Matérias | Geral


Brasil

Senado aprova projeto que libera construções em margens de rios de áreas urbanas

Proposta do deputado federal catarinense, Rogério Peninha, prevê que regulamentação fique a cargo de cada cidade

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Hoje, por decisão do STJ, regras do código Florestal é que devem prevalecer (Foto: João Batista)


O senado Federal aprovou na sessão de quinta-feira o projeto de lei do deputado federal catarinense Rogério Peninha Mendonça (MDB) que flexibiliza as regras para construções nas margens de rios no perímetro urbano. De acordo com a proposta, a decisão da área de Preservação Permanente (APP) dentro das cidades fica a cargo de cada cidade, conforme a situação local.

O texto muda o entendimento sobre qual legislação deve prevalecer nos licenciamentos ambientais em áreas urbanas. Em abril deste ano, uma decisão do superior Tribunal de Justiça (STJ) mobilizou prefeituras pelo país inteiro. O tribunal tinha determinado que o código Florestal deveria ser obedecido nas áreas urbanas, prevalecendo sobre a lei de Parcelamento do Solo Urbano, que é menos restritiva.

Pela decisão, a liberação de obras precisaria respeitar a faixa de 30 a 500 metros de recuo mínimo das margens, variando conforme a largura do curso d´água, valendo mesmo para áreas consolidadas, ou seja, já construídas. Pela legislação urbana, o afastamento mínimo das construções é de 15 metros.



“Teríamos que demolir mais da metade das cidades catarinenses e construir tudo de novo. Na verdade, acendeu um sinal de alerta no Brasil todo”, opinou Peninha. Com o projeto do deputado, a proteção das margens de rios na zona urbana das cidades seria transferida para a legislação municipal.

Ainda estavam em andamento no senado outros dois projetos sobre o mesmo tema. O relator do caso, senador Eduardo Braga (MDB), votou pela aprovação do projeto do deputado catarinense, que já havia passado pela câmara.

Segundo o relator, a proposta de Peninha era mais abrangente. “O projeto regulamenta o tema com grande segurança jurídica e abarca o mérito de diversas emendas apresentadas a projetos similares”, destacou.


Regramento seria conforme a realidade local

Projeto do deputado Peninha recebeu emendas e voltará para análise da câmara dos Deputados

O deputado entende que a metragem deve ser definida com base no Plano Diretor, leis de uso de solo, conselhos de meio ambiente e audiências públicas com a população. “A decisão do STJ não observava a realidade de cada cidade”, criticou.

Pelo projeto, ele explica que serão regularizados empreendimentos imobiliários, residenciais, comerciais ou industriais, que estão na ilegalidade em virtude da lacunas deixadas pelo código Florestal. “Áreas urbanas e rurais são diferentes e precisam de regramento específico para cada uma”, completou.

O senador catarinense Jorginho Mello (PL) tinha proposto um projeto semelhante e que tramitava em conjunto com a proposta de Peninha. Ele disse que encaminhou um acordo a favor do projeto do deputado pra que houvesse mais rapidez na tramitação da matéria.


“Não tive problema nenhum em ceder neste caso, é algo que Santa Catarina aguarda há muito tempo por um desfecho. Trabalhei para que fosse construído um entendimento que agilize a tramitação, resolva o impasse que se arrasta e, enfim, garanta segurança jurídica aos investidores e aos moradores dessas áreas”, comentou.

 

Emendas brecam liberou geral

O texto aprovado no senado Federal recebeu duas emendas que restringem a flexibilização da metragem apenas nas áreas já com construções. Os terrenos que ainda não contam com edificações teriam que continuar obedecendo as regras do código Florestal.


Devido às mudanças no texto, o projeto terá que ser analisado novamente pela câmara dos Deputados. Só depois é que poderá ser levado pra sanção do presidente. O deputado Peninha adiantou que vai trabalhar pela aprovação do texto original, sem as emendas.

“A avaliação e decisão [do afastamento mínimo] deve ficar a cargo de cada município e Estado, conforme as condições locais. O projeto original foi tema de muitos debates e audiências públicas, está muito bem consolidado”, defendeu.

Peninha acredita que a proposta original seja aprovada pelos deputados. Na primeira votação, o projeto passou com ampla maioria, com 314 votos favoráveis e 140 contrários.

 

 




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






3.236.146.28

Últimas notícias

Bora lá

Doe um quilo de alimento ou um produto de limpeza e ganhe uma muda de árvore nativa

Fim de semana de trabalho

Brusque continua força tarefa para recuperação da cidade após chuva

Santa Catarina

Santo Amaro da Imperatriz tem acessos liberados depois de interdição de cinco horas

SUSTO

Pilota de parapente cai em árvore na orla de Cabeçudas

Cultura

Festival de Teatro Primo Atto faz apresentações neste sábado em BC

Previsão do tempo

Sábado vai ser de calor, mas podem rolar chuva, vento e até granizo

Olho nas estradas

Trecho da BR-282 em Santo Amaro e Rancho Queimado continuam bloqueados

NAVEGANTES

Buscas por bombeiro desaparecido continuam

FIM DE UMA ERA

Loja Pavan deixa Itajaí após meio século de história 

Amfri

Justiça federal marca audiência sobre "estrangulamento” da BR 101



Colunistas

JotaCê

Reitor não quer ser prefeito

Na Rede

Confira o que bombou nas redes sociais do DIARINHO

Via Streaming

“Rainha de Katwe”

Foto do Dia

Entrada da Barra

Jackie Rosa

Mulherada reunida

Canal 1

Aceita que dói menos: mulheres ocupam merecido lugar no esporte

Coluna Esplanada

Tereza e Marinho

Clique diário

O colorido fim de tarde em Itajaí

Vinicius Lummertz

SC do futuro: nas BRs, 2023 pode ser pior do que 2022

Gente & Notícia

Família Koch na Copa

Direito na mão

O que acontece se a empresa não pagou o INSS do funcionário? Como fica a aposentadoria?

Coluna do Janio

Marinheiro no mercado

Coluna Exitus na Política

Futebol sem bola e sem goleiro

Coluna do Ton

Mãe & Filha

Coluna Fato&Comentário

Alvim Sandri: "História de vida", aos 99 anos

Artigos

Não queremos viver numa pátria dominada pela bandidagem



TV DIARINHO


Entrevistão com Alvin Sandri



Podcast

Entrevistão com Alvin Sandri

Publicado 03/12/2022 10:10



Especiais

OLHO NA DOSE

Pesquisa de preço mostra onde bebidas quentes são mais baratas

Na Estrada com o DIARINHO

Maravilhas naturais fazem de Bombinhas o Caribe catarinense

Itajaí

Do imóvel popular ao de altíssimo padrão são as apostas da Lotisa

Alto padrão

Procave agrega valor e exclusividade

Itajaí

Mercado da Brava continua em crescimento



Blogs

Blog do JC

Quadrangular 71 anos

A bordo do esporte

Volta ao Mundo Globe40 parte para a Argentina

Blog Doutor Multas

Fumar e dirigir dá multa?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Ale Francoise

Os poderes da Spirulina!

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

James Winter

“Só vai haver desemprego e demissão em massa se não tiver carga aqui no Porto de Itajaí”

Décio Lima

"Hoje, de R$ 97 bilhões que são arrecadados pelo governo federal em Santa Catarina, apenas R$ 7 bilhões voltam”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação