Colunas


Coluna Existir e Resistir

Por Coluna Existir e Resistir -

A política da morte


Quando tudo era escravidão no Brasil colonial, o conceito de biopolítica estava assíduo nas demandas governamentais. Comumente utilizado nas práticas capitalistas, esta forma de poder sobre a sociedade analisava o corpo como controle social, tal pensamento levava em consideração que a consciência e ideologia não eram suficientes para o controle das massas, assim modificou-se as relações dos corpos, lucros e produtividades, posteriormente resultantes na impulsão de políticas aliadas a meios nefastos de governar.

Falando no período pós-abolição outro advento social é observado; a invisibilidade dos negros, que inseriu pretos e pardos no patamar de segundo ou terceiro escalão, conforme as relações sociais da época, que foram pautados na lógica liberal, causando o preconceito que hoje vivenciamos. Antes estigmatizados pela escravidão, causando irreais prerrogativas sociais, atrasadas e insalubres. 

As inúmeras teorias racistas ao longo do tempo, cada vez mais, foram se materializando em normas públicas, evidenciadas na inferiorização, impedindo a igualdade no coletivo de nossa nação; esta característica única do Brasil causa um certo olhar de negação da existência dos negros até os dias atuais, conceptor e conector do racismo velado.

Na contemporaneidade temos a vivência do neoliberalismo, sendo o principal gerador de distanciamento entre o governo e os governados, causando formas de animalização e estigmatização da população negra proporcionando perversas situações de morte. Assim, constituindo a política da morte com alicerces no falso poder de matar do estado, estipulando menor valor de um ser humano estratificando a necropolítica em ações que deixam morrer ou proporcionam condições para que esta morte venha a acontecer, geralmente exercido pelo braço armado do estado ou práticas insuficientes de acesso a saúde e educação.

Três alicerces que sustentam a política da morte em sua forma bruta são: o biopoder, o estado de exceção, e o estado de sítio, interligados pela raça e questões de gênero que corroboram com o racismo institucional e estrutural observados nos litígios públicos.

Por fim, o conceito de negacionismo tem que ser lembrado, pois em observações recentes em nossa República ele tem sido de suma importância no contexto político. A negação gerada pelos meios machista e burocrata refutam o enfrentamento das desigualdades existentes na sociedade brasileira, tangendo os direitos igualitários, tanto econômicos, racial e de gênero. Por exemplo, para negar a desigualdade racial e preconceito existente no país, relativizaram o escravismo e culparam os próprios africanos pela escravidão.

Paulo Marcos: coordenador igualdade23 Itajaí


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Existir e Resistir

Entressafra

Coluna Existir e Resistir

Yasuke: O primeiro samurai negro

Coluna Existir e Resistir

Presídio no Brasil: por que essa não é a solução?

Coluna Existir e Resistir

Eterna professora Antonieta de Barros

Coluna Existir e Resistir

Direito invisível

Coluna Existir e Resistir

A importância das palavras

Coluna Existir e Resistir

O fato

Coluna Existir e Resistir

A branca tá usando trança! E agora?

Coluna Existir e Resistir

Militância de internet

Coluna Existir e Resistir

Dia Nacional do Samba: o que seria do Brasil sem este gênero musical?

Coluna Existir e Resistir

Racismo: um tema que não pode sair do nosso radar!

Coluna Existir e Resistir

Existir e Resistir

Coluna Existir e Resistir

O pensamento social brasileiro e a cultura do esquecimento

Coluna Existir e Resistir

Carta ao Rei T’Challa

Coluna Existir e Resistir

Preguiça de falar sobre os males que o racismo causa

Coluna Existir e Resistir

Somos um país racista

Coluna Existir e Resistir

25 de julho – dia Internacional da mulher negra latino-americana e caribenha

Coluna Existir e Resistir

O choro é livre

Coluna Existir e Resistir

Brasil, lugar de todos?

Coluna Existir e Resistir

Igualdade e fraternidade: o diálogo como porta para a empatia



Blogs

Blog do JC

The Ocean Race

A bordo do esporte

Regatas do Brasileiro de Snipe 2023 agitam a raia de Jurerê, em Floripa

Blog da Ale Francoise

Moringa para imunidade

Blog Doutor Multas

O que o exame toxicológico consegue detectar?

Blog do Ton

Festa The Box comemora 5 anos neste fim de semana em Balneário Camboriú

Blog da Jackie

Spring Party

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Evandro Neiva

"Vila da Regata de Itajaí vai atrair mais de meio milhão de visitantes

Luíza Moreira

"Meu avô tinha uma marca de ferro na coxa. Hoje em dia eu me revolto ainda por causa da escravidão, porque ainda tem muito preconceito”

Alvim Sandri

"Levei a vida que a minha mãe ensinou: fé em Deus e andar certo

Marcelo Sodré

"A hora que entrar o contrato de arrendamento essa agonia se dissipa. As empresas vêm pra fazer o porto continuar crescendo”

TV DIARINHO

PROIBIDO ESTACIONAR! O principal acesso à praia do Cascalho, em Penha, voltou a ser palco do desrespeito ...




Especiais

Pesquisa de preços 

Sorvetes apresentam diferença de até 50,62% nos principais supermercados

80 ANOS

Sorveteria Seara chega à quarta geração unindo receitas de família e novas tendências

NA ESTRADA COM O DIARINHO

Sete dicas pra curtir Balneário Camboriú num fim de semana 

Dia no mar

O que levar para uma refeição perfeita al mare

Deixa o vento me levar

Veleiros alugados navegam com grupos para alto-mar



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








Jornal Diarinho© 2022 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação