Matérias | Geral


Remediando a alta da gasolina

Uber e 99 anunciam reajuste aos motoristas

Aumentos são de até 25% na 99 e até 35% na Uber, visando reduzir os impactos da alta de combustíveis

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Motoristas da região esperam novo repasse e usuários reclamam dos preços (fotos: João Batista)

Os dois principais aplicativos de transporte, Uber e 99, anunciaram reajustes nos valores das corridas que são repassados aos motoristas. A medida visa amenizar os impactos da alta dos combustíveis e evitar a saída de parceiros. As empresas dizem que não haverá repasse dos reajustes aos passageiros, que já se queixam dos preços altos das viagens.

A 99 informou que o aumento do ganho dos motoristas foi definido a partir de testes em dezenas de cidades no último mês. O reajuste vai de 10% a 25% para os motoristas e, segundo a empresa, visa equilibrar a plataforma, “oferecendo mais ganhos para motoristas e mantendo a acessibilidade do serviço para os passageiros”.

Conforme a empresa, os constantes reajustes dos combustíveis impactaram muito negativamente os serviços de transporte por aplicativo. O aumento aos motoristas começou a ser adotado em mais de 20 regiões metropolitanas do país e segue em expansão para outras cidades, sendo bancado pelo aplicativo.



Outras medidas pra manter o serviço atrativo envolvem parceiras com rede de postos e isenção de taxas em corridas em dias, horários e cidades específicas, quando o valor total das viagens fica com os motoristas. A 99 afirma que a oferta de um serviço de qualidade a um custo acessível permitiu que pessoas da classe C passassem a usar a plataforma com mais frequência.

“A responsabilidade da 99 é continuar promovendo esse equilíbrio entre oferta e demanda para que as pessoas continuem se locomovendo com mais conforto e segurança, ao mesmo tempo em que os motoristas parceiros consigam obter seus ganhos e possam cuidar de suas famílias”, explica Livia Pozzi, diretora de operações e produtos da 99.

Em 2020, a empresa disse que investiu R$ 90 milhões sem serviços, gerando mais oferta e ganhos para os condutores, afetados pela redução de passageiros em meio à pandemia.


Pela Uber, o reajuste aos motoristas é de até 35% no valor das corridas, sem impactar no preço final para os usuários, segundo a empresa. A plataforma também considerou a alta no preço do combustível pra fazer a correção de valores e reajustar os ganhos dos parceiros. A medida já está valendo em diversas cidades e pra todas as modalidades do serviço.

Reajuste esperado na região

Motoristas de aplicativo relataram que o reajuste ainda não chegou na região de Itajaí e esperam que o repasse seja aumentado de fato pelas empresas. O motorista Mauro de Freitas, de 42 anos, trabalha há seis anos pelo aplicativo e há seis meses mora em Balneário Camboriú, de onde atende toda a região.

Ele conta que alguns motoristas desistiram da profissão por que não estava sendo mais lucrativo. Mauro se mantém na plataforma e trabalha mais nos horários com preço dinâmico, quando a alta demanda por carros em determinada região torna as viagens mais vantajosas. Mesmo assim ele observa que as empresas ficam com a maior parte do valor das viagens.

Mauro lembra que numa corrida entre Camboriú e Itajaí, de R$ 35, foi repassado apenas 25% do valor. Numa viagem entre Itajaí e Balneário, que gira em torno de R$ 20 sem dinâmica, menos de R$ 10 fica com o motorista. Os motoristas ainda ouvem queixas dos passageiros pelas viagens mais caras.


“As empresas aumentaram pra elas [o valor] e não repassaram pra nós”, ressalta Mauro. Segundo a associação de Motoristas de Aplicativos de São Paulo (Amasp), o número de motoristas nas plataformas caiu 28% em 2021, devido o aumento dos custos e redução nos lucros. Para a entidade, o reajuste aos profissionais ainda é insuficiente.

Viagens mais caras, muitas recusas e menos carros nas ruas

Segundo empresas, aumento não será repassado aos passageiros

Por parte dos usuários, a queixa é pelo aumento dos preços das viagens nos aplicativos. Patrick Veneza, de 24 anos, que costuma usar as plataformas, relata que o serviço ficou mais caro, seguindo alta geral de preços em outras áreas. Ele faz corridas com frequência de Itajaí pra Balneário Camboriú e Navegantes.


“Teve um aumento de R$ 2 a R$ 5 nas corridas”, informa. Outra reclamação dele é que está havendo mais recusa de viagens pelos motoristas. A moradora de Camboriú, Marli Dobeck, disse que muitas vezes usa os aplicativos, mas nos horários que ela precisa pra  voltar pra casa, por volta das 17h30, os motoristas que atendem perto do Balneário Shopping evitam pegar corridas pra Camboriú por causa do trânsito.

“E acaba ficando caro demais, já que o preço chega a quase R$ 30 nesse horário”, comenta. Diante da situação, ela acaba dependendo dos ônibus da Praiana, mas espera por melhorias no transporte público porque são poucos ônibus. “Colocar mais um carro seria uma baita solução, porque todos os dias é a mesma coisa, lotação total”, diz.

Mesmo viagens curtas e fora de pico ficaram mais caras. Algumas corridas de Itajaí pra Balneário chegaram a custar até R$ 80 perto do meio dia e no fim da tarde. Do bairro Fazenda para a BR-101, no trecho da rodovia Jorge Lacerda, uma viagem chegou a custar R$ 48 no horário do meio dia na semana passada.

A falta de carros à noite, maior indisponibilidade de carros durante o dia e a recusa de determinados destinos também estão entre as reclamações dos passageiros.

Dinâmica de preços

A 99 informou que o valor das tarifas é definido a partir de uma equação entre demanda e oferta, mas que trabalha pra oferecer preços mais acessíveis. Já os repasses aos motoristas são feitos por duas variáveis: distância percorrida e tempo de deslocamento.


Segundo a empresa, desde a flexibilização das regras de isolamento social há aumento de chamadas de corridas, estimulado pelo uso do aplicativo por pessoas da classe C e pelo retorno de usuários das classes  A/B que deixaram de trabalhar em home office.

A Uber também relacionou a situação da pandemia à dinâmica da oferta e demanda que interfere nos preços, tempo de espera e disponibilidade de carros. “Com a pandemia, pessoas que antes não usavam a Uber no dia a dia agora estão optando pelo app”, informa.

“Nesse contexto, os usuários estão tendo de esperar mais tempo por um carro, e o motivo é que, especialmente nos horários de pico, há mais chamados do que parceiros dispostos a realizar viagens”, explica. Medidas como preço dinâmico e promoções são adotadas pela plataforma pra manter o serviço atrativo pra usuários e motoristas.

 




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×






3.235.188.113

Últimas notícias

Série A

Bragantino vira pra cima do Palmeiras e assume a vice-liderança

Orgulho

Restaurante de Penha é eleito terceiro melhor do mundo para se visitar em família

Região

Veja quem são os conselheiros eleitos

Pré-Olímpico

Brasil sofre, mas vence a República Tcheca no tie-break

Futebol

Itajaí/Agrifut é campeão da Copa Santa Catarina sub-15

Brasileirão

Santos goleia o Vasco e deixa a zona de rebaixamento

Série B

Chapecoense segura o empate com o Vila Nova

Copa SC

Barra vence o Marcílio Dias de virada no Gigantão

BALNEÁRIO

Bombeiros salvam homem na torre do Portal Turístico

DIA DE VOTAÇÃO

Eleições do Conselho Tutelar movimentaram colégios neste domingo



Colunistas

Empreender

A excelência de Santa Catarina

Coluna Esplanada

“Bode” marinho?

JotaCê

Vereador Otto embarca na finaleira do governo Volnei

Via Streaming

Noite adentro

Na Rede

Confira o que foi destaque nas redes do DIARINHO esta semana

Coluna Exitus na Política

Livro da vida

Histórias que eu conto

As mulheres de nossa infância

Jackie Rosa

Vitória de todas

Coluna Fato&Comentário

O ambientalista global em Itajaí e o grande susto

Diário de Saúde

Canetas para emagrecer

Gente & Notícia

Inauguração

Ideal Mente

O que fazer por uma pessoa que está com depressão profunda?

Coluna do Janio

Partida decisiva

Direito na mão

Planejamento da aposentadoria: para que?

Coluna do Ton

Novidades na construção civil de Itapema

Mundo Corporativo

Fazer as escolhas que a vida nos propõe

Artigos

APA de Itajaí: sustentabilidades social, ambiental e econômica devem andar juntas

Coluna Existir e Resistir

Conegi retoma atividades

Foto do Dia

Névoa



TV DIARINHO


Confira as principais notícias desta sexta-feira: - Polícia investiga morte de pintor que fazia roleta ...





Especiais

AGÊNCIA PÚBLICA

Tribunais de justiça no Brasil gastaram R$ 2,6 milhões com constelação familiar

NA ESTRADA COM O DIARINHO

Rolezinho em Curitiba em 5 lugares imperdíveis

ESCOLAS

Lista completa de escolas particulares da região

apoio da família

Pedagoga dá dicas para ajudar uma criança a estudar

saúde mental é coisa séria

Causas de dificuldade de aprendizagem em crianças devem ser investigadas



Blogs

Blog do JC

Sou legal, Tô Ligado!

A bordo do esporte

Vela, surfe e Instituto debatem esporte sustentável no COB Expo

Gente & Notícia

Grupo Terapeutas da Alegria organiza atividade no Asilo Dom Bosco

Blog da Jackie

Liberty fez 29

Blog do Ton

FG Empreendimentos realiza ação na Fundação Lar da Terceira Idade

Blog da Ale Francoise

Você fez aterramento hoje?

Blog Doutor Multas

O blockchain na Compensação Ambiental

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Valdir Cechinel Filho

"A pandemia deu uma lição para todos nós: a gente consegue se reinventar. O ser humano consegue virar o jogo”

Arildo Simão

"Eu acho que aprendi mais do que ensinei”

Juliano Custódio

"Banqueiro não ostenta, gestor de investimentos não ostenta”

Reginalva Santana Mureb

"Já vamos atender em dezembro 11% da população de Penha com esgoto”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação