Colunas


Vinicius Lummertz

Por Vinicius Lummertz - vinicius.lummertz117@gmail.com

Turismo, para um Feliz Ano Novo


Nesta coluna que marca a virada de 2022 para 2023 gostaria de manifestar algo além de uma mensagem de “Feliz Ano Novo” para você. Meu desejo é mostrar que há sim um caminho para fazer um feliz ano novo – e esse caminho é o Turismo brasileiro. Para traduzir esse desejo, vou aproveitar de uma entrevista que concedi recentemente à jornalista Elisa Veeck, da CNN Brasil, cuja pauta foi inspirada numa pesquisa da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo, a Braztoa, revelando que a indústria turística brasileira crescerá mais de 50% em 2023. A jornalista comenta que, apesar dessa expectativa, a falta de uma política de planejamento impacta muito negativamente o Turismo nacional. E ela me pergunta: “Por quê?”

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





Comecei minha resposta dizendo à Elisa que o turismo interno é importante, mas temos que nos pautar e nos integrar nas cadeias produção internacional, como aconteceu no agrobusiness. Nós entregamos o Plano 2012/16 em Brasília – quando na Secretaria Nacional de Políticas de Turismo – que continha tudo isso, e nós implantamos nos últimos quatros a parte que cabe a São Paulo no Plano 20/30 da Secretaria de Turismo e Viagens. Baixamos impostos, melhoramos a cadeia produtiva, fizemos as maiores promoções da história do Turismo paulista, e mesmo com a pandemia, vamos gerar 85 mil empregos em 2022. Este é o resultado de o Governo João Doria/Rodrigo Garcia ter colocado o Turismo no centro da pauta econômica e social de São Paulo.

Por isso, reafirmo: a primeira e maior importância que tem se dar à Economia do Turismo é política. Nós tivemos no Brasil um déficit na conta do Turismo de US$ 150 bilhões (algo como R$ 800 bilhões) de 2005 para cá, que é a diferença entre o que os brasileiros gastam no exterior e o que os estrangeiros gastam aqui. Nós poderíamos estar fazendo superávits. A questão é que todos nós não ouvimos a palavra “turismo” nas eleições para governadores, para presidente, para prefeito – e é bom lembrar que este foi o maior gerador de empregos no Estado de São Paulo neste ano. E será no Brasil e será no mundo: perto de 30% dos postos de trabalho do planeta nos próximos anos virão do Turismo.

Então, é algo difícil de compreender, a não ser que você entenda que o Brasil joga apenas um jogo de curto prazo e não acredite que, para que se tenha um grande movimento de Turismo, é preciso tirar o Estado da frente. Quem mais dificulta o desenvolvimento do Turismo no Brasil é o Estado brasileiro. Nós somos um dos cinco piores lugares do mundo para se investir em negócios turísticos, ainda que sejamos o primeiro em potencial natural e um dos dez maiores potenciais culturais. Então, é um auto sabotagem que estamos fazendo há muitos anos.

Não quer dizer que nada tenha sido feito. No Governo Temer nós abrimos o capital das aéreas, tiramos impostos de importação dos parques temáticos, em São Paulo criamos os Distritos Turísticos, criamos grandes linhas de crédito, nós desenvolvemos projetos estruturantes, divulgamos o Estado no Brasil e no exterior, entre centenas de ações, obras e medidas. Deu resultado. Mas é preciso fazer o mesmo em todo o Brasil.

Após eu ter feito esse raciocínio, a jornalista da CNN me perguntou sobre o atual cenário da balança do Turismo – viagens internacionais versus viagens nacionais. Respondi que, no momento atual, se viaja menos para o exterior e se viaja mais para o interior do Brasil. Então, este Verão tem tudo para ser histórico, com tudo lotado. Mas a questão estrutural vai mais além do momento.

É preciso uma política integrada, não tratar apenas questões pontuais e de curto prazo. Como por exemplo: baixar o custo dos combustíveis da aviação (como fizemos em SP), retirar cargas tributárias como o Fundo de Reaparelhamento da Marinha Mercante que pesa sobre o combustível, criar um sistema de incentivos que fomente a construção de mais aeroportos – em São Paulo nós privatizamos 22 deles e não cobramos ICMS na reforma desses terminais -, fomentar a produção de aviões de pequeno e de médio porte, permitir a cabotagem aérea, enfim, há muitas “antiguidades” na cadeia produtiva turística, que no final caem sobre as costas do consumidor.

No que se refere à atração de turistas estrangeiros – na qual o Brasil patina num número em torno de 6 milhões por ano, enquanto só o Museu do Louvre, em Paris, faz uma média de 8 milhões – o Governo Federal investiu apenas R$ 1,3 milhão em 2022 na promoção do nosso país no exterior, enquanto a Colômbia investe R$ 150 milhões. Esses números mostram o que venho reafirmando: é tudo uma questão política. É preciso que o Governo queira fazer.

E é neste ponto que encerro este artigo que tem por base a entrevista que concedi à CNN Brasil, exatamente com o mesmo intuito que me motivou no início deste texto: mostrar que há sim um caminho para fazer um feliz ano novo – e esse caminho é o Turismo brasileiro. Na próxima semana, já em 2023, vamos nos aprofundar nos pontos nevrálgicos desse caminho, que tem tudo para ser a grande virada do Brasil na economia e na geração de empregos.

 

Com o Turismo, um Feliz Ano Novo!


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Vinicius Lummertz

SC do futuro: o caso das BRs é político

Vinicius Lummertz

SC do futuro: nas BRs, 2023 pode ser pior do que 2022

Vinicius Lummertz

Coluna 100 - SC do futuro: fim ao caos das rodovias federais

Vinicius Lummertz

SC do futuro: basta às tragédias climáticas

Vinicius Lummertz

SC do futuro: água, saneamento e energia

Vinicius Lummertz

SC do futuro: oferta de serviços e inclusão social

Vinicius Lummertz

SC do futuro: 2º turno deve privilegiar propostas

Vinicius Lummertz

SC do futuro: o voto responsável no domingo

Vinicius Lummertz

SC: propostas para o debate sobre o futuro

Vinicius Lummertz

Santa Catarina: as melhores cidades, PIB nas alturas. Por quê?

Vinicius Lummertz

Economia do visitante: o fato busca definição

Vinicius Lummertz

O Turismo pode ser o nosso novo Agro   

Vinicius Lummertz

Eletivas de Turismo, por que não SC?

Vinicius Lummertz

Bolshoi SC 22 anos: o palco da esperança

Vinicius Lummertz

Parques naturais para o Turismo Catarinense

Vinicius Lummertz

Novo plano para SC: o desafio das cidades

Vinicius Lummertz

Políticas públicas duradouras para SC

Vinicius Lummertz

A Educação do futuro em SC

Vinicius Lummertz

SC, pequenas ou grandes ideias

Vinicius Lummertz

SC, pequenas ou grandes ideias



Blogs

A bordo do esporte

Barcos e lanchas compartilhadas seguem tendência de mercado

Blog do JC

Racha

Blog da Ale Francoise

Benefícios do chá de funcho

Blog Doutor Multas

Fumar e dirigir dá multa?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Volnei Morastoni

“Não sei quem inventou que eu tava com câncer. Eu tive um problema de estafa física e mental”

David Fernandes “LaBarrica”

"Meu sonho é ser prefeito de Balneário Camboriú”

Evandro Neiva

"Vila da Regata de Itajaí vai atrair mais de meio milhão de visitantes

Luíza Moreira

"Meu avô tinha uma marca de ferro na coxa. Hoje em dia eu me revolto ainda por causa da escravidão, porque ainda tem muito preconceito”

TV DIARINHO

ROUBO DE  CARGA DE FRANGO: A Polícia Civil prendeu um bando na quarta-feira acusado de roubo de carga ...




Especiais

ESTUPIDAMENTE GELADA

Atacadões apostam em diversidade de marcas e descontos pra venda de cerveja

MESMA VIBE

Cinco atrações de Alicante que têm tudo a ver com Itajaí

Cinturão verde ameaçado

Inundações colocam em risco produção de hortaliças em Itajaí

Alta temporada

Preços disparam nos supermercados e provocam a indignação de consumidores

Pesquisa de preços 

Sorvetes apresentam diferença de até 50,62% nos principais supermercados



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação