Matérias | Reclamações


Itajaí

Cliente denuncia trabalho infantil em lanchonete peixeira do São Viça

Adolescentes de 12 e 14 anos trampam como garçons até altas horas

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Pelo menos duas vezes ao mês o técnico em segurança do trabalho Jefferson Francisco Fortaleza, 26 anos, faz uma boquinha no Bambuzal Lanches, no São Viça, também conhecido como o Lanche do Leco. Quinta-feira à noite, entre uma mordida e outra num baita x-salada, ficou assustado com os insultos da dona do boteco contra dois garçons. Revoltado com a situação, Jefferson tirou satisfação com a proprietária, que deu de ombros e revelou ser tia dos menores. O cara denunciou o caso no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e promete ir ao Conselho Tutelar.

Jefferson sempre notou a presença de menores trampando por lá, mas nunca considerou um problema. Contudo, na noite de quinta, não suportou ver a humilhação a que os adolescentes foram submetidos em público. Ele chegou a perguntar a idade dos meninos, que revelaram ter 12 e 14 anos. Segundo o cliente, sem mais nem menos, o guri de 14 anos foi chamado de burro, imprestável e outras coisas pela proprietária.

Sexta-feira de manhã, o técnico em segurança do trabalho registrou a denúncia no MTE e prometeu fazer uma última visita à lanchonete pra ver se os meninos continuam trampando. Até o fechamento desta ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


Jefferson sempre notou a presença de menores trampando por lá, mas nunca considerou um problema. Contudo, na noite de quinta, não suportou ver a humilhação a que os adolescentes foram submetidos em público. Ele chegou a perguntar a idade dos meninos, que revelaram ter 12 e 14 anos. Segundo o cliente, sem mais nem menos, o guri de 14 anos foi chamado de burro, imprestável e outras coisas pela proprietária.

Sexta-feira de manhã, o técnico em segurança do trabalho registrou a denúncia no MTE e prometeu fazer uma última visita à lanchonete pra ver se os meninos continuam trampando. Até o fechamento desta edição, a proprietária do estabelecimento não foi localizada pela redação para sidefender.



Denúncias são raras

A chefe da agência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego em Itajaí, Elisabete Regis, confirmou o recebimento da denúncia, que será encaminhada pra Floripa, na segunda-feira. A fiscalização é feita somente na capital, por meio do projeto de combate ao trabalho infantil, assim como por campanhas nacionais contra o trabalho e a favor dos estudos. A auditora fiscal e coordenadora do projeto, Inge Ranck, revela que 200 mil crianças e adolescentes trampam de maneira irregular em todo o estado. Inge ainda diz que, além da carência de efetivo fiscal, o número de denúncias também é baixo, o que dificulta o desenvolvimento dos trabalhos.

“As denúncias que recebemos são isoladas, o que torna inviável o deslocamento de uma equipe de fiscalização. Por isso, nós precisamos agir em conjunto com o município. Nós cuidamos do empregado, mas nada impede do funcionário voltar a trabalhar se não houver um acompanhamento do menor”, explica.


A presidente do conselho Tutelar de Itajaí, Sandra Debrassi, garante que o trabalho infantil não faz parte da realidade peixeira. Quando há denúncias, que são raras, elas não se confirmam. Sandra afirma que o trabalho nas escolas para erradicação do trabalho infantil tem surtido efeito. São palestras e orientações de como funciona o primeiro emprego.

De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, só podem exercer trabalhar adolescentes a partir de 14 anos, na condição de jovem aprendiz. Ainda assim, não podem trampar no período noturno, das 22h às 5h, nem em lugares insalubres e que não contribuam para a educação do adolescente. Segundo o advogado Fábio Fabeni, mesmo que o menor exerça atividades em empresa familiar, a situação é irregular e contrária ao que diz a lei.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






44.222.218.145

TV DIARINHO






Especiais

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

violência

Brasil tem um assassinato de pessoa trans a cada três dias

Programa diferente

Na Estrada: Escapada pra Curitiba num finde de verão

Presidente do STM

Acampamentos golpistas “foram tolerados por orientação” militar

Agropecuária

Bancada adota ‘discurso tóxico’ em anúncios nas redes sociais



Blogs

A bordo do esporte

Volta da Ilha das Cabras abre temporada de regatas em São Paulo

Blog do JC

Lula e o genocídio

Gente & Notícia

Churrasco On Fire, da dupla Fernando e Sorocaba, chega a Massaranduba

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog da Jackie

O ‘sim’ de Ângela e Dolor

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação