Colunas


Histórias que eu conto

Por Homero Malburg -

Homero Bruno Malburg é arquiteto e urbanista

Caçando e pescando


Nos anos de minha infância e adolescência, era muito comum ganharmos livros de presente. No Natal, aniversário, o livro de aventura nunca desagradava. Comprado na livraria Rangel, na Pedro Ferreira, a maioria da coleção Terramarear, incluía Tarzan, Robert Louis Stevenson, Karl May, Mark Twain, Fenimore Cooper e outros nomes do gênero na literatura universal. Nomes nacionais, fora Monteiro Lobato, para nossa idade, eram poucos. Foi então que na primeira comunhão ganhei do tio José Malburg, “Três garotos em férias no rio Tietê”. 
Escrito pelo campineiro Francisco de Barros Junior, descrevia uma viagem de bote a motor pelo rio Tietê (limpo na época), do tio Chico – o autor – mais três sobrinhos. Além de contar caçadas e pescarias, tio Chico preparava pratos deliciosos e, em volta da fogueira, de noite, conversava sobre História do Brasil, Geografia, Biologia e comentava conceitos de moral e ética.
Seguiram-se mais três livros sobre três escoteiros em férias.No rio Paraná, no rio Paraguai e no rio Aquidauana, todos absolutamente maravilhosos.
Um dia, emprestei do Humberto Narciso um volume de uma série de seis, do mesmo autor, intitulado “Caçando e pescando por todo o Brasil”, que descrevia histórias reais vividas pelo autor, desde a sua meninice nos fins doséculo XIX na fazenda do avô, até suas viagens por todo o Brasil quando adulto, período que findou após a Segunda Guerra. Em 1969, achei e comprei em Curitiba estes livros, agora em três volumes que ainda releio, com bela capa de couro com que os mandei encadernar. 
Não exagero ao afirmar que muito do meu conhecimento sobre animais, plantas, usos e costumes, geografia sobre a História que não foi escrita, sobre as atividades socioeconômicas destes sertões Brasil a fora, vem da leitura desses livros. Quando adolescente, fixava-me nas narrativas dos belos tiros, das armas de cartucho e da bala, nas pescarias de dourados, tambaquis e jaús. A medida que fui amadurecendo, passei a prestar atenção às narrativas paralelas: a faina do seringueiro, a navegação dos rios, as fronteiras do país, o comportamento dos caboclos, dos índios, dos negociantes ribeirinhos. O desbravamento do oeste paulista e o nascimento de novas cidades com desenvolvimento econômico. Os “causos”, a política, as doenças, os episódios da guerra do Paraguai, do Chaco e da conquista do Acre.
Pouco tempo atrás em Curitiba, fui a um “sebo” na rua Emiliano Perneta, um dos meus locais preferidos. Lá, perguntei ao proprietário sobre tais livros. Ele, consternado, afirmou que não existiam mais. A políticapreservacionista considerou-os “politicamente incorretos”. O tio Chico matava bicho demais. Desta maneira, nem novas edições foram possíveis. Este país é mesmo sério?
Fico a pensar se o Arthur e o Alaércio não têm mesmo razão. Sábado, no final da festa do Guarani, tomando as muitas “saideiras”, aventaram a teoria que as primeiras preocupações com o meio ambiente tiveram como ponto de partida a Adelaide Chiozzo, que abraçada ao seu acordeão, cantava: “Sabiá lá na gaiola, fez um buraquinho: voou, voou, voou, voou. E a menina que gostava tanto do bichinho: chorou, chorou, chorou, chorou....

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Histórias que eu conto

Histórias da Hercílio Luz

Histórias que eu conto

Tempos de Ginásio III

Histórias que eu conto

Tempos de ginásio II

Histórias que eu conto

Carnaval? O quê?

Histórias que eu conto

Tempos de ginásio

Histórias que eu conto

Escolas: velhas e novas

Histórias que eu conto

A funda

Histórias que eu conto

Anos cinquenta

Histórias que eu conto

Nos anos cinquenta...

Histórias que eu conto

Alguém ainda se lembra?

Histórias que eu conto

Trânsito sensato

Histórias que eu conto

Anos de música

Histórias que eu conto

É pra facilitar ou pra complicar?

Histórias que eu conto

Coisas da moda...

Histórias que eu conto

Camboriú, de novo

Histórias que eu conto

Camboriú, ainda

Histórias que eu conto

Praia de Camboriú

Histórias que eu conto

Cabeçudas

Histórias que eu conto

Tempos de rádio

Histórias que eu conto

Os natais da infância



Blogs

A bordo do esporte

Thiago Pereira e Swim Floripa levam Troféu José Finkel para Floripa

Blog da Jackie

Verão, calor, quentura e mormaço

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog do JC

Mulheres MDBistas

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”

TV DIARINHO

O crime de injúria racial aconteceu em sessão do filme de Bob Marley no cinema do shopping na noite ...




Especiais

Caso Ilha de Marajó

Vereadora de Navegantes está entre os políticos que impulsionaram fake news sobre exploração sexual infantil

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

VIAGEM NO TEMPO

Museu do Carro traz nostalgia e diversão sobre o universo automotivo

NOVOS TEMPOS

SC é pioneira na promoção da mobilidade elétrica

PLANEJAMENTO URBANO

Camboriú vai investir mais de R$ 60 milhões em mobilidade



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação