Colunas


Coluna esquinas

Por Coluna esquinas -

Dentro da noite


A infinda tentativa da ciência em determinar quando nossos comportamentos são hereditários ou se fomos adquirindo culturalmente é uma árida ressaca lá do século XIX e, penso eu, já deveria estar superada. Fiquei ruminando o assunto nas semanas que passamos diante de tantos horrores que temos presenciado.

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





E hoje preciso gritar ao ouvir atrocidades ditas por negacionistas após tantas mortes. Claro, não mudei de ideia sobre o tema. Não confio em discursos que naturalizam a violência física ou discursiva.

Atento aos sinais humanos, tenho tido sustos. Em outros tempos, iriamos aceitar um comentário nojento do presidente do país após tantas mortes? Essas mortes são o resultado de necropolítica que nos é visível pelo negacionismo, negligência e sabotagem de um governo que continua achando que tudo gira em torno deles. No ponto de vista – deles - até o vírus foi criado para derrubar esse arremedo de presidente.

Estamos chegando em 270 mil mortos no país e a 380 mortos na cidade de Itajaí. Temos professores  e alunos infectados após volta às aulas na cidade. E o cara vem com essa:

“Chega de frescura e mimimi. Vão chorar até quando?”

Ouço absurdo de que mortes são da natureza humana, fazer o que? A sociedade, diante disso, pode ser inocentada? É tranquilizador fazer análise via redes sociais ou tomar ansiolíticos e não assumirmos culpas. Mas vamos ser bem pragmáticos:

Culpados são os que votaram nesse atropelo. Culpados são os que dizem que votaram no candidato de sapatênis. Culpada é a mídia que criou essa monstruosidade e nós ficamos nos digladiando sem saber como exterminar essa praga.

Foi em uma noite da semana que passou, após um dia exaustivo de trabalho, que professores e funcionários públicos gritaram alto sem usar uma palavra qualquer. Só velas, choro e uma carta em desespero.

Um silêncio se fez nas portas da prefeitura da cidade. Velas silenciaram as vozes. Velas iluminaram as portas do erário público que autorizou a abertura de escolas. Velas deixaram à mostra as lágrimas de colegas professores que choravam a morte dos seus e pediam, em silêncio, que a vida continue a pulsar mesmo diante da força da grana que define políticas às portas fechadas.

E, depois da noite, não se ouviu uma reação sequer daqueles que podem dizer NÃO aos apelos desesperados de donos de escolas que escutam o tilintar de moedas ao invés do coração que teima em pulsar.

Dentro da noite, os políticos não são pardos. Tem cores e já escolheram seu lado. Parece que nós não estamos nele.

Fica a dica:

Os livros de Achille Mbembe (é um filósofo, teórico político, historiador, intelectual e professor universitário camaronês). Diz ele: “A era do humanismo está terminando. A crescente bifurcação entre a democracia e o capital é a nova ameaça para a civilização.”


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna esquinas

Grasna, pato, grasna

Coluna esquinas

Quinquilharias

Coluna esquinas

Touch, mentiras e uma hashtag

Coluna esquinas

Os 10 dias em que ouvimos a palavra GRITO

Coluna esquinas

Ferida aberta

Coluna esquinas

Proa da palavra

Coluna esquinas

Breve história de um muro

Coluna esquinas

A mão invisível da realidade

Coluna esquinas

O segredo dos dias

Coluna esquinas

Pantufas para pisar na lua

Coluna esquinas

Exercício de ser criança

Coluna esquinas

O instante antes do escuro

Coluna esquinas

Bolhas

Coluna esquinas

Imagino, logo existo

Coluna esquinas

Hoje é quase horizonte

Coluna esquinas

Língua Solta

Coluna esquinas

Curto-circuito

Coluna esquinas

Posso dar um pitaco?

Coluna esquinas

Tirando poeira das ideias

Coluna esquinas

Qual é a sua felicidade?



Blogs

Blog do JC

Quadrangular 71 anos

A bordo do esporte

Volta ao Mundo Globe40 parte para a Argentina

Blog Doutor Multas

Fumar e dirigir dá multa?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Ale Francoise

Os poderes da Spirulina!

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

James Winter

“Só vai haver desemprego e demissão em massa se não tiver carga aqui no Porto de Itajaí”

Décio Lima

"Hoje, de R$ 97 bilhões que são arrecadados pelo governo federal em Santa Catarina, apenas R$ 7 bilhões voltam”

TV DIARINHO

Entrevistão com Alvin Sandri



Podcast

Entrevistão com Alvin Sandri

Publicado 03/12/2022 10:10


Especiais

OLHO NA DOSE

Pesquisa de preço mostra onde bebidas quentes são mais baratas

Na Estrada com o DIARINHO

Maravilhas naturais fazem de Bombinhas o Caribe catarinense

Itajaí

Do imóvel popular ao de altíssimo padrão são as apostas da Lotisa

Alto padrão

Procave agrega valor e exclusividade

Itajaí

Mercado da Brava continua em crescimento



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação