Matérias | Geral


Itajaí

Pedagoga critica obra de arranha-céu na Fazenda

Ela frisa que adequações no projeto não resolvem os danos ambientais

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]




artista plástica, pedagoga e arte educadora Márcia d´Ávila, de 70 anos, critica o acordo feito pelo ministério Público com a construtora Blue Heaven que permitiu a retomada da construção do edifício Infinitá Residenza. O empreendimento fica na esquina da alameda Ernesto Schneider com a rua Antônio Rocha de Andrada, no bairro Fazenda, no caminho pra Cabeçudas, aos pés do parque da Atalaia.


O acordo encerrou uma ação civil pública contra a obra que vinha desde 2017. Durante o processo, a construção chegou a ser embargada e teve o licenciamento suspenso. A investigação ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

OU

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


O acordo encerrou uma ação civil pública contra a obra que vinha desde 2017. Durante o processo, a construção chegou a ser embargada e teve o licenciamento suspenso. A investigação do ministério Público apurou irregularidades no empreendimento e constatou impactos ambientais ao parque da Atalaia, como o sombreamento. O barulho das obras, inclusive à noite, também gerou denúncias.



Ainda em 2017, Márcia fez parte do grupo de vizinhos que pedia o embargo da obra. Ela diz que o acordo da promotoria não demonstra preocupação com o meio ambiente e que favorece a empresa. Ele informa que a construtora retomou os trabalhos no começo do mês sem ainda ter o processo de liberação concluído. Segundo avalia, a construção vai prejudicar a fauna e a flora da morraria de um parque ambiental.

“O texto da promotoria fala que a empresa está refazendo o projeto de acordo com as solicitações. Mas, na verdade, o que a empresa precisa é seguir a lei”, afirma. Márcia observa que apenas trocar o vidro da fachada do prédio, de espelhado pra translúcido, não vai evitar a colisão de pássaros e resolver o problema do sombreamento.


“A questão mais importante do projeto é de fato a escolha do lugar para ser implantado, pela proporção do sombreamento que causará na encosta”, analisa. “É a altura do prédio e da própria obra que produzirá a sombra no morro, que ficará escondido e não receberá mais luz”, destaca.

Márcia afirmou que não acredita que a empresa vai cumprir a promessa de reduzir o barulho da construção. Além do uso de equipamentos com baixo ruído, é previsto que os trabalhos sejam feitos de forma escalonada no canteiro de obras.


Um procedimento administrativo foi aberto em junho pra acompanhar e fiscalizar o cumprimento das exigências do acordo. Entre elas está a redução de ruído e a elaboração de projeto urbanístico e paisagístico que “harmonize” o empreendimento com o meio ambiente. É previsto um novo tipo de envidraçamento do prédio que terá cerca de 70 metros, com 17 andares.

O processo que acompanha as medidas segue em andamento no MP. Desde junho, a promotoria tem recebido denúncias de descumprimento do acordo, incluindo barulho excessivo e novas queixas contra o licenciamento. Fiscalização feita pelo instituto Itajaí Sustentável, em julho, constatou que os ruídos estavam dentro do aceitável e que a obra, ainda em fase de fundação, era feita em horário comercial. Os vizinhos voltaram a ser queixar nesse mês, apontando que tinha máquinas e caminhões trabalhando até no período noturno, por volta das 19h30. “Os níveis de decibéis superam o que foi acordado no processo”, dizem os denunciantes.

Os moradores também pedem que o ministério Público barre a continuidade da obra. Os relatos foram encaminhados pra análise da promotoria. A construção do residencial teve a liberação ainda em 2016, pela então fundação do Meio Ambiente de Itajaí (Famai), com validade até 2022.

A mata Atlântica do meu quintal

“É inacreditável que a promotoria pública não esteja preocupada com as construções onde prejuízos causados ao meio Ambiente são gritantes. 


Temos todo direito de pensar que não está preocupada com as leis e tampouco com a educação ambiental, quando emite a avaliação do projeto  de construção da empresa Infinit Blue com informação equivocada e pondo dúvida em sua função institucional [...]

A empresa retomou, no início do mês, as obras sem ter o processo de liberação concluído. (...)  Não me parece que a obra em si é o que há de mais sério nessa história. Ela compromete enormemente a natureza existente no local escolhido pela empresa para implantá-la. O texto da promotoria ou o que pensa o promotor é que nos preocupa sobremaneira.

O texto fala que a empresa está refazendo o projeto de acordo como as solicitações. Na verdade, o que a empresa precisa é seguir a lei, não atender solicitações. E a promotoria cabe, além de seguir as leis, ser sensível à vida e a reivindicações da comunidade. (...)

No texto usa também outro argumento  que, aliás, já é de fato o que a lei exige. A empresa promete  diminuir o barulho da construção e promete escalonar os serviços com este objetivo. Outro engôdo! E mais, o texto diz que a empresa está esperando a conclusão do processo para começar a obra. Acontece, que  a obra já está em pleno trabalho de execução .

Será que devemos fechar os olhos enquanto outros armam  seus esquemas?! Que peça é essa?!”


Ass: Márcia d´Ávila




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






3.215.186.30

Últimas notícias

PENHA

Moradores fazem abaixo-assinado pedindo obra de drenagem

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Empresário Renato Cruz se anuncia pré-candidato a prefeito pelo MDB

ELEIÇÕES 2024

Achutti ataca: “Renato Cruz é menino mimado e mentiroso! Ele que vá cuidar de futebol, de política e de partido cuido eu”

De novo

Depois de confirmar a festa do peixe, Itajaí cancela o evento em 2024

Desabastecimento

Supermercados de SC desmentem risco de falta de comida por tragédia no RS

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Empresário Renato Cruz se anuncia pré-candidato a prefeito pelo MDB

NEPOTISMO CRUZADO

Justiça manda prefeitura exonerar comissionados que sejam parentes de agentes públicos

Futebol

Brusque encara o Atlético-GO pela Copa do Brasil

Novidade

Vasco contrata o técnico português Álvaro Pacheco

Lembra dele?

Goleiro Zé Carlos está de volta ao Camboriú



Colunistas

JotaCê

Visita dos vereadores

Coluna Esplanada

Melaço judicial

Ideal Mente

O desamparo da infidelidade

Via Streaming

Poder preto

Show de Bola

Trocas de treinadores

Direito na mão

Recebeu auxílio-doença ou auxílio-acidente? Veja como se aposentar agora!

Coluna Exitus na Política

Um passeio nas cavernas

Na Rede

Morte de produtor, garotinho com orgulho do pai na enchente e mais: confira os destaques do DIARINHO

Artigos

O combate ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes é um compromisso coletivo

Jackie Rosa

Niver da Chris

Mundo Corporativo

A importância do equilíbrio da autoestima no mundo organizacional

Gente & Notícia

Níver da Margot

Coluna do Ton

Chegando de Mendoza

Histórias que eu conto

Armação da infância II

Foto do Dia

“O mar, quando quebra na praia”

Coluna Existir e Resistir

Designação geral sobre o fim do mundo

Coluna Fato&Comentário

Anuário de Itajaí - 100 anos da 1ª edição

Empreender

Balneário Camboriú atrai cada vez mais clientes do eixo sudeste



TV DIARINHO


Prefeitura de Itajaí cancela a festa do peixe. Será o segundo ano consecutivo sem a festa tradicional ...



Podcast

Prefeitura de Itajaí cancela a festa do peixe

Publicado 21/05/2024 20:04



Especiais

NÚMEROS

No Brasil, 3 a cada 4 vivem em cidades com mais risco de desastres por chuvas

DADOS

Exportação de armas de fogo dobrou durante os anos Bolsonaro, revela levantamento inédito

NA ESTRADA

BC oferece rolês gastronômicos, culturais, de compras e lazer

RIO GRANDE DO SUL

São Leopoldo: a cidade gaúcha onde quase todos perderam o lar

RIO GRANDE DO SUL

Governo Eduardo Leite não colocou em prática estudos contra desastres pagos pelo estado



Blogs

Blog do JC

Gosto amargo...

A bordo do esporte

Ícone do esporte mundial, Lars Grael destaca importância da língua inglesa para carreiras de sucesso

Blog da Jackie

Tá na mão!!!

Blog da Ale Francoise

A pílula da felicidade

Blog do Ton

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Vilfredo e Heloísa Schurmann

"Nós reciclamos só 6% no Brasil. Na Europa já é 50%. A própria China já está com 35% de reciclagem” (Vilfredo)

João Paulo

"Essa turma que diz defender a família ajudou a destruir a boa convivência em muitas famílias. Na defesa de um modelo único, excludente"

Entrevistão Peeter Grando

“Balneário Camboriú não precisa de ruptura, mas de uma continuidade”

Juliana Pavan

"Ter o sobrenome Pavan traz uma responsabilidade muito grande”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação