Colunas


Coluna Exitus na Política

Por Sérgio Saturnino Januário - pesquisa@exituscp.com.br

A liberdade do tempo


O tempo sempre bate à porta do ser social e lhe cobra o bilhete das transições entre estações. O corpo se desenvolve ao passar dos anos em suas várias fases, mas a percepção sobre o mundo, nem tanto.

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





Liberdade infantil carrega o sentido de ausência de restrições ou imposições. Liberdade é o mesmo que vontade sem limites. A liberdade que encarna a vontade egoísta é infantil, do nascimento. Cada um nasce livre. Quando criança, as vontades imperam sob o corpo e sobre os “outros”. Afinal, não há “outros” ou bem público para aqueles que percebem somente sua própria vontade. Traduz-se o egocentrismo infantil, a liberdade que escraviza.

As crianças, até por volta dos seis anos, lançam-se ao mundo do “meu”, “eu quero”. A empatia, ou se colocar no lugar do outro, é coisa para se conquistar com os processos de se relacionar com outros. Há instituições eficientes para isso: na escola, nas casas de amigos e parentes, em territórios desconhecidos ou pouco experimentados. Ficar e estar com pessoas e ambientes que não lhe concedam propriedade ou domínio é estímulo para expor os limites do “eu” e do “meu”. “Batidas na porta da frente, é o tempo!”

Adultos pouco experimentados para a epopeia da vida em grupo terão desatinos. Por não perceber os seus próprios limites e a decorrência do outro e das regras que desenham e dão conteúdo aos relacionamentos, sofrerão pela falta de transformação da vida pessoal e pela limitada transição à vida pública e coletiva. Como marca pessoal, ainda tentarão impor seus desejos aos outros. Para tanto, recorrem à manipulação sobre as coisas e as pessoas, e criarão “mundo-fantasia” para encaixar seus desejos e culpar os outros por suas frustações e erros. “Eterna” criança que não soube e, talvez, não possa amadurecer.

São os pais os educadores para a liberdade social e para as interações. Desde a formação do ser individual, é na família que se impõem as regras sociais e os comandos. Múltiplos “nãos” e cerceamentos são ditos e exigidos. É na reação do infante que se desdobrarão as imposições. O modo impositivo será constante, revezados aos carinhos e cuidados, atos e fatos que darão a conformação do “ser social”.

A interação social implica na criação de um campo invisível e permanente chamado “nós”. Viver, a partir de então, será a convivência com os outros. Caso algum adulto ainda queira manter seu comportamento de liberdade conquistado pelo nascimento é provável que tentará criar artimanhas para sua posição social. Para adultos com egocentrismo infantil, muito da vida será conquista, dominação, poder para si-somente.

A Liberdade social e política é, por si só, a limitação do ser individual e sua transformação em ser social num mundo coletivo. Admitir os outros e outros desejos, assumir que o querer é ato comum entre todos, é admitir que regras nascem e se avolumam fora de mim. Como quando meus pais me infringiam regras. Só assim conseguirei viver em paz social com os outros.

Aos que não se transformam para o mundo e não amadurecem para a vida social restará o xingamento e o julgamento pela simples condição de que seus desejos não foram realizados. Como não conseguem resolver os problemas que se instalaram em suas formas de ser, e ainda se comportam com traços do egocentrismo infantil, resta-lhes xingar e hostilizar tudo o que não se enquadra no seu jogo cuja vitória tem que ser sua. “Batidas na porta da frente, é o tempo” a cobrar o passar do tempo!


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Exitus na Política

Chiclete mascado embaixo do banco

Coluna Exitus na Política

Queimação no estômago

Coluna Exitus na Política

O dono da política

Coluna Exitus na Política

A estupidez e o juiz do mundo

Coluna Exitus na Política

Alucinação política

Coluna Exitus na Política

A política, o pênalti

Coluna Exitus na Política

Legitimidade em transe

Coluna Exitus na Política

Futebol sem bola e sem goleiro

Coluna Exitus na Política

Lágrimas retidas

Coluna Exitus na Política

O divã para voar

Coluna Exitus na Política

A escravidão do pensamento

Coluna Exitus na Política

Imutável res-sentimento

Coluna Exitus na Política

Heróis, tolos e votos

Coluna Exitus na Política

Chagas do voto

Coluna Exitus na Política

A política de “Ícaro”

Coluna Exitus na Política

A cara no espelho

Coluna Exitus na Política

A órbita eleitoral

Coluna Exitus na Política

O gênero da política

Coluna Exitus na Política

O medo e a vulgaridade

Coluna Exitus na Política

Um lugar desconhecido



Blogs

A bordo do esporte

Barcos e lanchas compartilhadas seguem tendência de mercado

Blog do JC

Racha

Blog da Ale Francoise

Benefícios do chá de funcho

Blog Doutor Multas

Fumar e dirigir dá multa?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Volnei Morastoni

“Não sei quem inventou que eu tava com câncer. Eu tive um problema de estafa física e mental”

David Fernandes “LaBarrica”

"Meu sonho é ser prefeito de Balneário Camboriú”

Evandro Neiva

"Vila da Regata de Itajaí vai atrair mais de meio milhão de visitantes

Luíza Moreira

"Meu avô tinha uma marca de ferro na coxa. Hoje em dia eu me revolto ainda por causa da escravidão, porque ainda tem muito preconceito”

TV DIARINHO

ROUBO DE  CARGA DE FRANGO: A Polícia Civil prendeu um bando na quarta-feira acusado de roubo de carga ...




Especiais

ESTUPIDAMENTE GELADA

Atacadões apostam em diversidade de marcas e descontos pra venda de cerveja

MESMA VIBE

Cinco atrações de Alicante que têm tudo a ver com Itajaí

Cinturão verde ameaçado

Inundações colocam em risco produção de hortaliças em Itajaí

Alta temporada

Preços disparam nos supermercados e provocam a indignação de consumidores

Pesquisa de preços 

Sorvetes apresentam diferença de até 50,62% nos principais supermercados



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação