Matérias | Geral


Itajaí

Bombeiros intensificam segurança nas praias pra evitar afogamentos

Turista se afogou na praia Central, em Balneário, mas foi resgatado a tempo. Bombeiros tão trampando com 25% a mais de homens na orla

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Com a chegada do verão e a aproximação das festas de final de ano, milhares de pessoas resolvem aproveitar as férias nas praias de Balneário Camboriú e região. Por conta disso, os guarda-vidas redobraram o cuidado com os banhistas. O número destes profissionais, em relação ao ano passado, aumentou 25%. Mesmo assim, é preciso ter muita atenção ao entrar na água. Tudo para não levar um susto como o que levou um turista no início da noite de quinta-feira em Balneário Camboriú.


João Batista do Nascimento, 38 anos, se afogou por volta das 19h, na praia Central, na avenida Atlântica, esquina com a rua 2100. Os bombeiros disseram que ele tava numa área complicada de curva ...

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






João Batista do Nascimento, 38 anos, se afogou por volta das 19h, na praia Central, na avenida Atlântica, esquina com a rua 2100. Os bombeiros disseram que ele tava numa área complicada de curva, onde forma repuxo. “É uma parte da praia que é prejudicada porque os guarda-vidas não têm visão direito”, fala o sargento do corpo de Bombeiros de Balneário, João Carlos Muniz de Melo.

O homem de vermelho acredita que o turista se afogou por passar mal, já que ele tinha acabado de entrar na água. Os procedimentos pra salvar o banhista foram feitos na areia da praia mesmo. Depois ele foi encaminhado ao hospital Ruth Cardoso, onde ficou em observação. O turista passa bem, apesar do cagaço.

Olha a bandeira vermelha!

O sargento Muniz acredita que a incidência de pessoas que não conhecem a praia é grande nessa época. “Eles não sabem pra quê tá ali aquela bandeira [mostrando a bandeira vermelha] porque não há uma orientação na cidade deles”, opina. Segundo Muniz, uma solução seria se informar com os guarda-vidas sobre a condição da praia, antes de encarar o banho de mar.

A curitibana Dóris Schubert, 72 anos, que curtia uma praia na manhã de ontem, admite que não sabe muito bem o significado de cada bandeira. “Mas é lógico que eu sei que vermelho ou preto quer dizer perigo”, arrisca. Ela diz se sentir segura tendo os guarda-vidas por perto, mas concorda que muita gente não os obedece. “O povo tá muito teimoso. Quinta-feira tinha duas pessoas no fundo e os bombeiros pediram pra sair, mas elas não obedeceram. Tem que cooperar”, palpita.

Continua depois da publicidade



Dicas pra fugir do mico

O sargento Muniz também aproveita para dar dicas pros banhistas não entraram numa fria neste verão. Primeiro, eles devem ficar longe de lugares vazios – esses são os locais mais perigosos. Quem bebeu demais não deve se meter a machão e entrar no mar pensando que é um César Cielo da vida. Outra dica é sempre ficar em locais seguros, principalmente perto dos bombeiros. Também é muito importante observar a sinalização nas praias antes de se jogar no mar.

Continua depois da publicidade



Investimento para salvar vidas

O coronel do 7º Batalhão dos Bombeiros Militares, Onir Mocelin, disse que este ano o número de guarda-vidas aumentou 25%, em comparação ao ano passado, nas praias da região. O governo do estado liberou R$ 10 milhões para serem aplicados na segurança da orla – quatro milhões a mais que no ano anterior. “Desde sexta-feira estamos atuando com 100% do efetivo da temporada. Vamos manter este número até o final de fevereiro”, avisa.

Mesmo contando com mais vermelhinhos, Mocelin faz um alerta: “isso não quer dizer que as pessoas possam abusar”. Pra ele, os maiores problemas encontrados na praia são a falta de cuidados dos pais com os filhos e o consumo de bebida alcoólica. O coronel tá confiante no trampo dos bombeiros. Ele comenta que faz dois meses que não são registradas mortes por afogamento nas praias da região. O último caso com morte rolou há dois meses na praia do Gravatá. “Assim como está, vamos ter uma temporada tranquila. É o que eu espero”, espera.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.236.234.223

TV DIARINHO


Dia 8 da Expedição Pedalando. Vamos acompanhar como foi a pedalada dos cinco aventureiros da região ...



Podcast

Novos tempos, novos termos

Publicado 14/05/2022 19:36



Especiais

febre entre jovens

Uso de Cigarros eletrônicos acende alerta

Revitalização

Nova orla da Brava está em fase de projeto

Praia Brava

Novo acesso, através de Cabeçudas, será urbanizado

Praia Brava

Duplicação da Osvaldo Reis deve facilitar ligação com BC

Praia Brava

Via polêmica atrás da Lagoa do Cassino está em pauta



Blogs

A bordo do esporte

Ventos ganham força e Copa Brasil de Vela de Praia chega à reta final

Blog do Ton

Sócias de Brusque inauguram franquia da Hausz na cidade

Blog Doutor Multas

Como funcionam os bônus de apostas esportivas?

Blog do JC

Ademar Henrique Borges, o Ademarzinho será o novo secretário executivo da Amfri

Blog da Ale Francoise

Enema de café e suas funções

Blog Clique Diário

Itajaí - Navio - Panorama

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW



Entrevistão

José Evaldo Koch

“O hortifruti é nosso berço”

Laerte Jacomel

"Estamos buscando o que todo mundo busca: paz de espírito”

Édison Carlos

“100 milhões de brasileiros não têm coleta de esgoto”

Walter Orthmann

"Quero ser útil enquanto eu puder”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯