Colunas


Coluna esquinas

Por Coluna esquinas -

Quinquilharias


Lembro que na casa onde nasci, havia uma grande parreira que tornava o pátio um lugar mágico com folhas verdes e galhos retorcidos ao alcance da mão. Coisa rara quando se é criança. No fundo desse pátio tínhamos um mundo de mistérios no quarto de bagunça (como dizia minha mãe). Afinal, acredito que toda casa tem o seu, um cantinho da bagunça, cheio de quinquilharias que não servem mais.

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





Esse quarto era fechado com uma chave preta muito grande e maior do que minha mão de criança. Na escuridão sentíamos o cheiro de mofo e desviávamos da teia de aranha para achar brinquedos perdidos, bicicletas aos pedaços, um abajur fora de moda, restos de tinta, revistas, livros didáticos velhos, relógios parados e um violão com uma corda só. Delicioso recanto para deixar que a fantasia tomasse conta de nossas mentes infantis. Ahh! Para entrarmos lá, tínhamos que roubar a chave e fechar por dentro para a mãe não interromper nossa viagem no escuro com luzes que entravam pelas frestas da parede.

O fato é que esse quarto de minha infância servia para ‘guardar’ coisas que perdiam o valor para os adultos e adquiriam um enorme valor para o mundo infantil. Hoje, o eu-adulto criou um quarto – não na casa, mas na vida – e resolveu colocar lá quinquilharias que não me servem mais depois de viver mais de cinco décadas.

Espero apenas que essas ‘sobras’ não sirvam para as futuras gerações brincarem de ser adultos. Quero que seja um quarto fechado e sem chaves. O que decidi guardar lá?

Coloco toda semana nesse quarto de quinquilharias coisas que não me servem mais. Para lá já foi a minha paciência com a mediocridade dos egocêntricos e sua cobiça; foi também o meu ânimo diante de projetos malucos que cabem num papel, mas não causam mudança na vida real; coloquei num canto bem escuro do quartinho, aquelas reuniões infinitas onde discutimos pautas sem fim ou normas que regem a vida alheia; e esqueci numa prateleira empoeirada aqueles discursos inflamados defendendo a igualdade enquanto seu algoz locutor faz conchavos e negocia porcentagens de verbas públicas; pendurei entre as teias de aranha um móbile feito com melodramas baratos daqueles que só pensam em seu umbigo sem considerar os problemas alheios. Fechei a porta e joguei a chave fora.

Mário de Andrade um dia denunciou que “as pessoas não debatem conteúdos, apenas rótulos”. Quero meu quarto cheio de rótulos e o céu cheio de conteúdos. Que assim seja!

Fica a dica:

O filme NÃO OLHE PARA CIMA (Direção Adam Mckay. Ano 2021) é uma película necessária quando assistimos as bizarrices cotidianas na política de nosso país em uma tela que (simplesmente) usa de uma narrativa ficcional para que vejamos o ódio ao conhecimento e a ignorância vendidos como produto. Filme que deixa a porta do quarto de quinquilharias entreaberta.


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna esquinas

Grasna, pato, grasna

Coluna esquinas

Touch, mentiras e uma hashtag

Coluna esquinas

Os 10 dias em que ouvimos a palavra GRITO

Coluna esquinas

Ferida aberta

Coluna esquinas

Proa da palavra

Coluna esquinas

Breve história de um muro

Coluna esquinas

A mão invisível da realidade

Coluna esquinas

O segredo dos dias

Coluna esquinas

Pantufas para pisar na lua

Coluna esquinas

Exercício de ser criança

Coluna esquinas

O instante antes do escuro

Coluna esquinas

Dentro da noite

Coluna esquinas

Bolhas

Coluna esquinas

Imagino, logo existo

Coluna esquinas

Hoje é quase horizonte

Coluna esquinas

Língua Solta

Coluna esquinas

Curto-circuito

Coluna esquinas

Posso dar um pitaco?

Coluna esquinas

Tirando poeira das ideias

Coluna esquinas

Qual é a sua felicidade?



Blogs

Blog do JC

Quadrangular 71 anos

A bordo do esporte

Volta ao Mundo Globe40 parte para a Argentina

Blog Doutor Multas

Fumar e dirigir dá multa?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Ale Francoise

Os poderes da Spirulina!

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

James Winter

“Só vai haver desemprego e demissão em massa se não tiver carga aqui no Porto de Itajaí”

Décio Lima

"Hoje, de R$ 97 bilhões que são arrecadados pelo governo federal em Santa Catarina, apenas R$ 7 bilhões voltam”

TV DIARINHO

Entrevistão com Alvin Sandri



Podcast

Entrevistão com Alvin Sandri

Publicado 03/12/2022 10:10


Especiais

OLHO NA DOSE

Pesquisa de preço mostra onde bebidas quentes são mais baratas

Na Estrada com o DIARINHO

Maravilhas naturais fazem de Bombinhas o Caribe catarinense

Itajaí

Do imóvel popular ao de altíssimo padrão são as apostas da Lotisa

Alto padrão

Procave agrega valor e exclusividade

Itajaí

Mercado da Brava continua em crescimento



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação