Matérias | Especial


Itajaí

A arte de manter viva a verdadeira tradição de Natal

A história da artista plástica que já fez mais de 150 presépios e que tem obras espalhadas pelo mundo inteiro

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Enquanto muita gente acredita que arte de Natal são as guirlandas, luzes e papais noéis estilizados, a artista plástica Sônia Peres, 59 anos, prova que dá para manter a tradição e fazer peças de encher os olhos. Ao longo das três décadas dedicadas à arte, ela já confeccionou mais de 150 presé­pios, usando dos mais variados mate­riais possíveis: desde a palha de milho até recicláveis. Há 13 anos, aprendeu uma nova técnica, a lapinha, que re­sulta em trabalhos cautelosamente confeccionados com as mãos.


Hoje as obras de arte em presé­pio estão todas expostas na Casa da Cultura Dide Brandão, espaço onde Sônia se dedica há 26 anos, coman­dando variados cursos ligados às artes plásticas. Ela só lamenta ...

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






Hoje as obras de arte em presé­pio estão todas expostas na Casa da Cultura Dide Brandão, espaço onde Sônia se dedica há 26 anos, coman­dando variados cursos ligados às artes plásticas. Ela só lamenta que a tradição esteja se perdendo ao longo dos anos. “Infelizmente, quando mi­nistro curso de presépio nunca vem um jovem fazer. Geralmente só apa­recem senhoras. E é uma pena, por­que o presépio representa a essência do Natal”, destaca a artista.

Se Sônia tem razão quanto aos jovens ignorarem o assunto, vale abrir um parêntese para expli­car. O presépio, pelas crenças cristãs, é o cenário do nascimento de Jesus na gruta em Belém remontado com imagens. Conta a bíblia que José e Maria procuravam um lugar para passar a noite, como ninguém abriu as portas eles se abrigaram numa ca­bana de animais. E o menino Jesus nasceu numa manjedoura, cercado por bichos – por isso, dentre os itens do presépio há imagens de animais, como o burro e a vaca. Ainda com­põe a cena os três reis magos, que foram guiados pela estrela-guia, e o anjo que anunciou a chegada do fi­lho de Deus.

Como começou...

Sônia é carioca, mas chegou em Itajaí há 28 anos. E por aqui ficou. Desde então, desenvolve trabalhos de resgate à cultura açoriana, tão presente no litoral catarinense. Em 2006, a artista recebeu o prêmio da universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na categoria artes plásticas açoriana. Depois, recebeu o convite para viajar para Portugal, onde conheceu na teoria o que já dominava na prática – a técnica da lapinha, que usa para confeccionar seus presépios.

Hoje a arte de Sônia já está es­palhada pelo mundo afora. Vários presépios foram vendidos para ad­miradores dos mais diversos países. E ela sabe o paradeiro de cada uma das obras. Como reconhecimento, Sônia faz parte da liga mundial de Presepistas e embarca em setembro do ano que vem para a Áustria, onde acontece a reunião do grupo que luta para manter a tradição, remontando o cenário do nascimento de Jesus com obras de arte de encherem os olhos. “Arte de Natal não é só Papai Noel. Você encontra no R$ 1,99 coi­sas lindas, mas tudo da China, tra­balho escravo. As minhas peças eu também comercializo, mas dá tanto trabalho que eu acabo ficando com pena de vender”, salienta Sônia.

Continua depois da publicidade



O orgulho que ela tem do ofício é tão grande quanto a paciência que tem ao produzir as obras. As peças que compõem os presépios feitos por Sônia se misturam a cenas do cotidia­no do município. Além de recriar o que aconteceu em Belém, há mais de dois mil anos, a presepista constrói os cenários mais famosos de Itajaí e mis­tura ao presépio. Tudo em tamanho minúsculo, mas com detalhes tão perfeitos que os olhos até teimam em não acreditar que seja possível cons­truir aquelas obras manualmente. No entanto Sônia diz que, para que as peças estejam prontas para expor no Natal, passa o ano todo confeccio­nando cada bonequinho.

Cheia de projetos

Continua depois da publicidade



Enquanto as pessoas ainda pres­tigiam a exposição dos presépios de lapinha, Sônia já vislumbra o próxi­mo passo. Ela está cheia de planos. “Minha próxima luta é conseguir fa­zer um presépio em tamanho natural no ano que vem, na frente da Casa da Cultura. Vai dar um trabalhão, mas vai valer a pena”, revela, já com os olhos brilhando só de pensar na possibilidade. Ela diz que o fascínio pelo presépio vem da infância, por ter estudado em colégio de freiras e por achar (ainda hoje!) que não se deve abandonar a verdadeira essên­cia do Natal.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.215.77.12

TV DIARINHO


Dia 8 da Expedição Pedalando. Vamos acompanhar como foi a pedalada dos cinco aventureiros da região ...



Podcast

Novos tempos, novos termos

Publicado 14/05/2022 19:36



Especiais

febre entre jovens

Uso de Cigarros eletrônicos acende alerta

Revitalização

Nova orla da Brava está em fase de projeto

Praia Brava

Novo acesso, através de Cabeçudas, será urbanizado

Praia Brava

Duplicação da Osvaldo Reis deve facilitar ligação com BC

Praia Brava

Via polêmica atrás da Lagoa do Cassino está em pauta



Blogs

A bordo do esporte

Ventos ganham força e Copa Brasil de Vela de Praia chega à reta final

Blog do Ton

Sócias de Brusque inauguram franquia da Hausz na cidade

Blog Doutor Multas

Como funcionam os bônus de apostas esportivas?

Blog do JC

Ademar Henrique Borges, o Ademarzinho será o novo secretário executivo da Amfri

Blog da Ale Francoise

Enema de café e suas funções

Blog Clique Diário

Itajaí - Navio - Panorama

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW



Entrevistão

José Evaldo Koch

“O hortifruti é nosso berço”

Laerte Jacomel

"Estamos buscando o que todo mundo busca: paz de espírito”

Édison Carlos

“100 milhões de brasileiros não têm coleta de esgoto”

Walter Orthmann

"Quero ser útil enquanto eu puder”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯