foi político.

Ele mandou construir a casa para sua família em 1934, em terreno comprado de Paulo Kleis. Edison d’Ávila diz que não há informações do autor do projeto arquitetônico, mas a elegante construção seguiu o ecletismo que estava na moda à época, misturando elementos neoclássicos e art déco. 


“Esses elementos podem ser observados, por exemplo, nas colunas de estilo clássico do hall de entrada se justapondo aos pilares retos que fazem a marcação vertical da fachada e paredes externas, que são típicos elementos da arquitetura art-déco”, comentou.

O imóvel entrou no inventário da família após a morte da esposa de Nelson, em 1944. Em 1951, o casarão virou residência do filho recém-casado do empresário, enquanto Nelson passa a morar em Cabeçudas. Três anos depois, o herdeiro se torna o único dono do imóvel ao comprar as partes das irmãs.

Ele morou na casa até 1979, quando o imóvel passou a ser alugado. “O segundo proprietário, Marcos Francisco Heusi, foi quem primeiro locou à Delegacia da Polícia Federal de Itajaí e depois fez a transação de venda do imóvel ao governo federal em 1986”, relata o professor Edison.

Para se adequar aos serviços públicos, o prédio passou por obras de recuperação e ampliação entre 1997 e 1999. O historiador ressalta que alguns elementos originais da construção se perderam com as intervenções. “O edifício, mesmo assim, guarda muito da  bela arquitetura original, imponência visual e valioso registro artístico histórico, que merecem ser permanentemente preservados”, defende.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






35.175.201.191

Últimas notícias

OPORTUNIDADE

IFC tem cursos gratuitos de informática, defesa civil e outros para idosos

“Rota de fuga”

Itajaí dá a largada para nova rodovia entre a Antônio Heil e a Jorge Lacerda

SAÚDE

Bebê de um mês e 29 dias morre por dengue em Joinville

TRAGÉDIA 

Adolescente morre em acidente entre carro e duas motos em Luiz Alves

Balneário Camboriú

Mulher é presa por racismo no cinema

ITAJAÍ

Plano Diretor de Itajaí é aprovado depois de 10 anos de revisão

ITAJAÍ

Emgepron explica R$ 2,95 bilhões "de contas no vermelho" no projeto das fragatas

Contra a dengue

Mutirão recolhe 280 toneladas de lixo

Dá-lhe cílio!

Torcida esgota ingressos pro jogo com o Brusque

Catarinense

Barra abre venda de ingressos para “decisão” contra o Hercílio Luz



Colunistas

JotaCê

Bate-papo com o reitor

Coluna Esplanada

Imortalidade em risco

Gente & Notícia

Dupla de estrelas

Via Streaming

“Um Dia”

Ideal Mente

Precipitação

Direito na mão

Planejamento previdenciário: ponto a ponto

Coluna Exitus na Política

O TEMPO DA INDETERMINAÇÃO

Empreender

Balneário Camboriú no radar dos investimentos norte-americanos

Na Rede

Se liga nas notícias que bombaram nas redes do DIARINHO

Jackie Rosa

Ai que calor!

Histórias que eu conto

Histórias da Hercílio Luz

Artigos

O novo Plano Diretor de Itajaí só tem vencedores

Coluna Existir e Resistir

United Colors Sarará

Foto do Dia

A ver navios

Show de Bola

Grande campanha

Coluna do Ton

Destaque da Salgueiro

Clique diário

Tesouro

Coluna Fato&Comentário

O Porto é nosso?



TV DIARINHO


O crime de injúria racial aconteceu em sessão do filme de Bob Marley no cinema do shopping na noite ...





Especiais

Caso Ilha de Marajó

Vereadora de Navegantes está entre os políticos que impulsionaram fake news sobre exploração sexual infantil

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

VIAGEM NO TEMPO

Museu do Carro traz nostalgia e diversão sobre o universo automotivo

NOVOS TEMPOS

SC é pioneira na promoção da mobilidade elétrica

PLANEJAMENTO URBANO

Camboriú vai investir mais de R$ 60 milhões em mobilidade



Blogs

A bordo do esporte

Thiago Pereira e Swim Floripa levam Troféu José Finkel para Floripa

Blog da Jackie

Verão, calor, quentura e mormaço

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog do JC

Mulheres MDBistas

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação