Colunas


Coluna Exitus na Política

Por Sérgio Saturnino Januário - pesquisa@exituscp.com.br

A cenoura que não se come


A Constituição Federal do Brasil está passando por reformas, condicionamentos e preferências. Como composição de Leis de Estruturação de um país, a Constituição é, ao mesmo tempo, raiz profunda, tronco largo e galhos exuberantes. A copa desta árvore, alimentada pelas Seivas Constitucionais, estaria projetada para folhas revigorantes, ascendentes pelo sol de cada dia, e capaz de atrair os seres mais extraordinários. Da Constituição formam-se florestas, um país, com diversidades complementares, equilíbrio estável e capacidade de resistência por mudanças [resiliência].

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





A Constituição Brasileira está sob cuidado de lenhadores, incendiários e expropriadores. O Congresso Nacional se tornou uma Assembleia Constituinte, com revisões executadas com machados de PECs, emendadas e remendadas ao gosto do interesse, à fome de interesses mesquinhos, ao arroto interrompido pela gargalhada.

A PEC da Cenoura Eleitoral, pendurada por uma vara diante dos olhos famintos dos desabrigados de cidadania e respeito, que a cada passo e esforço sempre fica à mesma distância do objetivo do passo anterior, é a revelação, em preto e branco, da imagem do brasil minúsculo em democracia, raquítico em república e desnutrido em cidadania.

O dinheiro que é público, “doado à força” em impostos, “contribuições”, bandeiras coloridas nas contas elétricas, taxas de existência, é a destilação do trabalho pelo suor do trabalho de todos os dias. E, tal qual o ouro que brotava à flor da terra, é de quem chegar primeiro. As Emendas do Relator, personagem sem cara, sem nome, sem digital, mal se limpam ao sair do banheiro.

Enquanto o inalcançável Relator, risonho por ser o dono de 40 bilhões de reais para serem distribuídos ao sabor de seus dedos e bolsos, faz da Constituição um rolo de higiene pessoal, e a cenoura continua tão inalcançável quanto antes, ainda que tão próxima que provoque o passo seguinte, a educação se torna uma conversa [debate não há] sobre ideologia, as gerações que se formam desde o ensino fundamental vão experimentar o deserto sem água.

Nas emendas do Relator tudo se faz, nada se provém. O Ministério da Educação tem experimentado corrupção e transferências de poder, ensino de robótica quando falta comida, licitações para transporte de “ônibus para ruas esburacadas”.

Se a Educação é cantada como o fenômeno para a “segurança segura” [sic] do desenvolvimento de gerações de pessoas e de um país que deveria florescer em exuberância, nada pode justificar cortes orçamentários de seis  bilhões enquanto o Relator relata o inenarrável de 40 bilhões e a PEC da Cenoura Eleitoral passa a cruzar ante os olhos cegos de esperança.

A Constituição já não edifica a floresta e suas diversidades e esperanças que lhe cabem. A Constituição virou um papel para que páginas lhes sejam coladas umas sobre as outras, a serviço dos interesses de grupos de interesses eleitorais, para preservar a concentração do poder político, da arrogância do cargo de Presidente Parlamentar e seus coelhos nascidos em ninhadas de votos.

Tal qual o desmatamento da Amazônia e suas queimadas, os votos nas próximas eleições não são e nunca serão a festa da democracia. Eleitor não é cidadão e nem se tornará cidadão porque outrora tenha votado. O voto é a cenoura que não se come!


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Exitus na Política

Agora, o eleitor

Coluna Exitus na Política

Feito de ossos

Coluna Exitus na Política

Política e totens

Coluna Exitus na Política

Gestão auditável

Coluna Exitus na Política

Magia e farsa

Coluna Exitus na Política

Um e noventa e nove

Coluna Exitus na Política

Divisão do trabalho político

Coluna Exitus na Política

Segundo turno agora

Coluna Exitus na Política

Verdes e cinzas

Coluna Exitus na Política

A liberdade sob tortura

Coluna Exitus na Política

A liberdade do astronauta

Coluna Exitus na Política

Coice e passo adiante

Coluna Exitus na Política

Voto e consequência

Coluna Exitus na Política

Crise na abstinência

Coluna Exitus na Política

Soldados sem cabeça,  armados

Coluna Exitus na Política

Portas fechadas, às escuras

Coluna Exitus na Política

O juiz e o investigado

Coluna Exitus na Política

Palco e claquete

Coluna Exitus na Política

Política da psicose

Coluna Exitus na Política

O pires, o balcão



Blogs

A bordo do esporte

Seleção Brasileira de Vela inicia treinos para SSL na Suíça

Blog do JC

Isaque Borba

Blog Doutor Multas

Desentupidora de pia em Moema: chegada rápida, orçamento sem compromisso e garantia no desentupimento

Blog do Ton

O Segredo dos Tubarões

Blog da Ale Francoise

Inclua inhame no seu dia!

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW



Entrevistão

Gabriela Kelm do Nascimento

“A maioria entende que o calçadão da Hercílio Luz deve permanecer porque foi um ganho para a cidade ”

Normélio Weber

"O Hermeto Pascoal vai estar ali. O Toquinho vai estar aqui. O Brasileirão, de Curitiba... Vai estar Chico César...”

Cláudio Werner

“O nosso clube é um formador de atleta olímpico”

Willian Cardoso, o Panda

"Saquarema provavelmente vai ser meu último mundial, aí eu vou estar focado no brasileiro”

TV DIARINHO

Confira os destaques desta sexta-feira



Podcast

Inflação e alta na taxa de juros

Publicado 06/08/2022 14:47


Especiais

Saúde

Salsicha, hambúrguer e nugget: pesquisa identifica agrotóxicos em alimentos

famoso

Garçom há 30 anos, Claudinho ama BC

Diversidade religiosa

Mestre Marne quebrou tabus para defender a fé nos orixás

conexão

Networker aproxima Balneário Camboriú das celebridades

Sem medo do trabalho

Dona Terezinha toca uma confecção aos 84 anos



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação