Matérias | Polícia


Itajaí

PM atendeu quase oito mil queixas de som no talo em Balneário

Na madruga de ontem, este quiosque na avenida Atlântica foi fechado por causa da barulheira

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]


Já virou rotina. Todo santo dia o centro de Operações Policiais Militares (Copom) de Balneário Camboriú recebe ligação de um morador incomodado com o barulhão de som alto na vizinhança. De novembro de 2012 a novembro deste ano, foram registradas 7674 chamadas de perturbação do sossego. O reclame rola o ano inteiro, mas na época da temporada de verão o problema fica mais grave. Ontem, um quiosque chegou a ser fechado na avenida Atlântica numa ocorrência que começou por causa da reclamação com a sonzeira que vinha de dentro do boteco.


Eram quase 2h30 da manhã quando vizinhos ligaram pra reclamar do som que vinha do quiosque número dois, que fica quase em frente ao hotel Marambaia, no Pontal Norte. Esta era a segunda reclamação ...

 

Já possui cadastro? Faça seu login aqui.

OU

Quer continuar lendo essa e outras notícias na faixa?
Faça seu cadastro agora mesmo e tenha acesso a
10 notícias gratuitas por mês.

Cadastre-se aqui



Bora ler todas as notícias e ainda compartilhar
as melhores matérias com sua família e amigos?

Assine agora mesmo!


Eram quase 2h30 da manhã quando vizinhos ligaram pra reclamar do som que vinha do quiosque número dois, que fica quase em frente ao hotel Marambaia, no Pontal Norte. Esta era a segunda reclamação do dia sobre o local. Há cerca de duas semanas, a PM já havia dado um atraque no quiosque, por causa do som alto na madrugada. Ontem, os milicos pediram pra ver o alvará, e como o documento não foi apresentado, os fardados fecharam as portas do quiosque.



O dono do comércio, Thiago Natan Lana, 23 anos, garante que estava com toda a papelada em dia, mas o funcionário que estava no quiosque na madrugada não sabia que o protocolo do alvará da polícia Civil estava no local, por isso não apresentou o documento. Ele diz que tinha um baita aparelho de som, mas por causa das reclamações, há cerca de duas semanas, trocou o equipamento. “Agora eu tinha só um som ambiente, mas cheguei aqui, hoje (ontem) de manhã e arranquei tudo”, disse o entisicado.

Ele jura que orientou os funcionários a manterem um sonzinho bem de boa, baixinho, mas acredita que um deles possa ter se passado e aumentado um pouco a bagaça, sem se ligar no perrengue que poderia causar. O comerciante reconhece que no próprio alvará diz que não é permitido som no quiosque, mas se sente injustiçado, já que os outros botecos da orla trampam com música. “Tão baixando só aqui, mas deveriam fiscalizar todos os quiosques”, chia. Com o protocolo que comprova que a papelada está em dia, Thiago reabriu o quiosque ontem mesmo.


No verão, ocorrências de som alto bombam


A perturbação do trabalho e sossego alheio é uma contravenção penal. O comandante do 12º batalhão da PM, coronel Marcello Martinez Hipólito, informa que, de novembro de 2012 a novembro de 2013, foram registradas 7674 queixas de perturbação do sossego. Se o número parece assustador, na temporada de verão – de dezembro a fevereiro – o número de ocorrências aumenta. Ele ilustra a situação falando que de uma média de 15 queixas registradas em um dia, apenas quatro não são por causa do som alto neste período do ano. Na maioria das chamadas pro 190, o barulho que perturba os vizinhos vem dos carros e de festinhas em apês. As ocorrências pipocam em toda a cidade, mas a orla é a líder de chamadas.

Martinez explica que a PM só pode tomar providências quando existem vítimas, ou seja, quando alguém topa dar o nome no registro dos fardados após denunciar a perturbação. “Se não tiver vítima, não temos como agir de forma repressiva”, explica. Mesmo assim, ele diz que a grande maioria das pessoas reclama sem se identificar.

Baixam na hora

Segundo o comandante, em 90% dos casos os barulhentos baixam o som na hora, quando há um pedido dos fardados. Quem dá uma de espertinho e volta a aumentar a barulheira logo depois que a baratinha sai, pode ter que responder ao perrengue na dona justa. “Se for reincidente em menos de cinco anos, pode ser processado criminalmente”, explica o estrelado.


Nesses casos, os homi podem recolher o som, que é considerado objeto usado na prática do delito. O dono só retira o aparelho ou as caixas de som depois que rolar a audiência na dona justa. O tempo médio pra isso acontecer é de três meses. “Mas a justiça ainda pode definir a perda do objeto”, lembra.

Perturbação pode rolar a qualquer hora do dia

Ao contrário do que muita gente pensa: som alto não é só é proibido depois das 22 horas. A perturbação do sossego alheio não tem hora pra acontecer. “Basta mais de uma pessoa se sentir incomodada com o barulho e chamar a polícia”, diz.

Segundo a bagrona da secretaria do Meio Ambiente, Nena Amorim, o limite tolerável do som é de 55 decibéis. A medição é feita pelos fiscais da secretaria a partir de uma distância de um metro e meio da parede ou porta de onde vem o barulho.

Como a PM não trabalha com o aparelhinho de fiscalização e não atua junto aos fiscais do Meio Ambiente, a medição de incomodação é feita pelo bom senso dos reclamantes e PMs que atendem a ocorrência. “Em ocasiões específicas, como réveillon e carnaval, a gente sempre tem que ser mais tolerante, né?!”, pondera o estrelado.





Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






3.238.112.198

Últimas notícias

Foragido

Preso em Porto Belo homem que matou duas pessoas e baleou outras quatro 

ITAJAÍ

Navio da Marinha atraca em Itajaí para levar doações ao RS

POLÊMICA

Pastores da Bola de Neve de Balneário Camboriú respondem a acusações de fraude 

Convocação

Itajaí terá 156 paratletas no Parajasc

CAMBORIÚ

Lar geriátrico pet adota cães velhinhos abandonados na enchente do RS

Futebol

Fernando Diniz renova com o Fluminense para 2025

Futebol Solidário

Com Cafu e Ronaldinho em campo, jogo no Maraca vai arrecadar dinheiro para os gaúchos

Itapema

Obra do píer de Itapema conclui fase de estacas

Últimos dias

Festival gastronômico do Brava Mall acaba na semana que vem  

Autorizado

Antaq libera Seara/JBS para tocar as operações no porto de Itajaí



Colunistas

JotaCê

Fabrício chamegou Bolsonaro em Brasília

Coluna Fato&Comentário

Associativismo comunitário em Itajaí: o começo

Coluna Esplanada

Trio de apostas

Via Streaming

Tudo pelo dinheiro

Ideal Mente

O desamparo da infidelidade

Show de Bola

Trocas de treinadores

Direito na mão

Recebeu auxílio-doença ou auxílio-acidente? Veja como se aposentar agora!

Coluna Exitus na Política

Um passeio nas cavernas

Na Rede

Morte de produtor, garotinho com orgulho do pai na enchente e mais: confira os destaques do DIARINHO

Artigos

O combate ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes é um compromisso coletivo

Jackie Rosa

Niver da Chris

Mundo Corporativo

A importância do equilíbrio da autoestima no mundo organizacional

Gente & Notícia

Níver da Margot

Coluna do Ton

Chegando de Mendoza

Histórias que eu conto

Armação da infância II

Foto do Dia

“O mar, quando quebra na praia”

Coluna Existir e Resistir

Designação geral sobre o fim do mundo



TV DIARINHO


Navio da Marinha vai levar doações de Itajaí para o Rio Grande do Sul. A comunidade pode ajudar levando ...





Especiais

DADOS INÉDITOS

Em meio ao lixo das chuvas no Rio Grande do Sul, catadores não conseguem trabalhar

NÚMEROS

No Brasil, 3 a cada 4 vivem em cidades com mais risco de desastres por chuvas

DADOS

Exportação de armas de fogo dobrou durante os anos Bolsonaro, revela levantamento inédito

NA ESTRADA

BC oferece rolês gastronômicos, culturais, de compras e lazer

RIO GRANDE DO SUL

São Leopoldo: a cidade gaúcha onde quase todos perderam o lar



Blogs

Blog da Jackie

Reserva Royal

Blog do JC

CREA-SC homenageado em BC

A bordo do esporte

Terceira edição do Troféu Ayrton Senna de Kart celebra 30 anos do legado do ídolo

Blog da Ale Francoise

A pílula da felicidade

Blog do Ton

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Vilfredo e Heloísa Schurmann

"Nós reciclamos só 6% no Brasil. Na Europa já é 50%. A própria China já está com 35% de reciclagem” (Vilfredo)

João Paulo

"Essa turma que diz defender a família ajudou a destruir a boa convivência em muitas famílias. Na defesa de um modelo único, excludente"

Entrevistão Peeter Grando

“Balneário Camboriú não precisa de ruptura, mas de uma continuidade”

Juliana Pavan

"Ter o sobrenome Pavan traz uma responsabilidade muito grande”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação