Matérias | Especial


Itajaí

Problema das enchentes pode ser amenizado

Um mês após a última inundação, DIARINHO traz exemplos de locais que não sofrem mais com as cheias

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Lugares que ficavam embaixo d’água e pessoas que fugiam de casa atrás de abrigo. Locais onde, após qualquer chuva mais forte, moradores perdiam roupas, móveis e a dignidade. Regiões castigadas por enchentes e alagamentos, na qual homens, mulheres e crianças sofriam, sentindo-se impotentes e achando que aquilo não tinha solução. Tudo isso rolava em cinco cidades do litoral centro norte catarinense.

Ao completar um mês da última cheia que atingiu Itajaí, o DIARINHO demonstra, indo visitar cada um destes lugares, como enchentes e alagamentos não são problemas impossíveis de serem solucionados. Muito pelo contrário, podem ser resolvidos com um pouco de boa vontade do poder público.

Hoje e amanhã, a reportagem vai mostrar o que mudou, antes e depois das obras, na vida de pessoas que vivem no loteamento Portal 1, no bairro Espinheiros, em Itajaí; na Armação, em Penha; nos bairros ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


Ao completar um mês da última cheia que atingiu Itajaí, o DIARINHO demonstra, indo visitar cada um destes lugares, como enchentes e alagamentos não são problemas impossíveis de serem solucionados. Muito pelo contrário, podem ser resolvidos com um pouco de boa vontade do poder público.

Hoje e amanhã, a reportagem vai mostrar o que mudou, antes e depois das obras, na vida de pessoas que vivem no loteamento Portal 1, no bairro Espinheiros, em Itajaí; na Armação, em Penha; nos bairros Vila Real, Iate Clube e Municípios, em Balneário Camboriú; no bairro Santo Antônio, em Piçarras, e no bairro Areias, em Camboriú.



O primeiro bom exemplo

Nossa via sacra começa no Portal 1, em Itajaí, que alagava quase toda semana. Localizado às margens da rodovia Jorge Lacerda, no lado esquerdo de quem vai em direção a Brusque, o lugar por onde passa o ribeirão da Murta era sinônimo de problema quando São Pedro abria as torneiras. Mas, diferente de 2008, quando a água encobriu diversas casas, na última enchente, um mês atrás, os moradores do Portal 1 não precisaram calcular prejuízos, por causa de uma coisa simples: o desassoreamento e limpeza do ribeirão.

Com 90% das ruas de chão batido, o loteamento está cheio de pessoas que franzem a testa ao falar em enchente, pois muitos ali estão reconstruindo a vida pela segunda ou terceira vez. É o caso de Paulo Cesar Nagnibeda, 37 anos, morador da rua Waldemar Oliveira da Silva, bem do ladinho do ribeirão da Murta, onde o cheiro não é dos mais agradáveis.


A casa de Paulo, feita de madeira num pedaço e material no outro, é o exemplo do que a falta de obras do poder público pode fazer. “Tem as rachaduras de 2008 até hoje. Não tive tempo de reformar, mas agora, quem sabe”, diz, enquanto segura uma enxada pra dar um trato na frente da baia.

A 40 metros da casa de Paulo, uma garotinha chamou a atenção da reportagem pela felicidade com que brincava na rua empoeirada. Ao chegar ao número 318 da rua Carlos Luis Stringari, encontramos o pai da pequena, o mecânico Moacir José Tavares Junior, 31, que diz ter certeza que a limpeza no ribeirão colaborou 100% pra que a água não invadisse as ruas. “Mas isso não foi obra, apenas uma limpeza, que já deveria ter sido feita antes”, cobra.

Ao andar pelo Portal 1 depois do desassoreamento e da limpeza do ribeirão é visível a expressão de seriedade no rosto das pessoas, pois elas sabem que já viveram o pior, mas não se dão ao luxo de dizer que estão livres da enchente. A dona de casa Fabiane Marcos, 30, dá o tom do que sentem os moradores do lugar. “Esperamos nunca mais ter que fugir ou se assustar com a chegada das chuvas e que limpem o ribeirão com frequência, pra que as crianças não nos perguntem mais: ‘por que tanta água?’”, pede Fabiane.

Como será a manutenção do ribeirão da Murta

O secretário de Obras Tarcízio Zanelato afirma que o desassoreamento do ribeirão da Murta foi um trampo inicial e, por isso, a cada três ou quatro meses ele será limpo pelos peões da prefa, pois a continuidade do serviço é a única garantia de dias de paz pro povão do Portal 1. Segundo Zanelato, cada limpeza destas custa cerca de R$ 20 mil. “Colocamos como regra que, de 90 a 120 dias, nós vamos desassorear o ribeirão da Murta. Isso antes era feito duas vezes por ano”, conta o abobrão, dizendo que outros ribeirões da cidade passaram pela mesma limpeza.





Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






44.192.15.251

Últimas notícias

Tragédia

Caminhão mata criança atropelada no São Vicente

Copa do Brasil

Ingressos para a torcida do Vasco esgotam em meia hora

BALNEÁRIO

Menor é preso por tráfico de drogas no bairro das Nações

ITAJAÍ

Briga de moradores de rua acaba em assassinato na Murta

Copa do Brasil

Marcílio abre venda de ingressos para a torcida do Vasco em novo setor

ITAJAÍ

Nova diretoria da Associação Empresarial de Itajaí toma posse em noite de festa; veja as fotos

Se liga

Caixa lança concursos com salários de até R$ 11 mil em SC

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Plantio de árvores começa a mudar visual da Atlântica

Prevenção

29 mil doses da vacina contra a dengue chegam a SC, mas nenhuma pra região

DOMINGOU!

Cantora Ive Luna faz show grátis em Itajaí



Colunistas

JotaCê

Forte candidato a sucessão de FO

Jackie Rosa

Ai que calor!

Histórias que eu conto

Histórias da Hercílio Luz

Artigos

O novo Plano Diretor de Itajaí só tem vencedores

Coluna Esplanada

Efeito cascata

Gente & Notícia

Nova geração Dalvesco

Coluna Existir e Resistir

United Colors Sarará

Foto do Dia

A ver navios

Via Streaming

“Yesterday”

Ideal Mente

Mudar dói

Show de Bola

Grande campanha

Direito na mão

Trabalho insalubre ou perigoso pode antecipar a aposentadoria

Empreender

O esporte e a inclusão

Coluna Exitus na Política

Os disfarces da linguagem

Na Rede

Confira o que bombou nas redes DIARINHO

Coluna do Ton

Destaque da Salgueiro

Clique diário

Tesouro

Coluna Fato&Comentário

O Porto é nosso?



TV DIARINHO


Uma criança morreu atropelada por um caminhão no bairro São Vicente, em Itajaí, no final da manhã deste ...





Especiais

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

violência

Brasil tem um assassinato de pessoa trans a cada três dias

Programa diferente

Na Estrada: Escapada pra Curitiba num finde de verão

Presidente do STM

Acampamentos golpistas “foram tolerados por orientação” militar

Agropecuária

Bancada adota ‘discurso tóxico’ em anúncios nas redes sociais



Blogs

A bordo do esporte

Volta da Ilha das Cabras abre temporada de regatas em São Paulo

Blog do JC

Lula e o genocídio

Gente & Notícia

Churrasco On Fire, da dupla Fernando e Sorocaba, chega a Massaranduba

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog da Jackie

O ‘sim’ de Ângela e Dolor

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação