Colunas


Histórias que eu conto

Por Homero Malburg -

Homero Bruno Malburg é arquiteto e urbanista

Anos cinquenta


Rodoviária de Itajaí ficava na Praça do Mercado (foto: ACERVO HISTORICO)

Ano de 1956. O ginásio Itajaí foi adquirido pelos padres salesianos e nós iniciávamos aí nossa formação como cidadãos: foi um ano pré-ginasial e quatro de ginásio, até 1960. Não cursamos a quarta série do primário; foi nos dado um curso de Admissão ao Ginásio, severíssimo, disputado pelo pessoal de outras escolas da cidade. Um calhamaço que continha as quatro matérias básicas: Português, Matemática, História e Geografia.

Exatamente neste ano, Paulo Bauer inaugurou a Rodoviária de Itajaí. Ficava na Praça do Mercado, no prédio que hoje abriga o Centro de Abastecimento. Na praça, um conjunto de três prédios: o Mercado Municipal, a Banca de peixe bem junto ao rio, onde hoje é o prédio da Comard, e anova e imponente Estação Rodoviária. Esta, em forma de “H”, tinha a ala voltada para a rua utilizada pelas agências de ônibus. Na parte central, o Restaurante, administrado pelo seu Osvaldo Campos. Caprichoso, ele mantinha dois belos jardins na partes laterais com árvores, flores, laguinho, marrequinhas e araras. A ala voltada para o rio, não me lembro de outro uso senão da Academia do Deda, por muitos anos. Este, figura conhecida na praça, mantinha ali um academia de ginástica, sauna, ensino de boxe e de outras lutas da época. Até a mudança dos ônibus para o prédio da Vila Operária em 1975, hoje desativado, esta situação se manteve. Nesta época quando só se entrava e saia de Itajaí pela rua Sete de Setembro, rua Brusque e rua Blumenau, a situação da Rodoviária era muito boa. Os ônibus da Catarinense, Brusquense, Rápido Cometa e do seu Lima faziam o transporte intermunicipal. No outro lado da rua começavam a surgir os hotéis de segunda categoria e os botecos, sempre presente neste tipo de região urbana, para atendimento aos viajantes e aos eventuais amantes de um bom trago. Havia os beberrões costumazes, conhecidos na cidade como os “elefantes do mercado”.

O prédio do Mercado Municipal, inaugurado por Marcos Konder, em 1917, foi após um incêndio, remodelado por Arno Bauer em 1936. Lá se compravam gaiolas, passarinhos, cordas, material para pesca, balaios e cestos de palhas, louças de barro, material para fabricarmos as pandorgas e outras miudezas comercializadas pela lojinhas em torno do pátio central. Neste, um chafariz de autoria do Sr. Luiz Collares. Além disso, lá se localizava algo bem típico: “O Rei do peixe frito”, de frequência nem sempre recomendada mas que acabou sendo um ponto folclórico da nossa “cultura-do-peixe”. No meio de tantas mudanças quase sempre catastróficas em nome de “progresso e modernidade”, este Mercado, a cidade, felizmente, teve o bom senso de preservar e reativá-lo.


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Histórias que eu conto

Colégio Catarinense I

Histórias que eu conto

Aviação II

Histórias que eu conto

Aviação I

Histórias que eu conto

Anos cinquenta II

Histórias que eu conto

Histórias da Hercílio Luz

Histórias que eu conto

Tempos de Ginásio III

Histórias que eu conto

Tempos de ginásio II

Histórias que eu conto

Carnaval? O quê?

Histórias que eu conto

Tempos de ginásio

Histórias que eu conto

Escolas: velhas e novas

Histórias que eu conto

A funda

Histórias que eu conto

Anos cinquenta

Histórias que eu conto

Nos anos cinquenta...

Histórias que eu conto

Alguém ainda se lembra?

Histórias que eu conto

Trânsito sensato

Histórias que eu conto

Caçando e pescando

Histórias que eu conto

Anos de música

Histórias que eu conto

É pra facilitar ou pra complicar?

Histórias que eu conto

Coisas da moda...

Histórias que eu conto

Camboriú, de novo



Blogs

Blog do JC

Palavra é tudo!

Blog da Ale Francoise

Lanchinho do bem!

A bordo do esporte

Lola Cars na Fórmula E

Blog da Jackie

Os Fort’s e os Koch’s

Blog do Ton

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Carlos Chiodini

"Independentemente de governo, de ideologia política, nós temos que colocar o porto para funcionar”

Osmar Teixeira

"A gestão está paralisada. O cenário de Itajaí é grave. Desde a paralisação do Porto até a folha sulfite que falta na unidade de ensino”

Omar Tomalih

“Balneário Camboriú hoje é o município que está com o maior controle, com o menor número de notificações de casos de dengue”

Robison Coelho

"Nós não estaremos com o MDB aqui em Itajaí”

TV DIARINHO




Especiais

NA ESTRADA COM O DIARINHO

6 lugares imperdíveis para comprinhas, comida boa e diversão em Miami

Elcio Kuhnen

"Camboriú vive uma nova realidade"

140 anos

Cinco curiosidades sobre Camboriú

CAMBORIÚ

R$ 300 milhões vão garantir a criação de sistema de esgoto inédito 

Legado de amor

Dona Maricotinha, aos 95 anos, tem a vida pautada pela família, religião e dedicação ao próximo



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação