Colunas


Histórias que eu conto

Por Homero Malburg -

Homero Bruno Malburg é arquiteto e urbanista

Alguém ainda se lembra?


Tom e Jerry alegravam as manhãs de domingo (foto: ilustrativa)

Do tempo em que se assustavam as crianças com um: “Olha o João-Cuca”! De quando nossas mães ficavam grávidas, usavam uma bata para disfarçar e a gente só sabia do irmãozinho quando a cegonha o trazia? Dos tempos antes do Modess, que as mulheres usavam umas toalhinhas que nós sempre víamos no varal e ninguém nos explicava do que se tratava?

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





De quando, nos bailes, se “tiravam” as moças para dançar, enfrentando-se os pais sentados na mesa e o medo de nossos pedido ser negado? E que elas podiam pedir para sentar logo que terminasse aquela música? Que também podiam não topar a nossa conversa respondendo as perguntas com monossílabos? Que elas, lindas, usavam vestido de saia rodada com várias anáguas por baixo? Que usavam muito e muito laquê e que muitas vezes ficávamos bêbados só com o cheiro dele?...

De quando os “comerciais” eram chamados de “reclames”? E jogava-se fora o resfriado com lenços de papel Yes? Que chique era ter uma caneta-tinteiro Parker 51? E que não era gente quem não calçasse um mocassim da Samello? E que bonitos eram os guarda-chuvas com cabo de madeira? Lindos eram os “bebês-Johnson” e o brasileiro só soube quanto media uma polegada quando pensou naquelas que Martha Rocha tinha a mais nos quadris.

Daquele tempo que o padre Otávio chamava a gente de “capiau” e nós, muitos tansos, não sabíamos o que isso significava? De quando lápis era “lápis-de-pau”? De quando começaram a aparecer os cadernos espirais? E dos pirulitos da dona Angelina do Colégio São José ?

Dá pra lembrar do “ronquinho” do motor dos DKW? Claro que da porta que abria para a frente, logo apelidada de “mostra-calcinha” ninguém se esquece. Que tal o jipe Candango? E daqueles automóveis Citröen, pretos e largos, com alavanca de mudanças no painel, os quais dizia-se que ninguém conseguia capotar? Dos carros de teto alto porque a maioria dos homens usava chapéu? Do caminhão Fenemê? Do amolador de facas e tesouras?

Da vacina tomada no braço que podia “pegar” ou não? Quando pegava, o local ficava com um “cascão” enorme... Do dentista mais antigo que tinha a broca movida a pedal? De nós que ouvíamos: “vai lavar o pé antes de ir para a cama e pede a benção pro teu pai!”. Do “band-aid” de cor branca?.

De não ter babado de inveja por aquelas primeiras radiolinhas portáteis que surgiram? De terem existido discos de 45 rotações? E quem não ouviu o LP do José de Vasconcellos com a história do homem que comprou um Cadilac rabo-de-peixe que não tinha macaco?

Alguém ainda se lembra das manhãs de domingo com um Festival Tom e Jerry no cinema, comprando do “baleiro” um drops tutti-frutti que tinha um furinho no meio?


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Histórias que eu conto

Armação da infância I

Histórias que eu conto

Colégio Catarinense I

Histórias que eu conto

Anos cinquenta

Histórias que eu conto

Aviação II

Histórias que eu conto

Aviação I

Histórias que eu conto

Anos cinquenta II

Histórias que eu conto

Histórias da Hercílio Luz

Histórias que eu conto

Tempos de Ginásio III

Histórias que eu conto

Tempos de ginásio II

Histórias que eu conto

Carnaval? O quê?

Histórias que eu conto

Tempos de ginásio

Histórias que eu conto

Escolas: velhas e novas

Histórias que eu conto

A funda

Histórias que eu conto

Anos cinquenta

Histórias que eu conto

Nos anos cinquenta...

Histórias que eu conto

Trânsito sensato

Histórias que eu conto

Caçando e pescando

Histórias que eu conto

Anos de música

Histórias que eu conto

É pra facilitar ou pra complicar?

Histórias que eu conto

Coisas da moda...



Blogs

Blog do JC

A mesmice

Blog da Jackie

Catarinense na capa da Vogue

A bordo do esporte

Fórmula E: Alemão vence na Itália e assume a ponta do Mundial dos Carros Elétricos

Blog da Ale Francoise

Lanchinho do bem!

Blog do Ton

Amitti Móveis inaugura loja em Balneário Camboriú

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Ana Paula Lima

"O presidente Lula vem quando atracar o primeiro navio no porto”

Carlos Chiodini

"Independentemente de governo, de ideologia política, nós temos que colocar o porto para funcionar”

Osmar Teixeira

"A gestão está paralisada. O cenário de Itajaí é grave. Desde a paralisação do Porto até a folha sulfite que falta na unidade de ensino”

Omar Tomalih

“Balneário Camboriú hoje é o município que está com o maior controle, com o menor número de notificações de casos de dengue”

TV DIARINHO




Especiais

Missão no exterior

Comitiva bolsonarista articula com os EUA punições ao Brasil

NA ESTRADA COM O DIARINHO

6 lugares imperdíveis para comprinhas, comida boa e diversão em Miami

Elcio Kuhnen

"Camboriú vive uma nova realidade"

140 anos

Cinco curiosidades sobre Camboriú

CAMBORIÚ

R$ 300 milhões vão garantir a criação de sistema de esgoto inédito 



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação