Colunas


Coluna esquinas

Por Coluna esquinas -

Linhas tortas


Em 2017 que tive um revés na vida. Daqueles em que levamos alguns meses para entender o que houve, redirecionar a vida e seguir um tanto atordoado com a paulada que veio de surpresa. O tempo corre ligeiro e não é que hoje entendo bem os motivos que me preservaram de explorações absurdas, tensões e descaso completo com aqueles/as dedicam horas das suas vidas em pesquisa, extensão e ensino.  Ex-colegas de trabalho adoecem e outros tantos expõem olheiras com o cansaço a que estão submetidos.

Sou solidário com aqueles/as que são empurrados para as margens em um sistema neoliberal dos mais perversos. Professores/as sofrem a pressão e exploração em plena pandemia. Tempo em que a palavra comunidade deveria ser compromisso e não entrave. Tempos em que deveríamos nos preocupar com o bem-estar comum. Na contramão, instituições – autodenominadas comunitárias – exploram com perversidade seus docentes e alunos.

COMUNIDADE, essa palavra-maleta em que cada um coloca suas crenças, ideologias ou valores. Como podemos ignorar a necessidade em repensarmos essa palavra quando vivemos um momento de quebra das fronteiras geográficas, da diminuição da relação tempo e espaço, do culto ao individualismo e a autonomia, entre tantas outras transformações? 

A sombra do individualismo projetou-se sobre todos os campos da vida humana: direitos humanos, propriedade, modelos de família, relações pessoais, modelos educacionais. O indivídualismo tem prioridades enquanto alteridade, solidariedade, comunidades ficam em uma dimensão secundária ou apenas discursiva, se convier a quem discursa. Nessa lógica perversa, o outro é sempre alguém dispensável.

São essas linhas borradas que estão definindo o processo de formação superior de novos profissionais em nossa região. A universidade mercantiliza o ensino, exclui os extensionistas e reduz a pesquisa à miseras horas inviabilizando produção novos conhecimentos.

Na melhor das hipóteses o humano é considerado um recurso útil para o desenvolvimento de projetos individuais, mercadológicos e, ironicamente, chamados de “colaboradores”. A manutenção de professores/as que estudam por décadas, publicam livros ou revistas, embrenham-se em comunidades com seus projetos de extensão, desenvolvem pesquisa e ministram aulas é considerada necessária enquanto complementa as necessidades básicas e, logo depois, descartável quando pode ser substituído por outro pago com menor valor. Eis o utilitarismo valendo-se de uma ética duvidosa para manter sentidos escusos.

Sim, eu escrevo em linhas tortas, mas inspirado pela ética humana. Sou avesso aos tiques neoliberais travestidos de comunidade.

Fica a dica:

O filme O Capital (Direção: Costa Gravas. Ano: 2012) que começa com a seguinte frase: “O dinheiro é um cão que não pede carinho. Lance a bola o mais longe possível e ele o traz indefinidamente.”


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna esquinas

Grasna, pato, grasna

Coluna esquinas

Quinquilharias

Coluna esquinas

Touch, mentiras e uma hashtag

Coluna esquinas

Os 10 dias em que ouvimos a palavra GRITO

Coluna esquinas

Ferida aberta

Coluna esquinas

Proa da palavra

Coluna esquinas

Breve história de um muro

Coluna esquinas

A mão invisível da realidade

Coluna esquinas

O segredo dos dias

Coluna esquinas

Pantufas para pisar na lua

Coluna esquinas

Exercício de ser criança

Coluna esquinas

O instante antes do escuro

Coluna esquinas

Dentro da noite

Coluna esquinas

Bolhas

Coluna esquinas

Imagino, logo existo

Coluna esquinas

Hoje é quase horizonte

Coluna esquinas

Língua Solta

Coluna esquinas

Curto-circuito

Coluna esquinas

Posso dar um pitaco?

Coluna esquinas

Tirando poeira das ideias



Blogs

A bordo do esporte

Inaê Sailing Team segue entre os primeiros da Copa Mitsubishi

Blog do JC

Não sabe de nada...

Blog da Jackie

Verão, calor, quentura e mormaço

Gente & Notícia

Warung reabre famoso pistão, destruído por incêndio, com Vintage Culture em março

Blog da Ale Francoise

Intestino preso, use todos os dias

Blog do Ton

Medicina Estética

Blog Doutor Multas

Como parcelar o IPVA de forma rápida e segura

Blog Clique Diário

Pirâmides Sagradas - Grão Pará SC I

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado



Entrevistão

Entrevistão Adão Paulo Ferreira

"Porto sozinho não serve para nada. Ele precisa ter navios, linhas"

Irmã Simone

"Aqui nós atendemos 93% SUS”

Eduardo Rodrigues Lima

"A Marinha já fez 27 mil abordagens a embarcações no Brasil inteiro”

Edison d’Ávila

"O DIARINHO serve como uma chamada à consciência da cidade”

TV DIARINHO

Leilão de carros apreendidos em Santa Catarina deve ser mais agilizado com parceria entre Detran e Tribunal ...




Especiais

MEIO AMBIENTE

Ibama proíbe pulverização aérea de agrotóxico letal a abelhas, o tiametoxam

Caso Ilha de Marajó

Vereadora de Navegantes está entre os políticos que impulsionaram fake news sobre exploração sexual infantil

TURISMO

Japaratinga: vale a pena se hospedar no melhor resort do Brasil?

VIAGEM NO TEMPO

Museu do Carro traz nostalgia e diversão sobre o universo automotivo

NOVOS TEMPOS

SC é pioneira na promoção da mobilidade elétrica



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯








MAILING LIST

Cadastre-se aqui para receber notícias do DIARINHO por e-mail

Jornal Diarinho© 2024 - Todos os direitos reservados.
Mantido por Hoje.App Marketing e Inovação