Matérias | Geral


Estudo mostra que estoque de peixes é desconhecido no Brasil

Relatório apontou que apenas 23% das frotas de pesqueiros é efetivamente monitorada

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]


Estudo do instituto Oceana Brasil aponta que o Brasil desconhece a situação dos estoques de 94% de 118 tipos de pescados que são alvo da indústria pesqueira do país. Diante do quadro, o relatório, divulgado na semana passada, recomenda “uma profunda reforma” na legislação pesqueira, com mudanças nas normas de pesca pra garantir proteção das espécies e a captura sustentável. 


A “Auditoria da Pesca Brasil 2020” fez uma radiografia da gestão pesqueira, avaliando legislação, gestão, situação dos estoques de peixes marinhos e regramentos das pescarias, como as cotas de captura ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

OU

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


A “Auditoria da Pesca Brasil 2020” fez uma radiografia da gestão pesqueira, avaliando legislação, gestão, situação dos estoques de peixes marinhos e regramentos das pescarias, como as cotas de captura. Para quase todas as espécies capturadas pela frota de barcos, o estudo mostrou que não existem informações sobre a condição dos estoques e que o controle da pesca é deficiente.



O diretor-geral da Oceana, o oceanógrafo Ademilson Zamboni, disse que esse é o primeiro de uma série de relatórios anuais que a empresa fará para acompanhar a evolução da gestão da pesca nacional para propor melhorias. O estudo segue metodologia baseada em orientações da organização da Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), com 22 indicadores de desempenho.

Nessa primeira auditoria, foi constatada também que apenas 3% dos estoques possuem limites de captura estabelecidos, ao passo que apenas 8,5% deles estão incluídos dentro de planos de Gestão. Metade das 44 pescarias avaliadas possui algum tipo de ordenamento, em maioria medidas como defesos, tamanhos mínimos de captura, restrições de áreas ou características dos petrechos de pesca, regulamentadas por centenas de atos normativos.


A outra metade das pescarias marinhas não tem nenhum ordenamento de pesca, mesmo que seja precário. “O que, na prática, significa "livre acesso" aos estoques marinhos comercialmente interessantes”, diz a nota sobre o estudo, sobre a falta de controle na captura, mesmo de espécies ameaçadas.

O relatório também aponta que 48% das pescarias brasileiras atuam com frotas em áreas onde não há estatística pesqueira, sendo que só 23% das frotas são efetivamente monitoradas. Entre as ferramentas de controle estão os mapas de bordo, obrigatórios em 25% das modalidades de pesca, e o programa Nacional de Rastreamento de Embarcações Pesqueiras por Satélite (Preps), exigido em 15% dos tipos de pescarias.


Além de 118 estoques de pescados, o estudo analisou 44 modalidades de pesca, dentro das quais operam 19.066 embarcações, segundo os dados registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP) de 2017. O relatório avaliou ainda o funcionamento dos comitês Permanentes de Gestão e a transparência no acesso às informações, como boletins de produção pesqueira e atas de reuniões.

Modernização na lei e ampliação do monitoramento

Para o diretor da Oceana, o cenário de descontrole e desconhecimento dos estoques é reflexo de anos de conflitos de competência e instabilidade institucional na pasta da pesca. O setor chegou a ter um ministério próprio e, depois de vagar por outros ministérios, hoje é tratado por uma secretaria vinculada ao ministério da Agricultura.

"Com uma Lei da Pesca vaga e carente de definições claras, de instrumentos e de responsabilidades endereçadas aos órgãos competentes, os estoques pesqueiros e a própria pesca padecem," alerta Ademilson. Ele defende uma revisão na lei 11.959/2009, da política Nacional de Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura e da Pesca.

“Podemos encontrar soluções de curto prazo no monitoramento ou ordenamento de muitas pescarias. Mas uma mudança definitiva, que traga um sopro de modernidade à essa atividade tão importante, somente poderá ser obtida com uma revisão da lei”, completa.


Além da modernização na lei de Pesca, o estudo também recomenda a ampliação e transparência do monitoramento pesqueiro, assim como o desenvolvimento de planos de gestão e a definição de limites de captura para todos os estoques pesqueiros.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






3.230.154.90

Últimas notícias

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Protetora animal denuncia que gatos que vivem em terreno baldio teriam morrido durante obras da prefeitura

Centro de Itajaí

Das 87 árvores do canteiro central da Marcos Konder, só 23 poderão ser transplantadas com certeza  

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Nivus tem bônus de R$ 12 mil e saldo parcelado em 24 vezes sem juros

NA ESTRADA

BC oferece rolês gastronômicos, culturais, de compras e lazer

Série B

Brusque visita o Santos na Vila Belmiro com presença da torcida

Futebol

Fim de uma era: Goleiro Cássio deixa o Corinthians e vai para o Cruzeiro

ENQUETE

Qual a sua opinião sobre a divisão da conta do hospital Ruth Cardoso?

SANTA CATARINA

Morador de SC que compartilhava pornografia infantil é preso pela PF

NA CRECHE

Mãe agride funcionárias de creche de Penha; veja o vídeo

PENHA 

Bandidos invadem torre de internet para furtar; veja o vídeo 



Colunistas

Jackie Rosa

Niver da Chris

JotaCê

Amin responde Chiodini

Mundo Corporativo

A importância do equilíbrio da autoestima no mundo organizacional

Coluna Esplanada

Palácio x Lira

Gente & Notícia

Níver da Margot

Ideal Mente

Luto coletivo: navegando juntos nas ondas da perda

Show de Bola

Vitória da base

Direito na mão

Mulher entre 54 a 61 anos: como antecipar a aposentadoria?

Via Streaming

“Justiça”

Coluna Exitus na Política

Vontade e solidariedade

Na Rede

Traficante preso na  sala alugada da JS Pescados, tragédia  no RS e destruição do jardim de “dona Aurita” foram os  assuntos mais bombados da semana

Coluna do Ton

Chegando de Mendoza

Histórias que eu conto

Armação da infância II

Artigos

Designação geral sobre o fim do mundo

Foto do Dia

“O mar, quando quebra na praia”

Coluna Existir e Resistir

Designação geral sobre o fim do mundo

Coluna Fato&Comentário

Anuário de Itajaí - 100 anos da 1ª edição

Empreender

Balneário Camboriú atrai cada vez mais clientes do eixo sudeste



TV DIARINHO






Especiais

NA ESTRADA

BC oferece rolês gastronômicos, culturais, de compras e lazer

RIO GRANDE DO SUL

São Leopoldo: a cidade gaúcha onde quase todos perderam o lar

RIO GRANDE DO SUL

Governo Eduardo Leite não colocou em prática estudos contra desastres pagos pelo estado

Retratos da destruição

“Não temos mais lágrimas pra chorar”: A cidade gaúcha destruída pela 3ª vez por enchentes

MEIO AMBIENTE

Maioria de deputados gaúchos apoia projetos que podem agravar crise climática



Blogs

Blog da Jackie

Hermès processada

Blog do JC

Pacto da direita de Itajaí?

A bordo do esporte

World Sailing e CBVela promovem plantio de árvores em São Paulo (SP)

Blog da Ale Francoise

A pílula da felicidade

Blog do Ton

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

João Paulo

"Essa turma que diz defender a família ajudou a destruir a boa convivência em muitas famílias. Na defesa de um modelo único, excludente"

Entrevistão Peeter Grando

“Balneário Camboriú não precisa de ruptura, mas de uma continuidade”

Juliana Pavan

"Ter o sobrenome Pavan traz uma responsabilidade muito grande”

Entrevistão Ana Paula Lima

"O presidente Lula vem quando atracar o primeiro navio no porto”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação