Matérias | Reclamações


Itajaí

Guri que sumiu em Barra Velha disse que tava sofrendo bullying

Gurizão ficou 17 dias longe de casa e foi encontrado em Lages

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Baixa autoestima, atitudes agressivas, notas baixas e vontade de ficar bem longe da escola. Estes são sintomas que crianças e adolescentes apresentam quando estão sendo vítimas de bullying, palavra em inglês que define a agressão física ou psicológica intencional sofrida repetidas vezes. A psicóloga educacional da Univali, Leia Viviane Fontoura, explica que o bullying acontence quando existe vítima, agressor e testemunha. “Sem testemunha não há violência, por isso é preciso que esses três personagens andem juntos”. Um adolescente de Barra Velha sumiu de casa por 17 dias e contou à família que estava sofrendo perseguição na escola. O caso está sendo investigado pela polícia Civil da Terra do Pirão.

Leia diz que não há faixa etária específica pra palhaçada rolar. O bullying atinge crianças, adolescentes e até mesmo adultos, independente do ambiente social. “Toda a escola deve ou deveria abordar ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


Leia diz que não há faixa etária específica pra palhaçada rolar. O bullying atinge crianças, adolescentes e até mesmo adultos, independente do ambiente social. “Toda a escola deve ou deveria abordar o tema. É inadmissível um ambiente escolar não falar sobre bullying. As escolas devem organizar debates com os alunos, falar como o bullying atrapalha a vida de uma pessoa e quais as consequências”.

Agonia



A professora S.S.M., 32 anos, passou duas semanas desesperada. O filho, C.E.S.M.B, 14, fugiu de casa, em Barra Velha, e só foi encontrado 17 dias depois, em Lages. Segundo ela, o garoto disse que vinha sofrendo no colégio. “Ele não quer de jeito nenhum voltar à escola”.

S. contou à reportagem que a suspeita havia surgido durante a investigação, mas só foi confirmada no reencontro com o adolescente.

Conforme a mãe, durante uma aula um professor teria dado pela falta de um livro e depois achado na mochila de C. “Um colega de sala contou que o professor fechou a sala de aula e todo o mundo vaiou meu filho”. Ela procurou a direção da escola e denunciou o professor. “Isso é uma negligência”.


Desde que foi encontrado, o jovem quase não fala, e a mãe diz que irá encaminhá-lo a uma psicóloga. “Ele disse que os alunos estavam tirando sarro, dando apelidinhos”.

Pelo pouco que falou, a ideia do adolescente era seguir até Lebon Régis, onde morou de fevereiro a setembro com um avô. Ele saiu de casa numa zica e percorreu 117 quilômetros até Apiúna, quando o pneu da bike furou. De lá, andou 77 quilômetros até Pouso Redondo, onde disse que um estranho lhe ofereceu comida e abrigo. “Depois, ele foi junto com o homem a Ituporanga, onde trabalhou numa plantação de cebola por alguns dias. Sábado, eles foram a Lages, onde meu menino foi encontrado”.

Garoto estava há dois meses em escola nova

Segundo a escrivã da delegacia de Barra Velha, Ângela Parisotto, C. e o homem que o ajudava, identificado como Wilson Varela da Silva, foram localizados numa casa em Lage. “Foi o irmão do Wilson que chamou a polícia. O caso ainda não foi encerrado. O menino será ouvido”.


C. estudava há dois meses na escola Estadual David Pedro Espíndola. Segundo a diretora, Elizabeth Nunes Barcelos Giuradelli, apesar de o tema ser abordado na escola, as agressões sofridas por C. não chegaram aos ouvidos da direção. “Quando o aluno reclama, a gente ouve os envolvidos e faz um trabalho em cima disso. Porém, ele não veio até nós”. Flávia Manhães Sinkdeiner, do conselho Tutelar de Barra Velha, disse que vai ouvir a escola e ajudar a mãe do menor a encontrar atendimento com uma psicóloga.

Sandra Regina Sirena, psicóloga e coordenadora do núcleo de Estudos e Atendimentos Especializados (Neas), da secretaria de Educação, informou que o órgão trabalha desde 2009 com projetos de prevenção ao bullying. De acordo com ela, a agressão causa muitos transtornos psicológicos à vítima. Portanto, é preciso um acompanhamento profissional. “Geralmente quem sofre bullying é alguém que se destaca por alguma diferença, por exemplo, crianças obesas, muito magras ou novas na escola (caso de C.)”.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






35.168.110.128

TV DIARINHO


Entrevistão com Douglas Costa Beber  - Diretor Geral da Emasa



Podcast

Avalie o que importa

Publicado 13/08/2022 09:56



Especiais

ENTREVISTA

Duda Salabert “Quando uma travesti é eleita, a sociedade inteira avança”

Brasil

Quem está destruindo as unidades de conservação do cerrado

Saúde

Salsicha, hambúrguer e nugget: pesquisa identifica agrotóxicos em alimentos

famoso

Garçom há 30 anos, Claudinho ama BC

Diversidade religiosa

Mestre Marne quebrou tabus para defender a fé nos orixás



Blogs

A bordo do esporte

Maquete eletrônica do Salão Náutico Salvador com o Grand Pavois

Blog da Ale Francoise

Tá com tosse aí?

Blog Doutor Multas

Bafômetro pega vape: verdade ou mito? Entenda de uma vez por todas

Blog do JC

Desencantou

Blog do Ton

Blumenau ganhará o primeiro lounge bar em formato rooftop

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW



Entrevistão

Douglas Costa Beber

"Somos a cidade mais saneada de Santa Catarina e uma das mais saneadas do Brasil”

Gabriela Kelm do Nascimento

“A maioria entende que o calçadão da Hercílio Luz deve permanecer porque foi um ganho para a cidade ”

Normélio Weber

"O Hermeto Pascoal vai estar ali. O Toquinho vai estar aqui. O Brasileirão, de Curitiba... Vai estar Chico César...”

Cláudio Werner

“O nosso clube é um formador de atleta olímpico”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação