Matérias | Geral


BALNEÁRIO

Protetora desmente que rodoviária acolheu cachorrinha abandonada e cobra medidas do terminal

Batizada de Betânia, pet foi recolhida por casal de lan house e dorme em sala do terminal

João Batista [editores@diarinho.com.br]

Protetoras cobram medidas da rodoviária contra os frequentes casos de abandono (Foto: Arquivo)


A história da cachorrinha abandonada por uma passageira na rodoviária de Balneário Camboriú e que teria sido acolhida por funcionários do terminal ganhou nova versão contada pela gerente comercial Gabriela Schirmer, protetora de animais que afirma acompanhar o caso.

Segundo ela, o subsíndico do terminal, Darceu Couto de Oliveira, não contou a “história real”, tentando “deixar bonito” para a rodoviária, e que ele não está com a cachorrinha. A protetora diz que a dog, que recebeu o nome de Betânia, está com o casal de uma lan house.

Após o acolhimento, eles levaram a pet pro veterinário e a peludinha ganhou um banho. Ela é cuidada pelo casal. “Basicamente, a cachorra tá morando de dia dentro da lan house e à noite o Darceu liberou uma sala pra cachorra dormir, onde os funcionários ajudam”, disse.



A cachorrinha foi abandonada há cerca de duas semanas. A tutora não tinha o documento de vacinação e embarcou deixando a pet pra trás. “Isso acontece com frequência na rodoviária, porque as pessoas não valorizam os animais e não têm uma instrução também da rodoviária e das empresas de ônibus em como proceder numa situação dessas”, aponta.

As filmagens do dia do abandono já foram apagadas e o BO não chegou a ser feito. A protetora defende que a mulher responda pelo crime e que não possa pegar a cachorra de volta. Com a ajuda do vereador Victor Forte (PL), Gabriela informa que conseguiu a castração de Betânia nesta semana.

Enquanto a dog é cuidada, a cobrança é por medidas da administração contra casos frequentes de abandono. “Falta orientação para os funcionários, porque eles deixam simplesmente acontecer, veem a situação, veem a pessoa abandonando e não fazem nada”, disse.


Ela sugere que o pessoal da rodoviária seja mais bem instruído pra orientar as pessoas que vão viajar com cachorro ou gato, sobre quais documentos são necessários e quais os procedimentos. Também aponta a necessidade de placas sobre o abandono de animais, prática que é crime por lei federal.

A protetora quer fazer um trabalho de conscientização no terminal. “Eu acredito que a Betânia apareceu na nossa vida pra conscientizar. Ela veio para um objetivo, talvez pra gente trazer consciência pras pessoas de que abandono é crime, que isso acontece sempre e que a gente deve repensar muito mais sobre isso”, reflete.

Síndico promete ações

Darceu confirma casos de abandono, tanto de animais deixados por passageiros ou que aparecem da rua, e promete medidas de orientação. “Nós já confeccionamos placas pra colocar em lugar visível, [alertando] da proteção dos animais, que abandono é crime”, disse. Ele afirmou que o terminal também cobra mais das empresas.

“No mural de cada empresa, de cada agência, eles têm lá o que é necessário pra cada animal viajar, desde carteira de vacinação, documentação em dia. Essa aí foi um caso à parte. Outras que não conseguiram levar os animais, as pessoas perderam a passagem pra não abandonar os animais”, conta.


Sobre as empresas, Darceu observa que cada uma tem suas normas. “Se realmente o animal não puder embarcar, a pessoa também não vai. Só que tem agências que querem cobrar de cada [passageiro]. Se você leva um animalzinho na caixinha, você tem que pagar um assento separado, você não pode levar ele no colo. Isso aí eu acho errado, só que isso não compete a nós”, diz.

No caso da Betânia, o subsíndico defende que o terminal fez o acolhimento. Ele confirmou que a dog foi pra castração e deve ficar uma semana na recuperação. Segundo Darceu, quando animais aparecem no local é feito contato com ONGs, mas as entidades têm dificuldade de atender porque estão lotadas. “Eu acho que o terminal rodoviário fez a parte dele que foi acolher esse animal. E outros que aparecem aqui, eles passam o dia aqui e saem. Nós não temos onde colocar os animais num lugar adequado”, argumenta. Ele tem a intenção de entregar a dog pra um tutor responsável.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






34.239.154.201

TV DIARINHO






Especiais

MEIO AMBIENTE

Ibama proíbe pulverização aérea de agrotóxico letal a abelhas, o tiametoxam

Caso Ilha de Marajó

Vereadora de Navegantes está entre os políticos que impulsionaram fake news sobre exploração sexual infantil

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

VIAGEM NO TEMPO

Museu do Carro traz nostalgia e diversão sobre o universo automotivo

NOVOS TEMPOS

SC é pioneira na promoção da mobilidade elétrica



Blogs

A bordo do esporte

Inaê Sailing Team segue entre os primeiros da Copa Mitsubishi

Blog do JC

Não sabe de nada...

Blog da Jackie

Verão, calor, quentura e mormaço

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação